Nova vítima de abuso acusa João de Deus de oferecer mesada

Mulher disse que considerou se mudar para Abadiânia, onde fica o hospital espiritual

joão de deus
Crédito: Reprodução/TV GloboJoão de Deus negou as acusações por meio de sua assessoria

Mais uma mulher quebrou o silêncio e revelou abuso sexual por parte de João Teixeira de Faria, o João de Deus, tornando-se a 13ª da lista de pessoas que relataram os casos ao “Conversa com Bial”, da Globo, na madrugada deste sábado, 8.

Ao jornal “O Globo”, a moça contou que chegou a considerar se mudar para Abadiânia, em Goiânia, Goiás (GO), onde fica o hospital espiritual, e que o médium lhe ofereceu uma mesada. Além disso, o religioso teria colocado a mão dentro das calças dela.

“[…] Ele teve uma conversa gentil, cavalheiresca. Falou do poder de curar e tudo que poderia fazer. Nos atendimentos abertos ao público, a entidade disse que eu teria que voltar três vezes a Abadiânia, e sempre que fosse deveria procurar por ele na sala. Cheguei a considerar morar lá. Ele me ofereceu uma mesada para viver ali, disse que poderia ajudar no financiamento de um negócio, se eu quisesse”, declarou à publicação.

A mulher ainda revelou detalhes de como aconteceu o abuso sexual: “[…] Eram 7 horas da manhã, as sessões logo iriam começar no salão. A pedido dele, fui até a salinha. Ele disse que faria um tratamento energético em mim, que precisaria da energia dele. Encaixou o corpo dele por trás do meu, disse que era ‘para circular a energia’. Passou as mãos pelas laterais do meu corpo, até chegar à parte da frente, como se estivesse me abraçando. Passando a mão no meu corpo sobre a roupa, disse que eu era muito forte, e de repente ele tentou colocar a mão dentro da minha calcinha. Foi quando eu conseguir dizer ‘não!’. Assustada, tirei a mão dele, rápido. Dessa última vez tive muito medo, porque eu já tinha entrado ali antes, mas ele nunca tinha feito algo assim”, completou.

Algumas das vítimas já estão analisando individualmente se irão apresentar denúncias ao Ministério Público ou se vão aguardar a própria Promotoria tomar o primeiro passo dos casos.

Em nota, a assessoria de imprensa de João de Deus afirmou que “rechaça veementemente qualquer prática imprópria em seus atendimentos”: “Há 44 anos, João de Deus atende milhares de pessoas em Abadiânia, praticando o bem por meio de tratamentos espirituais. Apesar de não ter sido informado dos detalhes da reportagem, ele rechaça veementemente qualquer prática imprópria em seus atendimentos”.

Compartilhe: