China passa a recomendar cloroquina e bolsonaristas atacam Mandetta

Governo chinês mudou o protocolo e apoiadores de Bolsonaro se apoiaram nisso para criticar Mandetta com a #MandettaGenocida

Por: Redação
Ouça este conteúdo

A China atualizou, pela primeira vez desde março, as diretrizes de tratamento e diagnóstico contra a covid-19, na última quarta feira, 19 e autorizou o uso de cloroquina para tratar a doença, segundo informações do jornal South China Morning Post. Na internet, bolsonaristas associaram o novo protocolo chinês com uma ‘má gestão da pandemia’ pelo ex-ministro da Saúde do Brasil, Luiz Henrique Mandetta.

cloroquina china bolsonaristas mandetta
Crédito: Reprodução/TwitterUso de cloroquina na China faz bolsonaristas deixarem rixa para criticar Mandetta

Apesar de medicinalmente iguais, a hidroxicloroquina não entrou para o novo protocolo chinês. As duas drogas seguem sem comprovação científica contundente de eficácia contra o novo coronavírus.

A cloroquina e a hidroxicloroquina são tradicionalmente usadas contra malária, têm formulações diferentes, mas usam a mesma substância, a cloroquina e possuem benefícios clínicos parecidos. A diferença principal, entre elas, é que a hidroxicloroquina provoca menos efeitos colaterais e, por isso, vista como mais segura.

O governo da China reconhece que faltam estudos de comprovação clinica e admite que a mudança do protocolo se baseia em “algum grau de eficácia”. “Algumas drogas podem demonstrar algum grau de eficácia em estudos de observação clínica, mas não há antivirais efetivos confirmados por estudos duplo-cego e controlado por placebo”, afirma a Comissão Nacional de Saúde chinesa.

Pela ausência de estudos satisfatórios, a Organização Mundial da Saúde (OMS) descontinuou as pesquisas com a hidroxicloroquina no tratamento da covid-19, em junho. Mesmo mês que a agência reguladora de drogas dos Estados Unidos, a FDA, revogou a autorização para uso emergencial da cloroquina e da hidroxicloroquina nos pacientes com a covid-19 nos EUA.

No Brasil, um estudo com 667 pacientes mostrou que a hidroxicloroquina não tem eficácia para casos leves e moderados da covid-19, mas mesmo assim, com a insistência do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o Ministério da Saúde liberou a administração do medicamento para todos pacientes de covid-19, mesmo já tendo perdido dois ministros por se recusarem a adotar tal protocolo. O primeiro a deixar o cargo foi Luis Henrique Mandetta e o segundo foi Nelson Teich.

Com a mudança das diretrizes para o tratamento do novo coronavírus na China, bolsonaristas que sempre criticaram o país asiático por ser comunista, chegando a dizer que disseminaram a covid-19 propositalmente, parecem ter esquecido as divergências e a nação rival passou a ser referência científica, pois nesta sexta-feira, 21, apoiadores de Bolsonaro subiram a #MandettaGenocida para os assuntos mais comentados do Twitter.

Para bolsonaristas, a China adotar a cloroquina para o tratamento da covid-19, mesmo sem comprovação científica, se tornou uma validação da droga, grande o bastante, para eles criticarem Mandetta no Twitter.

Na rede social, além dos ataques ao ex-ministro da Saúde, muitos questionaram o posicionamento dos apoiadores do presidente. Confira a repercussão: