Justiça manda soltar estudante picado por naja no DF

Pedro Henrique Krambeck é suspeito de crime ambiental e de tentar atrapalhar investigações sobre tráfico de animais

Por: Redação

A Justiça do Distrito Federal mandou soltar no fim da tarde desta sexta-feira, 31, o estudante de veterinária Pedro Henrique Santos Krambeck Lehmkuhl, 22, picado por uma cobra naja no começo de julho.

A prisão temporária foi revogada pelo relator da 2ª Turma Criminal, desembargador Roberval Casemiro Belinati, em decisão monocrática, após pedido da defesa do jovem. Pedro estava preso desde a última quarta-feira, 29.

Naja
Crédito: Reprodução/TV GloboPedro Henrique Krambeck, picado por uma naja, é suspeito de crime ambiental e de tentar atrapalhar investigações sobre tráfico de animais

O estudante é suspeito de cometer crime ambiental e de ter tentado atrapalhar as investigações sobre o tráfico de animais exóticos.

No começo da tarde de hoje, Pedro Henrique Santos Krambeck prestou depoimento por cerca de três horas no 14º DP, no Gama.

A Justiça também mandou soltar hoje o colega de Pedro, Gabriel Ribeiro de Moura, 24 anos, que estava preso temporariamente. O rapaz também é suspeito de tentar atrapalhar as investigações sobre um suposto esquema de tráfico de animais.

Entenda o caso da naja

Pedro Henrique Santos Krambeck foi picado no dia 7 de julho por uma naja que criava em casa. O jovem chegou a ficar em coma, mas teve alta no dia 13. Por conta de um atestado médico, só prestaria depoimento em agosto.

No último dia 16, Pedro foi multado em R$ 81,3 mil por manter animais nativos e exóticos em locais inapropriados e sem autorização, além de maus tratos, e por dificultar as ações do Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis).

De acordo com a Polícia Civil do DF, Pedro seria dono de pelo menos outras 16 serpentes. Ele costumava postar fotos com os bichinhos nas redes sociais.