#EuPareçoCientista: a hashtag que nos dá uma lição sobre estereótipos

Diversos profissionais da área começaram a compartilhar no Twitter seus estudos e fotos do dia a dia

Por: Redação

Em tempos em que precisamos cada vez mais valorizar a ciência e incentivar a pesquisa, a hashtag #EuPareçoCientista veio também para provar que não existe uma “cara de cientista”. Diversos profissionais começaram a compartilhar no Twitter seus estudos e fotos que rompem esses estereótipos.

Nos tuítes, os usuários mostram o dia a dia, suas viagens, detalhes que demonstram que têm vida social e, ao mesmo tempo, os trabalhos que desenvolvem em suas carreiras.

O movimento começou em inglês (#ILookLikeAScientist) e logo os brasileiros aderiram. Confira abaixo:

“Estudo o perfil epidemiológico de bactérias e fungos multirresistentes e também analiso potenciais bioativos antimicrobianos em extratos vegetais.”

“Pesquiso as bibliotecas em presídios, discutindo a leitura e a escrita como formas de resistência aos efeitos do aprisionamento.”

“Estudo novos materiais semicondutores para utilização fotoeletrocatalítica em células solares para incentivar e tornar acessível o uso da energia solar.”

“Pesquiso sobre redução de ruído em aeronaves, para que a população que mora em regiões de aeroportos não sofra mais com estresse, perda de audição, hipertensão e baixa produtividade.”

“Estudo a natureza de jatos que saem de buracos negros supermassivos no centro de galáxias.”

“Faço doutorado na USP pesquisando sobre como projetar sistemas que tenham sustentabilidade ambiental e social, por exemplo, que tenham mais eficiência energética.”

“Pesquiso sobre o potencial de metabólicos secundários de plantas com efeito carrapaticida em cepas sensíveis e resistentes do carrapato bovino.”

“Desenvolvo testes rápidos de diagnóstico para doenças negligenciadas baseados em imunossensores eletroquímicos e mapeamento de biomarcadores de saliva.”

“Estudo padrões de evolução e especiação em peixes ciclídeos.”

“Estudo nebulosas planetárias na determinação de abundância química nebular.”

“Pesquiso os efeitos de uma substância do lúpulo da cerveja, que age parecido com o estrogênio, sobre o cérebro e o comportamento de roedores.”

“Pesquiso sobre Probabilidade e Topologia Algébrica, num estudo voltado para a caracterização de sistemas dinâmicos aleatórios.”

“Pesquiso materiais ferroelétricos e antiferro para desenvolvimento de dispositivos eletrônicos.”

“Faço pesquisa na área de biofísica, aplicada ao estudo de interações de drogas com membranas modelo.”

“Desenvolvo um plástico biodegradável usando cascas de laranja que iriam para o lixo.”

Compartilhe:

1
48:28
ENEM! Aulão de história na Catraca
Em ritmo de Enem, a Catraca Live, em parceria com a SAS plataforma de Educação, realizou uma série de Lives …
2
59:42
ENEM! Aulão de português na Catraca
Em ritmo de Enem, a Catraca Live, em parceria com a SAS plataforma de Educação, realizou uma série de Lives …
3
47:47
ENEM! Aulão de matemática na Catraca
Em ritmo de Enem, a Catraca Live, em parceria com a SAS plataforma de Educação, realizou uma série de Lives …
4
04:21
Weintraub usa o MEC para tentar tirar verbete da Wikipédia do ar
Uma matéria publicada pelo jornal Folha de S. Paulo mostra que o ministro da Educação, Abraham Weintraub, usou o peso …
5
01:46
Os erros de português mais absurdos do governo Bolsonaro
A língua portuguesa não é bem o forte da gestão Bolsonaro. Vários nomes importantes do governo já escorregaram no idioma …
6
02:13
O estilista que ensina de crochê em penitenciária masculina
O projeto Ponto Firme, criado pelo estilista Gustavo Silvestre, tem como objetivo transformar a vida de detentos de uma penitenciária …
7
03:24
1ª diretora trans de uma escola pública em São Paulo
Paula Beatriz de Souza é a 1ª diretora trans de uma escola pública em Sã Paulo. Ela superou preconceitos para …
8
29s
Maior Sarau do Mundo – Vinicius Gonçalves
Participe você também do projeto do Catraca Livre que quer montar o maior sarau virtual do mundo. Clique aqui e …