Ministro propõe que médicos formados pelo Fies substituam cubanos

Ministro disse que vai apresentar a proposta à equipe de Bolsonaro na próxima semana

Por: Redação | Comunicar erro
mais médicos
Crédito: Karina Zambrana /ASCOM/MSPrograma Mais Médicos ajuda a atender regiões do país que não recebem cobertura médica

Com a saída dos cubanos do programa Mais Médicos, o ministro da Saúde Gilberto Occhi, disse que vai sugerir ao presidente eleito, Jair Bolsonaro, substituir as vagas abertas por profissionais formados com recursos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Segundo ele, a proposta será feita à equipe de transição na próxima semana.

O ministro, no entanto, não deu detalhes de como seriam chamados esses profissionais. “Chamar os estudantes formados pelo FIES é uma alternativa que consideramos. Devemos ter uma reunião na próxima semana com a equipe de transição. Essa é uma das propostas que vamos apresentar”, disse Occhi durante um evento em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

O Fies destina-se a financiar a graduação no Ensino Superior de estudantes que não possuem condições de arcar com os custos de sua formação em uma universidade privada.

O ministro já havia comentado nesta semana sobre um edital para médicos que queiram ocupar as vagas que serão deixadas pelos profissionais cubanos. “Será respeitada a convocação prioritária dos candidatos brasileiros formados no Brasil seguida de brasileiros formados no exterior”, dizia a nota encaminhada à imprensa.

Saída dos Cubanos

O anúncio sobre a saída dos cubanos do Brasil foi feito na última quarta-feira, 14, depois de 5 anos servindo em regiões do país que não recebiam cobertura médica. Em nota, o governo cubano justificou a decisão, acusando o presidente eleito Jair Bolsonaro de fazer “declarações ameaçadoras e depreciativas”. E pontuou: “O Ministério da Saúde Pública de Cuba tomou a decisão de não continuar participando do Programa Mais Médicos e assim comunicou a diretora da Organização Panamericana de Saúde e aos líderes políticos brasileiros que fundaram e defenderam a iniciativa”.

O Mais médicos foi criado em 2013 pelo governo da presidente Dilma Rousseff. Ao todo, 8,5 mil médicos cubanos faziam parte dos 16 mil participantes do programa social.

Compartilhe:

1 / 8
1
05:46
Os melhores tipos de música que ajudam na gravidez
A partir do sexto mês de gestação, a criança já tem audição definida. Quais são os estímulos e efeitos que as …
2
03:26
Frota reconhece uso de ‘fake news’ na eleição de Bolsonaro
Na última edição do Roda Viva, da TV Cultura, o deputado federal Alexandre Frota (PSL) revelou que sabia sobre o …
3
04:24
Jatinhos: Bolsonaro ataca Huck, mas não fala nada de Hang
Após receber críticas de Luciano Hulk, o presidente Jair Bolsonaro resolveu mostrar o financiamento que o apresentador  recebeu do BNDES …
4
04:15
Bolsonaro recuará na indicação de Eduardo para embaixada ?
O presidente Jair Bolsonaro (PSL) admite, pela primeira vez, que existe a possibilidade dele não indicar seu filho, o deputado …
5
02:29
Sequestro na Ponte Rio-Niterói termina após mais de três horas
Um homem armado entrou em um ônibus e manteve 37 reféns no início desta terça-feira, 20, na Ponte Rio-Niterói, via …
6
06:43
Após ser acusado de comunista, Dimenstein cobra provas de Hasselmann
A deputada federal Joice Hasselmann perdeu a calma nas redes sociais ao atacar o jornalista Gilberto Dimenstein, acusando-o de militante …
7
04:53
Netflix e KondZilla lançam ‘Sintonia’, da periferia para o mundo
KondZilla tem razão quando afirma: "A favela venceu". “Sintonia”, a nova série da Netflix, prova isso. A ideia original é dele …
8
04:21
Sinais que indicam problemas no estômago
Ter tosse seca pode ser um sinal que o seu estômago não vai muito bem. Hoje, o Dr. Raul Cutait, médico …