Presidente da Funarte é detonado por artistas após discursos polêmicos

Músicos se manifestaram contra declarações de Dante Mantovani, como: “O rock ativa a droga que ativa o sexo que ativa a indústria do aborto"

Por: Redação

O novo presidente da Funarte Dante Mantovani foi detonado por artistas após afirmações polêmicas como: “o rock ativa a droga que ativa o sexo que ativa a indústria do aborto”, proferidas em seu canal no YouTube.

Crédito: Reprodução/Instagram e YoutubePresidente da Funarte é detonado por artistas após afirmações polêmica

Lulu Santos criticou a nomeação de Mantovani para a Funarte. Em uma rede social, ele escreveu: “Afundarte”.

Mantovani, que é maestro e foi nomeado para comandar as atividades de uma das principais entidades que cuidam do incentivo à arte no Brasil, também já criticou o repertório da cerimônia de abertura da Olimpíada do Rio, em 2016, onde Anitta, Caetano Veloso e Gilberto Gil, interpretaram grandes clássicos da MPB

O cantor Rogério Flausino, vocalista da banda J. Quest, afirmou: “Isto é o que o nosso ‘novo’ presidente da Funarte pensa sobre o rock em 2019… Tá S.U.R.R.E.A.L”.

O presidente da Funarte, depois de criticar o rock, artistas brasileiros, abriu uma exceção para a banda de metal Angra.

“Era uma banda brasileira que tinha grande preocupação com aspectos melódicos, tanto vocais quanto instrumentais, embora o ritmo fosse bastante frenético”, disse.

O baixista da banda Angra, Felipe Andreoli, se manifestou. Ele disse: “Quanta ignorância, quanta desinformação, e que vergonha ter minha banda citada em associação a esse cara”.

Entenda o caso:

O músico Dante Mantovani, nomeado nesta segunda-feira, 2, como o presidente da Fundação Nacional de Artes (Funarte), possui um canal no Youtube em que fala sobre música erudita e teorias da conspiração, e disse, em um vídeo publicado no dia 30 de outubro, que “o rock ativa a droga que ativa o sexo que ativa a indústria do aborto”.

Em um dos vídeos, intitulado “Qual a relação entre os Beatles e Adorno?”, no canal que leva seu nome e tem 6 mil inscritos, o maestro fala que a União Soviética “mandou agentes infiltrados para os Estados Unidos para realizar experimentos com certos discos realizados para crianças” para desestabilizar a juventude americana, e deu como exemplo o surgimento de Elvis Presley na década de 1950.

Depois disso, Mantovani cita Woodstock, que foi um festival de música que aconteceu em 1969, e disse que os Beatles “colocaram em prática as ideias da Escola de Frankfurt” para destruir a cultura ocidental. Sobre o festival, o maestro ainda acrescentou que existem indícios de que “a distribuição em larga escala de LSD foi feita pela CIA (Agência Central de Inteligência)” durante o evento.

E concluiu: “O rock ativa a droga que ativa o sexo que ativa a indústria do aborto. A indústria do aborto por sua vez alimenta uma coisa muito mais pesada que é o satanismo. O próprio John Lennon disse abertamente que fez um pacto com o diabo para ter fama”.

1
Brumadinho: relatos lembram a maior tragédia socioambiental do Brasil
Há um ano, a cidade de Brumadinho, região metropolitana de Belo Horizonte (MG) viveria um pesadelo difícil de ser esquecido. Era …
2
Brumadinho: relatos lembram a maior tragédia socioambiental do Brasil
Há um ano, a cidade de Brumadinho, região metropolitana de Belo Horizonte (MG) viveria um pesadelo difícil de ser esquecido. Era …
3
Denúncia contra Glenn Greenwald é um ataque à liberdade de imprensa?
Uma denúncia realizada pelo Ministério Público Federal foi vista como um ataque direto à liberdade de imprensa no Brasil. O …
4
9 pontos polêmicos que Sergio Moro se esquivou no Roda Viva
O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, foi o primeiro entrevistado da nova temporada do programa Roda Viva, …
5
‘Noivado’ de Regina Duarte com Bolsonaro divide opiniões
“Nós vamos noivar, vou ficar noiva, vou lá conhecer onde eu vou habitar, com quem que eu vou conviver, quais …
6
A queda: entenda a polêmica que custou o cargo de Roberto Alvim
Após praticamente reproduzir um discurso do ministro nazista Joseph Goebbels, o ex-secretário de Cultura, Roberto Alvim, protagonizou uma polêmica que …
7
Impunidade de Victor não é caso isolado no Brasil de Bolsonaro
Victor Chavez, cantor sertanejo da extinta dupla Victor e Léo, foi condenado por agredir a esposa grávida de quatro meses …
8
Anarquia da ponte pra lá: a história do punk na periferia de SP
Autor do livro My Way, Valo Velho é história viva da cena anarcopunk de São Paulo. A Catraca Livre foi até …