Hacker afirma que há cópias de conversas de Moro fora do país

Moro já havia dito que irá destruir as mensagens que podem servir de provas contra sua conduta enquanto juiz da Lava-Jato

Por: Redação Comunicar erro

O hacker Walter Delgatti Neto, que confessou ter invadido o celular do ministro Sérgio Moro, afirmou que as mensagens extraídas tem cópias fora do país.  A informação está em um documento, assinado pela defesa de Delgatti, obtido pelo jornal “O Estado S.Paulo”.

Crédito: ReproduçãoHacker afirma que há cópias de conversas de Moro fora do país

O hacker foi preso na Operação Spoofing, da Polícia Federal (PF), no último dia 23, junto com outros 3 suspeitos, acusado de ser o invasor do celular de Moro e de procuradores da Lava Jato. Após a prisão, ele confessou o crime.

Além do celular de Moro, Delgatti confessou ter invadido celulares de centenas autoridades do país,incluindo o presidente Jair Bolsonaro.

HACKER DIZ QUE MANUELA D’ÁVILA FEZ A PONTE COM GLENN GREENWALD

“Para todos os fins, registra, por pertinente, que o conjunto das informações está devidamente resguardada por fiéis depositários, nacionais e internacionais”, diz o documento entregue pelos advogados Fabrício Martins Chaves Lucas e Gustavo Delgado Barros.

Em outro trecho da nota, Delgatti Neto diz espantar-se com “a fragilidade do sigilo no Brasil”, sugere melhoria nos sistemas de comunicação nacional e “convida a uma regulamentação e à transparência quanto ao acesso e o uso de ditas redes de informação pelo poder público, em plena defesa do melhor interesse público, respeitados os princípios fundamentais da Constituição Federal, incluídos defesa da Cidadania, da dignidade da pessoa humana os valores do trabalho e da livre iniciativa”.

Moro afirmou, no último dia 26, que irá destruir as mensagens, que foram entregues de forma gratuita ao site The Intercept, segundo o hacker, e passaram a ser divulgadas pelo site a partir de 9 de junho.

As mensagens divulgadas mostram conversas entre o então juiz federal titular da Lava Jato, em Curitiba – Sérgio Moro,  com integrantes do Ministério Público Federal, principalmente com Daltan Dallagnol, procurador do Ministério Público Federal (MPF), coordenador da força-tarefa da Operação Lava-Jato em Curitiba.

As conversas teriam acontecido por meio do aplicativo Telegram. Nelas fica exposto uma conduta inapropriada de Moro, intervindo na condução das investigações, mas como juiz, ele não poderia ter tido tais atitudes.

1 / 8
1
08:31
Lobão explica como funciona a mente de Olavo de Carvalho
Em entrevista ao vivo no estúdio da Catraca Livre para o jornalista Gilberto Dimenstein, o cantor Lobão, ex-afeto de Olavo …
2
03:39
Alter do Chão sofre com incêndio de grandes proporções
As chamas que consomem uma área de preservação ambiental de Alter do Chão, em Santarém, no Pará, voltaram a se …
3
09:33
Glenn Greenwald: Os limites do jornalismo no governo Bolsonaro
Em entrevista a Gilberto Dimenstein, da Catraca Livre, Glenn Greenwald, fundador do The Intercept Brasil, site responsável pela série de …
4
03:50
Clã Bolsonaro nomeou familiares para cargos de confiança
Uma reportagem publicada pela revista Época mostra que 17 familiares de Ana Cristina Valle, ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro,  foram …
5
10:59
David Miranda x Coaf: Glenn Greenwald fala sobre a investigação
Uma matéria publicada pelo jornal O Globo deu destaque para um relatório do Coaf, em que o deputado federal David …
6
05:12
Glenn Greenwald fala qual foi a matéria mais importante da #VazaJato
Qual foi a matéria mais importante da #VazaJato até agora? Quem responde essa pergunta é o jornalista Glenn Greenwald, do …
7
04:32
É possível apoiar a #VazaJato ao mesmo tempo que a Operação Lava Jato?
O jornalista Glenn Greenwald, fundador do site The Intercept Brasil, deu uma longa entrevista ao jornalista Gilberto Dimenstein sobre a …
8
06:21
Prefeito do Rio censura HQ dos Vingadores por conta de beijo gay
O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, mandou recolher todos os exemplares do gibi “Vingadores – A Cruzada das …