Homem mata namorada de 16 anos após crise de ciúmes no Rio

Horas antes do crime a jovem postou uma foto em uma rede social se declarando para o namorado

Por: Redação

Um homem foi preso em flagrante na noite deste domingo, 10, acusado de matar a namorada de 16 anos após uma crise de ciúmes. O crime no Morro dos Macacos, Vila Isabel, na zona norte do Rio de Janeiro. A informação é do jornal Extra.

Segundo a polícia, Jeferson Silva de Carvalho, de 31 anos, atirou na cabeça de Glicia Kely de Jesus Almeida e depois fugiu. Horas antes do crime –que ocorreu por volta das 15h do domingo, a jovem postou uma foto em uma rede social se declarando para o namorado.

Crédito: Reprodução/FacebookHoras antes do crime, a jovem postou uma foto em uma rede social se declarando para o namorado

O corpo da jovem foi encontrado escadaria conhecida como “Santuário” e levado por moradores para um dos acessos à comunidade, onde pode ser recolhido pela polícia.

Em depoimento à polícia, Jeferson confessou que efetuou o disparo, mas que o tiro foi acidental. Hipótese refutada pela delegada que acompanha o caso, Cristiane Carvalho.

Familiares contaram ao jornal Extra que as brigas e agressões entre o casal eram recorrentes. Ainda, segundo a reportagem, na madrugada de sábado, 9, Jeferson e Glicia discutiram durante um baile funk na comunidade. Testemunhas afirmam ter visto o rapaz dar um soco no peito da vítima e puxado seu cabelo.

Jeferson já tem passagem na polícia por porte de drogas e furto. Ele responderá por feminicídio e pode ser condenado a até 30 anos de prisão.

Campanha #ElaNãoPediu

Nenhuma mulher “pede” para apanhar. A culpa nunca é da vítima. A campanha #ElaNãoPediu, da Catraca Livre, tem como objetivo fortalecer o enfrentamento da violência doméstica no Brasil, por meio de conteúdos e também ao facilitar o acesso à rede de apoio existente, potencializando iniciativas reconhecidas.

Como denunciar violência doméstica?

Disque 180
O Disque-Denúncia foi criado pela Secretaria de Políticas para Mulheres (SPM). A denúncia é anônima e gratuita, disponível 24 horas, em todo o país. Os casos recebidos pela central são encaminhados ao Ministério Público.

Disque 100
O serviço pode ser considerado como “pronto socorro” dos direitos humanos pois atende também graves situações de violações que acabaram de ocorrer ou que ainda estão em curso, acionando os órgãos competentes, possibilitando o flagrante. O Disque 100 funciona diariamente, 24 horas por dia, incluindo sábados, domingos e feriados.

As ligações podem ser feitas de todo o Brasil por meio de discagem gratuita, de qualquer terminal telefônico fixo ou móvel (celular), bastando discar 100.

Polícia Militar (190)
A vítima ou a testemunha pode procurar uma delegacia comum, onde deve ter prioridade no atendimento ou mesmo pedir ajuda por meio do telefone 190. Nesse caso, vai uma viatura da Polícia Militar até o local. Havendo flagrante da ameaça ou agressão, o homem é levado à delegacia, registra-se a ocorrência, ouve-se a vítima e as testemunhas. Na audiência de custódia, o juiz decide se ele ficará preso ou será posto em liberdade. Mais informações sobre como denunciar.