Últimas notícias:

Loading...

10 recursos para lidar com o autismo na escola de forma criativa

Por: Renata Penzani

Lidar com o autismo na escola de forma verdadeiramente inclusiva e atenta às particularidades de cada criança pode ser uma tarefa complexa. Pensando nisso, o blog Lagarta Vira Pupa preparou um compilado de práticas simples de inserir na rotina da sala de aula para incluir crianças com autismo e respeitar os limites de cada uma, contribuindo para uma melhor dinâmica de ensino.

O primeiro passo é entender que uma criança autista – como qualquer outra – possui diversas formas de se comunicar. Para elas, em geral, e linguagem visual comunica melhor do que as outras. Portanto, vale investir em mais imagens e ilustrações em seu aprendizado. Confira as dicas:

1. Quadro de rotina

Antecipação costuma resolver grande parte dos comportamentos indesejados de uma criança autista. Se ela não se dá bem com muita informação, divida o quadro entre “manhã” e “tarde”. Vá tirando do quadro as atividades que já foram completadas. Se ainda assim for muito, você pode usar o “primeiro” e o “depois”.

Um calendário que organize as atividades do dia, como este que o blog Lagarta Vira Pupa compartilhou, pode sistematizar a rotina da criança em sequências de tarefas fáceis de assimilar.
Um calendário que organize as atividades do dia, como este que o blog Lagarta Vira Pupa compartilhou, pode sistematizar a rotina da criança em sequências de tarefas fáceis de assimilar.

2. Recursos visuais para tarefas

Esses devem ser colados no local onde a criança vai fazer a tarefa ou atividade.

Orientações que podem ser colocadas na mesa das crianças facilitam o entendimento do próximo passo a seguir: "sente na cadeira", "não faça barulho" ou "lave as mãos" são algumas delas.
Orientações que podem ser colocadas na mesa das crianças facilitam o entendimento do próximo passo a seguir: “sente na cadeira”, “não faça barulho” ou “lave as mãos” são algumas delas.

3. Rotulando coisas

Parece bobo, mas esse recurso simples pode ajudar a criança a relacionar objeto e imagem e, além disso, vai facilitar para que ela siga instruções verbais.

Um recurso simples para organizar os objetos de uso diário dos pequenos com autismo.
Um recurso simples para organizar os objetos de uso diário dos pequenos com autismo.

4. Recursos visuais para comportamentos esperados

"O que pode fazer" X "O que não pode fazer": um recurso simples e didático para estabelecer limites.
“O que pode fazer” X “O que não pode fazer”: um recurso simples e didático para estabelecer limites.

5. Recursos sensoriais

Para as crianças que buscam muitos estímulos sensoriais, é essencial ter umas pausas de vez em quando para suprir essa necessidade. Aí, elas podem se regular e voltar ao “trabalho”. Que tal fazer um cantinho sensorial, ou cestinha sensorial?

Cestinha com brinquedos sensoriais que a criança pode usar para se acalmar.
Cestinha com brinquedos sensoriais que a criança pode usar para se acalmar.
Garrafas sensoriais fáceis de fazer podem se tornar grandes aliadas na hora de conectar a criança com ela mesma e o tempo presente.
Garrafas sensoriais fáceis de fazer podem se tornar grandes aliadas na hora de conectar a criança com ela mesma e o tempo presente.

6. Estabelecendo o perfil da criança

Criar um perfil de cada pequeno é fundamental, afinal, professores e educadores vão e vêm. Auxiliares também. Esse recurso ajuda os profissionais que acabaram de chegar a ter um rápido entendimento das particularidades de cada criança.

"Sobre mim", "Do que eu gosto", "O que me chateia", "Habilidades", "Coisas que me ajudam": estes são alguns dos itens indispensáveis no perfil de cada criança. O recurso ajuda a estabelecer vínculos e conectar o professor com as necessidades de cada criança.
“Sobre mim”, “Do que eu gosto”, “O que me chateia”, “Habilidades”, “Coisas que me ajudam”: estes são alguns dos itens indispensáveis no perfil de cada criança. O recurso ajuda a estabelecer vínculos e conectar o professor com as necessidades de cada criança.

7. “Timer”: ensinando a passagem do tempo

Existem vários modelos de “timer”. O importante, quando você for começar a usar, é que a criança ganhe algo que goste muito logo que aabar o tempo que ela deve esperar.

8. Recursos pedagógicos

Ensinar o mês e o dia. Você pode fazer tudo com velcro e guiar as mãos da criança para preencher o mês e o dia certos em um quadro criado por você.

Ensinar a escrever o nome

Quadro de nome para crianças que ainda não aprenderam a escrever.
Quadro de nome para crianças que ainda não aprenderam a escrever.
Opção para crianças que já sabem escrever o próprio nome.
Opção para crianças que já sabem escrever o próprio nome.

Ensinar tamanhos

Potes etiquetados com as palavras "pequeno" e "grande" e objetos de diferentes tamanhos podem ser um recurso para ensinar as crianças sobre proporção.
Potes etiquetados com as palavras “pequeno” e “grande” e objetos de diferentes tamanhos podem ser um recurso para ensinar as crianças sobre proporção.
Forminhas de gelo e massinha de modelar também podem ajudar a aprender sobre tamanho.
Forminhas de gelo e massinha de modelar também podem ajudar a aprender sobre tamanho.

9. O quadro de recompensas

É possível fazer um quadro de recompensas baseado em valores “imaginários”, como os tokens (modelo utilizado pela escola de Andrea, do Lagarta Vira Pupa). A partir dele, a criança tem que “trabalhar” mais para receber as recompensas de que gostam mais.

O recurso do quadro de recompensas ensina os pequenos sobre o valor agregado em cada atividade.
O recurso do quadro de recompensas ensina os pequenos sobre o valor agregado em cada atividade.

10. Pinterest

Para quem não conhece, é um site que recolhe imagens da internet inteira. Basta você digitar uma palavra-chave daquilo que procura para ter acesso a um repertório imenso de referências e ideias. Por isso, é um ótimo recurso para buscar referências de ferramentas amigas da inclusão do autismo na sala de aula.

Uma busca por palavras-chave simples como "escola", autismo" e "criança" traz um retorno significativo de referências, ideias e práticas.
Uma busca por palavras-chave simples como “escola”, autismo” e “criança” traz um retorno significativo de referências, ideias e práticas.


*Com informações de Lagarta vira pupa

Leia mais:

Compartilhe: