Casada há 45 anos com José Mayer, esposa do ator nega separação

Informar

Projeto distribui livros em pontos de ônibus na zona sul de SP

Idealizada pelo poeta Binho, a ação transforma o cotidiano das pessoas por meio da leitura

  • “Um livro de poesia na gaveta não adianta nada. Lugar de poesia é na calçada.” (Sérgio Sampaio)

Assim como na frase citada acima, a democratização da literatura é o que move as ações criadas pelo poeta Binho, 52, do Sarau do Binho, na zona sul de São Paulo.

A mais recente delas, intitulada “Livro no Ponto”, oferece diariamente livros de diferentes áreas e linguagens em dois pontos de ônibus na estrada do Campo Limpo, altura do nº 5.100, também na região sul da capital paulista.

A iniciativa promove o acesso à leitura no espaço público
A iniciativa promove o acesso à leitura no espaço público

Criada há três anos, o objetivo da iniciativa é distribuir obras gratuitas à população do bairro e promover o acesso à leitura.

“Recebemos os livros em doações e muitas pessoas também já levam os livros diretamente aos pontos, contribuindo com a continuidade do projeto”, afirma Suzi Soares, 50, produtora e educadora colaboradora do projeto.

A iniciativa

Distribuir livros é a maior poesia de Binho há anos. Em 2009, o poeta criou a “Bicicloteca”, uma biblioteca adaptada com cestos de obras para empréstimo nos pontos de ônibus no Campo Limpo, que teve o apoio do “Programa VAI”, da Prefeitura de São Paulo.

Desde então, outras ações de incentivo à leitura foram realizadas por seu coletivo, como a “Brechoteca”, a distruição de livros no Terminal Campo Limpo e o “Pratiler” (prateleiras com livros em pequenos comércios).

A partir das ideias iniciais, Binho e Suzi acabaram acumulando alguns livros que vinham de doações e ficavam guardados em uma garagem. Foi quando surgiu o projeto “Livro no Ponto”.

“Há muito tempo vinha pensando sobre a dificuldade que muitas pessoas têm pra terem acesso aos livros, da burocracia das bibliotecas e do preço dos livros nas livrarias. Nos pontos de ônibus, a circulação de pessoas é muito grande, por isso começamos este projeto”, conta Suzi.

Com a repercussão positiva, o intuito é expandir a iniciativa para outros pontos de ônibus no futuro.

“Há milhares de títulos à disposição e acredito que algum deles sempre irá despertar o interesse de alguém. É importante que os livros circulem entre as pessoas. Não adianta nada uma estante cheia de livros, mas sem leitores”, finaliza Suzi.

Quer doar livros para o projeto? Entre em contato pela página no Facebook.

Saiba mais no vídeo abaixo:

  • A literatura espalhada pela cidade: conheça o mapa colaborativo do Catraca Livre que reúne os saraus de São paulo. Veja aqui

Compartilhe: