Stories Collective a revista criada por duas brasileiras para o mundo

A versão impressa da revista já foi comercializada em São Paulo, Berlim, Londres e Nova York

Por: Redação
Ouça este conteúdo

Mariana Lourenço, 34 anos, e Gabriela Splendore, 31, são duas brasileiras que trabalham com criação de conteúdo para projetos globais, seja de publicidade, editorial ou relacionados ao universo da arte. Ambas atingiram reconhecimento internacional ao se dedicarem a unirem artistas do mundo todo para contribuírem para uma revista impressa e online em que elas mesmas fundaram chamada Stories Collective, onde atualmente também assumem os cargos de editoras.

Até o momento a versão impressa da revista já foi comercializada nas cidades de São Paulo, Berlim, Londres e Nova York e, claro, a versão online está disponível mundialmente para o acesso gratuito. As edições reúnem assuntos relacionados a arte, moda, design e cultura urbana, sempre trazendo notícias do universo cultural em dois idiomas, o português e o inglês. Em um bate papo exclusivo com a Catraca
Livre, Mariana e Gabriela nos contaram que a criação da revista só foi possível devido ao ProAC (Programa de Ação Cultura), um programa de investimento em projetos culturais realizado através de concursos regulamentados na forma de editais em que empresas oferecem patrocínio para os projetos selecionados e aprovados.

Crédito: Breno da MattaGabriela Splendore (esquerda) e Mariana Lourenço (direita)

Leia abaixo o que a Mariana e a Gabriela nos contaram:

Como nasceu o projeto da Stories Collective?
Nos conhecemos em Londres durante um mestrado em Produção de Mídia de Moda na London College of Fashion em 2011. Na época sentíamos falta de um espaço para mostrar o nosso trabalho, e decidimos em 2014 criar nossa própria plataforma digital colaborativa com a intenção de mostrar não só o nosso trabalho mas também de outros jovens talentos da área de moda, fotografia, design e cultura em geral.

Desde o começo nós sonhávamos em transformar a plataforma em uma revista impressa, mas somente em 2018, através do programa de incentivo à cultura ProAC, conseguimos buscar o patrocínio necessário para a concretização deste projeto. Além da revista, montamos também uma exposição em uma galeria de arte em São Paulo com curadoria dos trabalhos referente ao mesmo tema da edição impressa. Vale mencionar que o ProAC ainda existe, sendo um programa de incentivo a cultura no estado de São Paulo que permite que empresas direcionam uma % do ICMS para projetos culturais.

O que a revista Stories Collective quer dizer ao mundo

A essência do Stories Collective é a colaboração sem fronteiras através da internet em um mundo globalizado. Além disso, para cada edição, digital ou impressa, definimos um tema e trabalhamos em cima da inspiração escolhida. Na revista impressa, fazemos uma curadoria de profissionais que estão se destacando em suas respectivas áreas, seja um fotógrafo com um conceito inovador para um editorial ou um pesquisador com uma idéia disruptiva para o desenvolvimento de novas tecnologias sustentáveis. Em 2018, nossa edição “Art in Motion” abordou temas como a união da arte com a moda, a produção de conteúdo possibilitada pela tecnologia, design thinking, narrativas transmidiáticas, entre outros temas
relacionados. Já em 2019, na edição “Imagining the Future”, propusemos uma conversa de como nossos colaboradores imaginavam o futuro, seja ele um futuro mais sustentável ou apocalíptico, ou até mesmo um êxodo para o campo ou megalópolis dominadas pela tecnologia.

Reunindo artistas do mundo todo

A essência da Stories Collective sempre foi reunir artistas e criativos do mundo todo, as vezes recebendo um editorial fotografado na Europa por um fotógrafo japonês, mas enviado posteriormente para um designer no Brasil concluir o layout. Nossa ideia sempre foi ser uma plataforma global que visasse conectar pessoas do mundo todo via a internet. O talento e a criatividade não podem ter limites e a globalização acaba resultando positivamente neste processo criativo.

Onde encontrar a Stories Collective

A edição impressa é distribuída gratuitamente durante a exposição que acompanha o seu lançamento, e depois disto vendemos a revista em alguns pontos estratégicos de São Paulo, Nova Iorque, Berlin e Londres. E claro, uma versão online mais reduzida e estrategicamente selecionada é disponibilizada gratuitamente no nosso site para o acesso global.

A versão impressa e a digital são diferentes, porém alguns conteúdos da versão impressa são publicados online, como as entrevistas, por exemplo.

Compartilhe: