Ex-bailarina do Faustão diz que sofreu ataques ao pintar o cabelo

Caroline Tozaki fala sobre racismo e dos insultos que recebeu após decidir ter o cabelo loiro

Por: Redação

Caroline Tozaki, ex-bailarina do Faustão, contou em entrevista que teve de lidar com inúmeros ataques após pintar o seu cabelo de loiro. “Quando eu mudei a cor do meu cabelo, sofri vários ataques dizendo que não era para eu ser loira porque sou negra”, disse à revista Quem.

“Se aliso o meu cabelo, também me atacam. Dizem que o negro está se vitimizando, mas não estamos, é o que vem acontecendo de verdade, sofremos ataques. O racismo existe e precisa ser mudado”, completou ela.

Crédito: Reprodução/InstagramCaroline Tozaki trabalhou no no balé do “Domingão do Faustão”

Durante a entrevista, Caroline comentou dois casos recentes que envolveram duas mulheres negras na mídia: a Miss Universo Zozibini Tunzi e a atitude racista de Silvio Santos ao tirar um prêmio de uma candidata negra.

‘Eu, mulher negra, não posso frequentar certos espaços’

“No mundo artístico tivemos dois episódios que mostram as diferentes faces do preconceito: a superexposição da nova Miss Universo, usando o fato de ela ser negra como algo surreal, o que não deveria acontecer. E o episódio com o Silvio Santos, ao desmerecer uma caloura pela cor da pele.”

Assédio nas redes sociais

Todas nós mulheres sofremos assédio apenas pelo fato de ser mulher. Se você é mulher e bailarina, a situação piora. Cada vez que a gente fala sobre o assunto de assédio, ao invés de conscientizar as pessoas, parece que só faz piorar”, desabafa Caroline.

Ela conta do assédio que recebe em suas redes sociais. “Quando somos figuras públicas então, vem ainda mais assédio com mensagens no Instagram, comentários, falam do seu corpo, do cabelo, do que é e não é bonito.”

Racismo: saiba como denunciar

Racismo é crime previsto pela Lei 7.716/89 e deve sempre ser denunciado, mas muitas vezes não sabemos o que fazer diante de uma situação como essa, nem como denunciar, e o caso acaba passando batido.

Para começar, é preciso entender que a legislação define como crime a discriminação pela raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional, prevendo punição de 1 a 5 anos de prisão e multa aos infratores.

A denúncia pode ser feita tanto pela internet, quanto em delegacias comuns e nas que prestam serviços direcionados a crimes raciais, como as Delegacias de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi), que funcionam em São Paulo e no Rio de Janeiro.

No Brasil, há uma diferença quando o racismo é direcionado a uma pessoa e quando é contra um grupo. Saiba mais no link.

1
A eterna campanha para desqualificar ‘Democracia em Vertigem’
A menos de uma semana do Oscar, o documentário “Democracia em Vertigem” volta a ser alvo de ataques. Desta vez, …
2
Democracia em Vertigem é indicado ao Oscar; confira outros finalistas
Finalmente foi divulgada a lista dos finalistas ao Oscar 2020 e uma das grandes surpresas para nós brasileiros foi a …
3
Davi (ex-Banda Uó) indica seus lugares favoritos em SP
Qual a relação entre uma batalha de vogue e o bairro oriental da Liberdade? Na cidade de São Paulo vivida …
4
Cenas de machismo que não queremos ver novamente no próximo BBB
Entramos na contagem regressiva para a estreia da 20ª edição do Big Brother Brasil (BBB), prevista para ir ao ar …
5
Adoniran Barbosa ganha documentário sobre sua vida e obra
Finalmente Adoniran Barbosa ganhará uma homenagem à altura de seu talento. O documentário "Adoniran - Meu Nome É João Rubinato" …
6
Netflix: ‘O Monstro ao Lado’ mostra os caminhos tortuosos da justiça
O documentário "O Monstro ao Lado" retrata o dramático processo de julgamento de John Demjanjuk, um pacato cidadão ucraniano que …
7
‘O Irlandês’, de Scorsese, na sua sala
"O Irlandês", filme do diretor Martin Scorsese é lançado na plataforma de streaming Netflix.Com um elenco de tirar o fôlego …
8
‘Inacreditável’: a série da Netflix que veio para surpreender
A série original da Netflix "Inacreditável" é baseada em um caso real e promete te fazer maratonar os 8 episódios …