Do Rio para Berklee: a história da violoncelista Kely Pinheiro

Nascida na comunidade da Grota, em Niterói, a musicista fez uma vaquinha na internet e conseguiu o dinheiro para realizar o sonho de estudar na faculdade

Por: Heloisa Aun | Comunicar erro
Crédito: Arquivo PessoalKely Pinheiro toca na Orquestra Camerata Laranjeiras

A música é como se fosse a minha vida, eu não faço outra coisa sem ser isso. Ela representa tudo pra mim: a maneira como eu vejo o mundo, a minha filosofia e os meus ideais. Quando eu estava na escola, me perguntavam: o que você faria se não fosse musicista? Eu não tinha a menor ideia de como responder isso”, afirma a violoncelista Kely Pinheiro, de 20 anos.

Nascida e criada na comunidade da Grota, em Niterói, Rio de Janeiro, Kely ganhou uma bolsa de estudos integral em uma das mais importantes escolas de música do mundo, a Berklee College of Music, em Boston, nos Estados Unidos. Em um primeiro momento, seu sonho parecia distante, pois o benefício não cobria os custos de moradia e alimentação. Mas, após uma vaquinha online, apoiada pela Catraca Livre, ela conseguiu o dinheiro necessário para o primeiro ano da faculdade e vai embarcar para o país já no final de agosto.

Crédito: Arquivo PessoalApós vaquinha online, a jovem embarca para a faculdade em agosto

Trajetória na música

A trajetória da carioca na música começou aos cinco anos de idade, no projeto Orquestra de Cordas da Grota. “Eu iniciei tocando flauta doce e depois aprendi outros instrumentos, como piano e violão. Mais ou menos aos 12 anos, comecei a tocar violoncelo. Uma das minhas primeiras professoras foi uma violoncelista norueguesa, que me apresentou ao instrumento”, relata. Na comunidade, Kely conheceu muitos músicos e professores da Europa, o que abriu portas para investir em sua carreira.

Após o projeto, ela tocou na Academia Juvenil da Orquestra Petrobras Sinfônica, na Orquestra de Câmara da Fatec, estudou no Conservatório de Niterói e faz licenciatura em música na Unirio, curso que terá que largar para se dedicar a Berklee. A jovem também atua há cinco anos na Camerata Laranjeiras, uma orquestra independente do Rio de Janeiro, fundada por uma alemã, um brasileiro e uma norueguesa.

“Tocando na Camerata Laranjeiras, nós viajamos para Alemanha, Noruega, Suécia, Holanda e também fizemos uma parceria com a Berklee, em que gravamos um material para a plataforma online deles”, conta. Foi a partir desse contato que Kely decidiu fazer a audição para estudar na faculdade norte-americana. A prova teve duas partes: uma primeira prática, em que o candidato tem que tocar e fazer uma série de testes de percepção musical e improvisação, e uma segunda etapa, na qual há uma entrevista em inglês com os professores responsáveis. Quando recebeu a notícia de que havia sido aceita na instituição, e ganhado a bolsa integral, a estudante não acreditou.

“Fiquei em choque. Foi uma felicidade muito grande para mim e para todas as pessoas que fazem parte da minha vida: minha família, amigos e professores. Foi uma conquista de todo mundo”, diz a musicista. Segundo a jovem, a maior dificuldade que enfrentou ao longo da carreira foi conciliar o estudo com o trabalho. “É preciso equilibrar e não deixar a necessidade de se manter financeiramente atrapalhar os estudos.”

No violoncelo, Kely se mostra bastante eclética: toca desde músicas clássicas, até Beatles, Alcione e outros estilos musicais. “No dia a dia, eu ouço muito canto gregoriano. Não, estou brincando. Eu gosto muito de rock, principalmente indie, Beyoncé, Katy Perry, entre outros artistas. Eu sou aberta a conhecer qualquer tipo de música porque toco de tudo no instrumento, então preciso de uma linguagem mais abrangente. Isso aproxima as pessoas da música clássica”, explica.

Para outras crianças e adolescentes que sonham em ser musicistas, Kely dá um recado sobre sua experiência. “A perseverança e a disciplina nos estudos são muito importantes. Por mais que às vezes pareça muito difícil, se você pensar dia após dia, dar o seu melhor nas pequenas coisas acaba te levando para um caminho que faz você conseguir o que antes era impossível.”

Crédito: Arquivo Pessoal
Crédito: Arquivo Pessoal
Crédito: Arquivo Pessoal
Crédito: Arquivo Pessoal

Como ajudar a Kely

“Meu maior sonho é terminar o curso na Berklee e voltar para o Brasil com o objetivo de retribuir toda a ajuda que eu tive”, afirma Kely Pinheiro.

A campanha de financiamento coletivo para custear a vida da violoncelista nos Estados Unidos bateu a meta e arrecadou mais de 100 mil reais, valor suficiente para o primeiro dos quatro anos da faculdade.

Para fazer uma doação à estudante, clique neste link.

Assista ao vídeo abaixo:

Autor: Heloisa Aun

Feminista, vegetariana e repórter de Cidadania no Catraca Livre. ("nossas costas / contam histórias / que a lombada / de nenhum livro / pode carregar" - Rupi Kaur)

1 / 8
1
03:46
‘Pretendo beneficiar um filho meu, sim’ diz Bolsonaro sobre embaixada
Em uma transmissão ao vivo pelas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro voltou a defender a nomeação de seu filho, …
2
03:15
Num ato de coragem, MBL pede desculpas publicamente
O jornalista Gilberto Dimenstein e a Catraca Livre já foram diversas vezes vítimas das milícias digitais do MBL com as …
3
03:04
O real motivo do ataque de Bolsonaro ao filme de Bruna Surfistinha
Jair Bolsonaro decidiu atacar o filme realizado por Deborah Secco sobre a ex-prostituta Bruna Surfistinha. Motivo oficial: o filme, usando …
4
02:13
Entenda os desdobramentos do caso Tabata Amaral no PDT
O PDT suspendeu a deputada federal Tabata Amaral e outros sete parlamentares que votaram a favor da reforma da Previdência, …
5
02:03
Incêndio em estúdio de animação em Japão deixa dezenas de mortos
Dezenas de pessoas morreram durante um incêndio criminoso que tomou conta do estúdio de animação da Kyoto Animation, na cidade …
6
02:19
Barragem abandonada corre risco de rompimento no interior de SP
Uma matéria publicada pelo G1 alerta para o risco de rompimento da barragem de água em Iaras, no interior de …
7
02:30
O que significa a gargalhada de Caetano Veloso?
Um vídeo do cantor Caetano Veloso gargalhando está viralizando nas redes sociais. O motivo da piada é a entrevista que …
8
01:51
Site ‘Não me Perturbe’ permite bloquear ligações de telemarketing
A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) lançou o Não me Perturbe, site que permite bloquear ligações de telemarketing. O sistema …