Padre é ameaçado por grupos extremistas da própria Igreja

Líder religioso na zona leste, padre Ticão participou de um evento com feministas católicas e debateu o uso da cannabis medicinal

Por: Redação

Neste sábado, 10, padre Ticão foi hostilizado em um ato que pedia a sua expulsão da Igreja. Desde a realização 36ª Semana da Juventude, no início deste mês, o religioso passou a receber ameaças de devotos católicos. Ticão participou de rodas de conversa e palestra sobre a cannabis medicinal, além de debater direitos sexuais e direitos reprodutivos.

Crédito: Reprodução/Movimento pela MoradiaPadre Ticão já apoiou greves de boias-frias e de professores

A organização Católicas pelo Direito de Decidir, de orientação feminista, disse à Folha que os ataques foram feitos por grupos extremistas da Igreja. “Provocado por quem não se propõe a exercitar o diálogo, a avalanche de violência tenta sufocar as vozes de uma comunidade de fé conhecida pela luta nas questões sociais.”

Um desses grupos, o Apostolado Templário de Maria, publicou em seu site e nas redes sociais: “Urgente! Grupo de feministas pró-aborto estará na Semana da Juventude em uma paróquia de São Miguel Paulista.”

O grupo Salve Roma também criticou o evento e foi contra os “rebeldes e desobedientes da paróquia”. “Os organizadores são hereges públicos e devem ser afastados pela Diocese de São Miguel Paulista por ‘FALTA GRAVE'”, dizia a postagem.

A Semana da Juventude foi organizada pelo grupo da comunidade Renovação Jovem da Paróquia São Francisco de Assis, em Ermelino Matarazzo (SP).

Compartilhe: