Vice de Bolsonaro diz que país herdou a ‘malandragem’ do negro

O general Hamilton Mourão participou de seu primeiro evento público como postulante à vice-presidência da República

Por: Redação
Jair Bolsonaro e seu candidato a vice, genral Hamilton Mourão
Crédito: ReproduçãoHamilton Mourão foi anunciado como vice de Jair Bolsonaro no domingo, 5

Em seu primeiro evento público como postulante à vice-presidência da República na chapa com Jair Bolsonaro (PSL-RJ), o general da reserva Hamilton Mourão afirmou que o Brasil herdou a “indolência” dos povos indígenas e a “malandragem” dos negros africanos.

A fala de Mourão foi proferida durante participação em uma reunião-almoço da Câmara de Indústria e Comércio de Caxias do Sul, cidade da Serra Gaúcha.

O candidato a vice criticou ainda o que ele chamou de “complexo de vira-lata” que acomete o povo brasileiro e, ao se referir à “malandragem” dos africanos, Hamilton Mourão pediu desculpas ao vereador Edson da Rosa (MDB), que é negro, e também compunha a mesa de autoridades presentes no evento.

“E o nosso Brasil? Já citei nosso porte estratégico. Mas tem uma dificuldade para transformar isso em poder. Ainda existe o famoso complexo de vira-lata aqui no nosso país, infelizmente”, iniciou ele.

“Nós temos que superar isso. Está aí essa crise política, econômica e psicossocial. Temos uma herança cultural, uma herança que tem muita gente que gosta de privilégio. Mas existe uma tendência do camarada querer aquele privilégio para ele. Não pode ser assim. Essa herança do privilégio é ibérica”, continuou o general.

“Temos uma certa herança da indolência, que vem da cultura indígena. Eu sou indígena. Meu pai é amazonense. E a malandragem, Edson da Rosa [vereador negro], nada contra, mas a malandragem é oriunda do africano. Então, esse é o nosso cadinho cultural. Infelizmente gostamos de mártires, líderes populistas e dos macunaímas”, completou Mourão.

Em outros pontos de seu discurso, Hamilton Mourão afirmou que “intervenção militar não é varinha mágica” e se mostrou favorável à democracia.

1
Bolsonaro deixa o PSL para fundar um novo partido político
O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta terça-feira, 12, que vai deixar o Partido Social Liberal (PSL) após quase dois anos …
2
Entenda a crise política na Bolívia em 8 minutos
Após 13 anos no poder, o presidente boliviano Evo Morales renunciou ao cargo no último domingo, 10, em meio a …
3
DPVAT e INSS: os impactos das medidas de Bolsonaro para a população
O presidente Jair Bolsonaro assinou duas medidas provisórias (MPs) que prometem mudar a vida dos brasileiros. O anúncio foi feito …
4
O retrato da violência doméstica no Brasil
Cerca de 13 mulheres são assassinadas todos os dias no Brasil.  Em uma conta rápida, isso significa 4.750 mortes por …
5
O ambicioso plano de Paulo Guedes para a economia do Brasil
“Transformar o Estado Brasileiro” é o que pretende o ministro da Economia, Paulo Guedes, com o pacote de ações que …
6
O que acontecerá com Lula e outros presos após a decisão do STF?
Por 6 votos a 5, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu mudar o entendimento sobre a prisão de condenados em …
7
03:52
No Brasil, 13,5 milhões de pessoas vivem na pobreza extrema
Dados da última edição da Síntese de Indicadores Sociais do IBGE, que analisa a qualidade de vida da população, mostra …
8
03:58
Por que o câncer do prefeito de SP está cada vez mais comum ?
Diagnosticado com um tumor no sistema digestivo, aos 39 anos, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), apresenta um …