Bolsonaro sugere rever normas sobre trabalho escravo

Em 2004, o próprio presidente votou a favor da emenda 81, que prevê o confisco de propriedades flagradas com esse tipo de mão de obra

Por: Redação
jair bolsonaro
Crédito: Reprodução/Instagram/@jairmessiasbolsonaroJair Bolsonaro criticou as atuais normas que regulam o trabalho escravo

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) sugeriu nesta terça-feira, 30, que as leis a respeito do trabalho análogo à escravidão e trabalho escravo precisam ser revisadas. Ele falou sobre o assunto durante evento que alterou as normas regulamentadoras de segurança e saúde no trabalho para reduzir exigências impostas aos empregadores e ampliar a competitividade no país.

“A Emenda Constitucional 81 fala sobre o trabalho escravo. Eu sei que vai ter deturpação amanhã. Tem juristas que entendem que o trabalho análogo à escravidão também é trabalho escravo. Na OIT [Organização Internacional de Trabalho] existem mais de 150 itens que definem o trabalho análogo à escravidão”, declarou.

De acordo com o presidente, há uma linha divisória tênue entre as duas normas, que levam a interpretações diferentes de juristas. Para ele, as normas que tratam sobre o trabalho escravo “têm que ser adaptadas à evolução”. Como exemplo de atos que podem tipificar o trabalho análogo à escravidão, ele citou a espessura de um colchão, o nível de ventilação de um cômodo e um “copo desbeiçado”.

Bolsonaro disse que a lei em vigor garante a desapropriação de terras de empresários ou fazendeiros condenados por trabalho escravo e, por isso, muitas famílias em que avó, filhos e netos trabalham em uma mesma terra podem ser prejudicadas em caso de um fiscal autuar o dono da propriedade.

Emenda de 2004

Em 2004, o próprio presidente votou a favor da emenda 81, que prevê o confisco de propriedades flagradas com trabalho análogo à escravidão e sua destinação à reforma agrária e à habitação popular. O apoio favorável de Bolsonaro aparece no registro do primeiro turno de votação, ocorrido em 11 de agosto, conforme informou o Blog do do Sakamoto.

Na data da votação, todos os partidos e bancadas recomendaram a aprovação da emenda, a qual o presidente da República critica atualmente. No total, 326 deputados foram favoráveis. Apenas 10 parlamentares se posicionaram contra e oito se abstiveram.

Chamada de PEC do Trabalho Escravo, a medida ainda levaria oito anos para ser analisada e aprovada em segundo turno na Câmara, em 22 de maio de 2012. Neste dia, foram 360 votos favoráveis, 29 contrários e 25 abstenções. No entanto, o registro de votação nessa data não indica a presença de Bolsonaro no plenário.

Compartilhe:

1
Tudo o que se sabe sobre a ação policial em Paraisópolis
No último domingo, 9 jovens morreram supostamente pisoteados durante ação realizada pela Polícia Militar na comunidade de Paraisópolis, em São …
2
PSL pune postura de Eduardo Bolsonaro e de outros 17 parlamentares
O diretório nacional do Partido Social Liberal (PSL) decidiu na terça-feira, 3, punir 18 parlamentares acusados de articular o afastamento …
3
Presidente da Funarte diz que rock leva ao aborto e ao satanismo
O músico Dante Mantovani, nomeado nesta segunda-feira, 2, como o presidente da Fundação Nacional de Artes (Funarte), possui um canal …
4
Trump decide retomar taxação ao Brasil após desvalorização do real
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, fez um post em sua rede social anunciando o retorno das tarifas de …
5
Entenda todos os desdobramentos das prisões em Alter do Chão
Os quatro brigadistas que haviam sido presos preventivamente na operação Fogo de Sairé, da Polícia Civil do Pará, deixaram a …
6
Ajude a manter vivo o sonho da única orquestra do mundo criada e manti
A Orquestra Sinfônica de Heliópolis é a única orquestra sinfônica do mundo mantida numa favela. Mensalmente são mais de 1.300 …
7
Novo partido de Bolsonaro participará das eleições em 2020?
Bolsonaro realizou na semana passada a convenção de lançamento de seu novo partido, a Aliança pelo Brasil, que terá o …
8
A indústria da morte nas estradas federais
Meses após a desativação dos radares móveis nas estradas federais do país, dados revelam um aumento nos casos de acidentes …