No Rio, jovem é torturada e estuprada por ex que não aceitava término

#ElaNãoPediu: Catraca lança campanha contra violência doméstica; saiba mais

Por: Redação

Nesta segunda-feira, 18, Dyone Willian Silva Da Conceição, 28, foi preso após torturar, ameaçar, estuprar e roubar a ex-namorada, uma jovem de 20 anos, em Nova Iguaçu (RJ).

Mulher com pescoço machucado por ex
Crédito: Divulgação/ Polícia CivilMulher no Rio de Janeiro sofre violência doméstica

Segundo o jornal O Dia, a delegada da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) de Nova Iguaçu contou que o crime de violência doméstica ocorreu na casa dele e que o ex-casal ficou junto por seis meses. “As agressões aconteceram porque ele não aceitava a separação e disse que ela o traiu”, relatou a delegada.

Na delegacia, Dyone negou os crimes, mas no celular dele haviam mensagens debochando das agressões que fez a ex, dizendo que arrebentou ela na porrada, picotou seu cabelo e roupas, além de tomar seu celular.

Ele foi preso em flagrante por conta dos pertences da vítima em sua casa e durante a investigação, descobriram que o homem já possuía passagem por crimes parecidos contra a ex.


#ElaNãoPediu: Catraca lança campanha contra violência doméstica

Os números são impactantes: pesquisas mostram o crescimento de vítimas de feminicídio e agressões contra mulheres a cada ano no Brasil. De 2017 para 2018, por exemplo, a alta de feminicídios foi de 4%. Em 2017, mais de 221 mil mulheres procuraram delegacias de polícia para registrar agressões em decorrência de um problema social complexo, bastante conhecido, mas pouco debatido: a violência doméstica.

Os dados são do Atlas da Violência e do Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2019. Esse tipo de violência atinge principalmente mulheres negras, mas também faz entre suas vítimas mulheres brancas, indígenas, pardas, amarelas. Não faz distinção entre adultas, idosas, jovens e crianças, nem entre mulheres cis ou trans, e héteros, lésbicas ou bissexuais.

Atinge quem mora na região Norte do Brasil assim como quem está no Nordeste, no Centro-Oeste, no Sudeste ou no Sul. Tampouco escolhe classe social: dia a dia, faz vítimas em comunidades pobres, na classe média e também em casas luxuosas. Ela não distingue vítimas com preferência ideológica à esquerda, à direita nem ao centro.

Saiba mais aqui.

1
Policiais Antifascismo falam sobre atuação da PM em Paraisópolis
Com 60 mil mortes violentas por ano, a questão da segurança pública no Brasil é alvo constante do debate que …
2
Roraima: violência doméstica no estado com mais mortes de mulheres
Roraima é o estado com a menor concentração de pessoas no Brasil. Ainda assim, a violência contra mulher lá é …
3
Greta Thunberg: pirralha para Bolsonaro, personalidade para Time
A jovem sueca Greta Thunberg é hoje um dos principais nomes da causa ambiental mundial. Ela transformou a sua greve …
4
Moda e consumo consciente na periferia: conheça o Brechó do Barulho
A periferia domina a moda sustentável. O movimento de trocar e emprestar sempre esteve presente nas quebradas de todo o …
5
Djonga, Criolo e Cynthia Luz comentam ‘volta’ do AI-5
A Catraca Livre e o rapper V.A.L.E, do grupo MR-13 e Batalha da Matrix, colaram no Festival Sons da Rua, …
6
Podemos decide expulsar o deputado Marco Feliciano do partido
A diretoria do partido Podemos em São Paulo decidiu na segunda-feira, 9, expulsar o deputado federal Pastor Marco Feliciano da …
7
Joice Hasselmann fala sobre o Pavão Misterioso e o Gabinete do Ódio
Pavão Misterioso, Gabinete do Ódio de Bolsonaro e muitas outras questões foram abordadas no depoimento da deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) …
8
Os principais pontos do pacote anticrime de Moro aprovado pela Câmara
A Câmara dos Deputados aprovou na quarta-feira, 4, o pacote anticrime do ministro da Justiça, Sergio Moro. O conjunto de …