CORONAVÍRUS
Loading...
Últimas notícias e tudo que você precisa saberAtualizando informações
Infectados-
Mortes-
Recuperados-

Modelo que cometeu abuso sexual é demitido de duas agências

Uma câmera de segurança flagra o exato momento em que um modelo apalpa as nádegas de uma garçonete

Por: Redação

Uma câmera de segurança flagrou o exato momento em que o modelo Reyn Du Preez aparece apalpando o bumbum de uma garçonete num restaurante na Cidade do Cabo (África do Sul). Ele foi demitido de duas agências onde trabalhava, após praticar o abuso sexual.

Crédito: Reprodução / ExtraModelo é flagrado cometendo abuso contra uma garçonete

A vítima Sarah Belgarion postou em seu Instagram o vídeo que mostra o momento em que tudo ocorreu. Dizendo que infelizmente é um comportamento comum entre os homens do país: “Isso parte meu coração! Eu assisti várias vezes … e me sentindo mais lixo a cada vez. Isso acontece regularmente com homens da África do Sul … O que você vai fazer sobre isso?”, postou ela. “Homens da África do Sul, parar de nos tocar de maneira inadequada!”, desabafa.

Assista o vídeo do que ocorreu:

View this post on Instagram

So on Friday night I was at work( I am currently a waitress)… and I happened to be serving this man Reyn Du Preez @reyndupreez and this happened. The video says it all, leaving me with little to add. . YOU ARE EXPOSED! And caught in the act! . It BREAKS my heart! I’ve watched it over and over again…feeling more like trash each time. Men of South Africa this is happens on regular basis…what are YOU going to do about it ? If you see your mate doing this CALL THEM OUT!, DON’T wait for them to get physical with women to call them out. Men of SOUTH AFRICA stop touching us inappropriately! . . To Reyn Du Preez’s friends, I thank you for stopping your friend when he continued to insult and humiliate me after touching me inappropriately🙏🏻, I only hope that more can be done next time.

A post shared by Sarah-Belgarion (@sarah_belgarion) on

No post Sarah agradece aos amigos que estavam com Reyn no restaurante e que chamaram sua atenção: “Agradeço por fazerem o seu amigo parar de me insultar e me humilhar após me tocar de forma inapropriada. Só espero que vocês possam fazer mais da próxima vez” conta ela.

Nos comentários as pessoas se mostram revoltadas com o ocorrido e apoiando Sarah: “Que mala onda que aya hombres asii la verdad 😢😠😠😠“, “Me averguenzan este tipo de guarradas. Eso no se hace!“, ” bien hecho al publicarlo basta ya de abusos felicidades muchos te apoyamos“.

O vídeo viralizou com mais de 170 mil visualizações e agências onde o modelo trabalhava, uma alemã e outra sul-africana o demitiram. A agência Modelwerk, da Alemanha, disse em nota que é inadmissível esse tipo de comportamento: “Não aceitamos esse tipo de comportamento e o condenamos em termos inequívocos”.

Reyn, por sua vez, pediu desculpas: “Eu realmente não pretendia menosprezá-la ou fazê-la se sentir abusada. Não estou aqui para dar desculpas, mas para explicar minhas ações e pedir desculpas publicamente”. O ideal seria ele não ter cometido

O que é assédio sexual?

No Artigo 216-A do Código Penal Brasileiro, constranger alguém com o intuito de obter vantagem ou favorecimento sexual, prevalecendo-se o agente da sua condição de superior hierárquico ou ascendência inerentes ao exercício de emprego, cargo ou função, é considerado assédio sexual.

Formas comuns de assédio

  • Ofensas, dizeres ou gestos ofensivos/inapropriados.
  • Tocar, apalpar, segurar, forçar beijo, segurar o braço, impedir a saída.
  • Colocar mão por dentro da roupa da vítima sem consentimento, iniciar ou consumar ato sexual sem consentimento. Embora seja comumente considerado como assédio, esse tipo de ato caracteriza o crime de estupro. Desde a reforma do Código Penal nesse crime, realizada em 2009, também se caracterizam como estupro outros atos libidinosos — ou seja, o crime de estupro pode ser configurado mesmo sem penetração.

Assédio em estabelecimentos fechados

Da mesma forma que o Estado é responsável por coibir o assédio que ocorre nos meios de transporte público, os estabelecimentos particulares que promovem festas também são responsáveis por assegurar um ambiente livre de violências e poderão ser civilmente responsabilizados por eventuais omissões. Se você testemunhar ou for vítima de assédio em algum espaço desse tipo, além das medidas gerais cabíveis (como denúncia à polícia), acione, no momento dos fatos, os seguranças ou o responsável pelo estabelecimento, que deverão prestar auxílio e adotar medidas para interromper a violência.

É importante lembrar que caso seja necessário, é possível solicitar as imagens de câmeras de segurança do estabelecimento. Muitas vezes, estas filmagens podem ser essenciais como provas.

Clique aqui e confira o que fazer caso você seja vítima de assédio ou estupro aqui no Brasil.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.