Escolher espanhol no Enem pode ser uma cilada

Parece muito fácil, mas existem os falsos cognatos, palavras que, apesar da grafia semelhante, possuem significados diferentes

Por: Redação
Ouça este conteúdo

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) possui 180 questões. Dessas, apenas cinco são perguntas de língua estrangeira. Pela semelhança com o português, muitos caem na cilada de achar que o espanhol é uma língua mais fácil do que o inglês… e acabam com notas menores.

De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), 60% dos candidatos escolhem a língua espanhola no Enem. Em todo o Brasil, a média de acerto em inglês é de 45%, em espanhol o número cai para 34%.

O Enem requer compreensão de texto, e isso não é diferente com as questões de língua estrangeira. Para fazer a prova em espanhol, o estudante deve ter domínio semântico e lexical, conhecer as funções da linguagem e ser capaz de interpretar textos, charges e tirinhas –um prato cheio para os falsos cognatos (parece, mas não é).

Para quem confia “en su dominio del idioma español”, mas ficou em dúvida, veja, abaixo, duas questões que caíram no Enem de 2019:

A palavra clave, repetida diversas vezes na tirinha de Gaturro, leva o leitor a uma reflexão sobre o(a):

A – uso exaustivo das tecnologias na vida moderna.

B – qualidade de vida alcançada com os avanços tecnológicos.

C – praticidade da utilização dos códigos tecnológicos e sociais.

D – necessidade de aprender a utilizar as novas tecnologias.

E – quantidade de informações necessárias para resolver problema.


Reflexiones sobre la xenofobia en Europa

La xenofobia es una lacra que se resiste como el peor de los cánceres a lo largo de las últimas décadas, al punto que el escritor portugués José Saramago se llegó a preguntar: “¿Cómo ha sido posible encontrarnos con esta plaga de vuelta, después de haberla creído extinta para siempre, en qué mundo terrible estamos finalmente viviendo, cuando tanto habíamos creído haber progresado en la cultura, civilización, derechos humanos y otras prebendas…?” Qué hacer para mitigar ésta desesperada y abominable situación, es la clave que nos debe preocupar de forma urgente en la sociedad, ya que el sistema global económico y político parece algo mucho más complejo de cambiar a corto o medio plazo. La solución — en el sentir más extendido entre de la masa social pensante europea — pasa por la educación. La educación ha de orientarse hacia el fomento de la interdependencia y la cooperación entre los pueblos para favorecer la universalidad, el reconocimiento recíproco de las culturas y una síntesis sociocultural nueva. Dicho de otra manera, es preciso promover la idea de la diversidad cultural, la igual validez de todas las culturas, el interés por otras formas de ver el mundo como fuente de enriquecimiento personal y social y la presentación de la sociedad multicultural como la sociedad del futuro (Gabino y Escribano, 1990).

Disponível em: hemisferioizquierdo.uy. Acesso em: 18 ago. 2017.

Esse texto, que reflete sobre a xenofobia na Europa, defende que:

A – o multiculturalismo se apresenta como um dificultador nas relações sociais.

B – a educação intercultural deve insistir na aceitação da condição do outro.

C – o preconceito étnico é uma característica perene da sociedade europeia.

D –  o rechaço aos imigrantes é um problema solucionável a longo prazo.

E – a xenofobia seja entendida como uma doença física grave.


Crédito: Divulgação/Rede GloboBino (Stênio Garcia) e Pedro (Antônio Fagundes) em “Carga Pesada”

Então, como foi? As respostas corretas são A e B.

Quer treinar seu espanhol? Para baixar as provas e os gabaritos das provas do Enem, acesse o site do Inep.