CORONAVÍRUS
Tudo o que você precisa saberÚltimas notícias e tudo que você precisa saber

No Rio, jovem é torturada e estuprada por ex que não aceitava término

#ElaNãoPediu: Catraca lança campanha contra violência doméstica; saiba mais

Por: Redação

Nesta segunda-feira, 18, Dyone Willian Silva Da Conceição, 28, foi preso após torturar, ameaçar, estuprar e roubar a ex-namorada, uma jovem de 20 anos, em Nova Iguaçu (RJ).

Mulher com pescoço machucado por ex
Crédito: Divulgação/ Polícia CivilMulher no Rio de Janeiro sofre violência doméstica

Segundo o jornal O Dia, a delegada da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) de Nova Iguaçu contou que o crime de violência doméstica ocorreu na casa dele e que o ex-casal ficou junto por seis meses. “As agressões aconteceram porque ele não aceitava a separação e disse que ela o traiu”, relatou a delegada.

Na delegacia, Dyone negou os crimes, mas no celular dele haviam mensagens debochando das agressões que fez a ex, dizendo que arrebentou ela na porrada, picotou seu cabelo e roupas, além de tomar seu celular.

Ele foi preso em flagrante por conta dos pertences da vítima em sua casa e durante a investigação, descobriram que o homem já possuía passagem por crimes parecidos contra a ex.


#ElaNãoPediu: Catraca lança campanha contra violência doméstica

Os números são impactantes: pesquisas mostram o crescimento de vítimas de feminicídio e agressões contra mulheres a cada ano no Brasil. De 2017 para 2018, por exemplo, a alta de feminicídios foi de 4%. Em 2017, mais de 221 mil mulheres procuraram delegacias de polícia para registrar agressões em decorrência de um problema social complexo, bastante conhecido, mas pouco debatido: a violência doméstica.

Os dados são do Atlas da Violência e do Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2019. Esse tipo de violência atinge principalmente mulheres negras, mas também faz entre suas vítimas mulheres brancas, indígenas, pardas, amarelas. Não faz distinção entre adultas, idosas, jovens e crianças, nem entre mulheres cis ou trans, e héteros, lésbicas ou bissexuais.

Atinge quem mora na região Norte do Brasil assim como quem está no Nordeste, no Centro-Oeste, no Sudeste ou no Sul. Tampouco escolhe classe social: dia a dia, faz vítimas em comunidades pobres, na classe média e também em casas luxuosas. Ela não distingue vítimas com preferência ideológica à esquerda, à direita nem ao centro.

Saiba mais aqui.

1
Como vai funcionar a renda básica emergencial de R$ 600?
Os trabalhadores de baixa renda sem carteira assinada vão poder contar com uma renda básica emergencial do governo para lidar …
2
Bolsonaro prefere ser ‘do contra’ e luta sozinho contra o isolamento social
O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), insiste em desafiar as recomendações do Ministério da Saúde e da Organização …
3
E se Bolsonaro foi contaminado com coronavírus?
O que não passava de pura especulação e teoria da conspiração tem ganhado ares de verdade com novos capítulos envolvendo …
4
Coronavírus: Câmara aprova auxílio de R$600 para pessoas de baixa renda
A Câmara dos Deputados aprovou na quinta-feira, 26, uma medida que prevê o pagamento de R$600 para trabalhadores de baixa …
5
Bolsonaro e o coronavírus: um presidente na contramão do mundo
O pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na noite de terça-feira, 24, pegou de surpresa integrantes do governo e …
6
Entenda a MP da Morte: da polêmica e revogação por Bolsonaro até o erro de redação de Guedes
Em apenas uma canetada o presidente Jair Bolsonaro autorizou empresas a suspenderem contratos com seus empregados por 4 meses, sem …
7
Coronavírus no RJ: a situação dos transportes e dos comércios
O Rio de Janeiro adotou medidas mais severas para conter o avanço do novo coronavírus. O governador do estado, Wilson …
8
Eduardo Bolsonaro cria crise diplomática ao culpar a China pelo coronavírus
O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) meteu o pé pelas mãos, botou a culpa do coronavírus totalmente na China e …