Cláudia Ohana fala sobre polêmica com cães após críticas de Luísa Mell

'Sofri por ter que me afastar', disse a atriz

Por: Redação

A atriz Cláudia Ohana usou seu perfil no Instagram, nesta terça-feira, 21, para falar sobre a polêmica envolvendo os cachorros que ela adotou, no final do ano passado, após ser criticada pela ativista em defesa dos animais, Luísa Mell, na segunda-feira, por ter devolvido os cães para a ONG chamada Projeto Toca do Bicho.

Crédito: Reprodução/InstagramClaudia Ohana fala sobre polêmica com cães após críticas de Luísa Mell

A atriz inicia contando como foi a adoção dos cachorros. “Em dezembro de 2019, adotei 2 filhos de 2 meses. Infelizmente, em março, três meses depois do convívio com o Thor e com o Tigrão, a pandemia causada pelo SARS-CoV-2 chegou ao Brasil. Foi quando iniciei o isolamento em minha casa. Trancada em casa, sozinha e sem poder sair na rua pra passear com eles, me encontrei em uma situação muito difícil”.

“Em função da extensão da propagação da pandemia, diante da necessidade deles enquanto filhotes e das minhas limitações de saúde (comecei a ter crises agudas na minha coluna que comprometeram a minha mobilidade), considerei a opção de devolvê-los. Inclusive, cheguei a falar sobre isso com a Toca do Bicho”, disse Cláudia Ohana.

A atriz explicou que foi “em busca de soluções que, além de garantirem que fossem bem tratados enquanto não estivessem comigo, também permitiriam que eles tivessem espaço para correr em brincar”, contou.

Claudia Ohana ainda escreve que procurou mandá-los temporariamente para um sítio de um “amigo de longa data”, onde os animais teriam mais espaço. Porém, essa possibilidade não foi aceita pela ONG, porque o local não tinha muros e, “pelo contrato que assinei com eles, isso era proibido.”

A atriz disse, ainda, que a devolução dos cachorros durante a pandemia foi uma proposta da própria ONG.  “Depois de perceberem que talvez eu não tivesse outra opção a não ser devolver, sugeriram que os cachorros ficassem (temporariamente) o período da pandemia no abrigo, onde estariam acompanhados da mãe e dos irmãos – opção que aceitei na hora por acreditar que, certamente, lá seriam bem tratados e, inclusive, mais felizes até o momento de retornarem pra minha casa.”

Claudia Ohana revelou que passou por um processo de recuperação de saúde durante o período e que acreditava que os animais estariam bem assistidos na sede da ONG. “Acabei não ligando para saber deles por esse motivo e porque acabei me ocupando com o meu estado de saúde”.”Paralelo a isso, ainda tive que lidar com a internação na UTI de um familiar muito próximo. Não liguei para a ONG Toca do Bicho e errei, sim, por não ligar.”

Claudia Ohana disse que não quer travar nenhum tipo de “guerra” e que acredita na importância do trabalho realizado pela ONG, mas criticou a decisão de colocar os cachorros para adoção, novamente. “Até essa data, vínhamos conversando cotidianamente”, afirmou.

“Eu tenho 1,60 de altura e peso 47 quilos. Obviamente eu passei a encontrar sérias dificuldades de ordem motora para cuidar dos meus doguinhos que cresceram rapidamente e ainda não tinham passado por nenhum processo de adestramento. Confesso que não vi abandono nisso, apenas achei que era a única coisa possível de se fazer em uma situação como a minha”, disse Cláudia Ohana.

A atriz ainda disse que sente falta dos cachorros e negou que o motivo que levou ela a devolver os cachorros fosse móveis estragados. “Bens materiais a gente trabalha e compra de novo. O amor, não”. Claudia Ohana também pediu desculpas pela situação e salientou ter “esperança de encontrar uma solução, o mais rápido possível, para receber os meus dogs outra vez.”

“Sei que talvez vocês não entendam minha atitude de ter pedido para eles acolherem os meus cachorros durante a pandemia, mas só eu sei o quanto eu me esforcei para dar conta de tudo e o quanto sofri por ter que me afastar deles”, finalizou a atriz.

Compartilhe: