EUA e Uruguai comemoram efeitos da legalização da maconha

Califórnia espera gerar 7 bilhões de dólares aos cofres públicos com a legalização; no Uruguai, liberação do uso recreativo diminuiu lucro do tráfico

Por: Redação | Comunicar erro

Entre 2011 e 2014, a guerra às drogas custou aos cofres públicos brasileiros R$ 3,6 bilhões. Em contraste a isso, um estudo divulgado pela Consultoria Legislativa da Câmara dos Deputados avaliou que a legalização da maconha no Brasil movimentaria, por ano, de R$ 5,7 bilhões, gerando arrecadação tributária próxima de R$ 5 bilhões.

Para além dos gastos e projeções financeiras que suscitam o debate do tema, o saldo da proibição chama atenção para dois indicativos no Brasil:

  • 28 mil homicídios apenas no primeiro semestre de 2017 (155 assassinatos por dia, cerca de seis por hora nos Estados brasileiros), em sua maioria associados ao tráfico;
  • E a falência do sistema penitenciário, que possui a terceira maior população carcerária do mundo, com 726 mil presos.

Na contramão desse caminho sem expectativa, o mundo amanheceu no dia 1º de janeiro de 2018 com uma notícia que deve transformar a questão da legalização da maconha, ao menos nos Estados Unidos – pioneiro tanto na política proibicionista, que em 1937 deu início à fracassada campanha de combate à erva, quanto no recente processo de liberação do consumo.

O maior mercado de maconha do mundo 

Na última segunda-feira, o Estado da Califórnia anunciou o início da venda de cannabis para fins recreativos, se tornando, assim, o maior mercado legal de maconha no mundo. Por lá, estima-se que os negócios gerem faturamento anual de pelo menos 7 bilhões de dólares.

Desde o início do processo de legalização, EUA arrecadam bilhões com o mercado legal da maconha

As primeiras lojas a comercializar a erva, e produtos relacionados ao consumo desde a última segunda-feira, receberam filas de clientes já na madrugada do primeiro dia do ano. A legalização, que acontece em cidades como Oakland, se expandirá para cerca de dez condados – entre eles o de Los Angeles, o mais populoso do país – e passa a receber solicitações de distribuição e venda.

Além da Califórnia, a venda de maconha para uso recreativo é legal nos Estados do Alasca, Colorado, Nevada, Oregon e Washington. Deve contar com a adesão, em breve, de mais dois estados: Maine, onde o uso pessoal é permitido, e Massachusetts que dá início ao processo em julho.

Maconha na farmácia e redução do tráfico no Uruguai  

Resultados divulgados pelo governo uruguaio no início de dezembro apresentam os primeiros efeitos da legalização da maconha. Aprovada em 2014, a comercialização ainda é recente no país vizinho – teve início apenas em julho de 2017.

Quase seis meses depois da renovação na política de drogas do país, o narcotráfico teve queda de 18% em suas atividades. Em entrevista recente à revista Galileu, a ativista Mercedes Ponce de León comemora os primeiros resultados. Para ela, os números “mostram, enfim, que a distribuição da cannabis em farmácias, feita pelo Estado, é um método de eliminar o mercado do narcotráfico”.

A abertura para o uso recreativo redefiniu a relação dos uruguaios com a maconha. Um em cada seis opta pela compra da erva legalmente e quase 28 mil pessoas já se cadastraram no programa estatal de distribuição. Do total, 63% recorrem à venda em farmácias; enquanto o restante dedica-se ao autocultivo ou frequenta clubes cannábicos espalhados pelo país.

Veja também:

Compartilhe:

1 / 8
1
04:47
Entenda como o fogo na Amazônia virou uma crise internacional
O fogo que consome a Amazônia, maior floresta tropical do mundo, já representa 52,5% de todas as queimadas registradas no …
2
02:58
Como se prevenir de doenças
Você sabe o que são as doenças crônicas não transmissíveis? Hoje, a Dra. Aline Oliveira, médica de família, fala sobre ações …
3
03:13
Kinoplex: o cinema sem defeitos em São Paulo!
Quem disse que cinema de shopping é tudo igual? São Paulo acaba de ganhar um espaço exclusivo, com seis salas …
4
08:59
Vinicius Poit defende Salles como ministro do Meio Ambiente
O deputado federal Vinicius Poit (NOVO-SP) defendeu a permanência de Ricardo Salles como ministro do Meio Ambiente no Governo Bolsonaro. …
5
02:28
Quais são os sintomas que são gerados pelo estresse?
Com a correria do dia-a-dia somos facilmente pegos pelo estresse. E o nosso corpo indica sinais de que estamos fisicamente …
6
03:52
Surge o BolsoLula: os mesmos vícios da velha política brasileira
No vídeo, o jornalista Gilberto Dimenstein explica o conceito da expressão 'BolsoLula' e analisa as consequências da interferência política exercida …
7
04:15
Como os Beatles mudaram minha vida: parte 1
Como seria o mundo sem a inovação e energia que a música ganhou pós-Beatles. Imaginou? E se as pessoas também …
8
03:02
Jair Bolsonaro é louco, ignorante ou irresponsável?
O presidente Jair Bolsonaro fez um pronunciamento nesta quarta-feira, 21, apontando que ONGs poderiam estar por trás das queimadas na …