Mensagens em celular apreendido levaram polícia a Queiroz

Delegado que prendeu Queiroz disse que ficou sabendo quem era o alvo horas antes da ação

Por: Redação

Mensagens encontradas em um celular apreendido pelo Ministério Público do Rio de Janeiro levaram à prisão Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro, na manhã desta quinta-feira, 18, em Atibaia (SP). A informação é da Folha.

Crédito: Divulgação/Polícia CivilFabrício Queiroz foi preso em uma casa em Atibaia (SP)

Toda a ação para prender Queiroz foi cercada de mistério para evitar vazamentos. Segundo o delegado Nico Gonçalves, chefe do Dope (Departamento de Operações Policiais Estratégicas) que efetuou a prisão, o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) fluminense pediu apoio para a operação a seu similar paulista somente às vésperas da operação.

“Eu pensei que era alguma coisa sobre respiradores. Só quando fizemos o briefing, às 4h, é que fomos informados do alvo”, disse o delegado paulista.

Fabrício Queiroz foi preso em uma casa que pertence a Frederick Wassef, advogado de Flávio Bolsonaro e do presidente Jair Bolsonaro.

De acordo com o delegado Nico Gonçalves, Queiroz estava sozinho na casa quando os policiais chegaram. Como ninguém atendeu a campainha, os policiais cortaram uma corrente para entrarem no imóvel.

“A reação dele [Queiroz] foi tranquila, não esboçou reação. Só falou que estava um pouco doente”, disse o delegado.

Ainda segundo o delegado, o caseiro do imóvel contou que Fabrício Queiroz vivia lá há cerca de um anos.

Policiais apreenderam ainda na casa onde estava Queiroz documentos, dois celulares e cerca de R$ 900.

Compartilhe: