Ex-BBB Gizelly pede ação contra racismo, mas web resgata que Babu foi vítima dela

'Passou o programa inteiro perseguindo um cara negro', disparou um seguidor

Gizelly Bicalho, ex-participante do Big Brother Brasil (BBB20), da Globo, foi criticada nas redes sociais, nesta segunda-feira, 1º, após publicar um texto cobrando que as pessoas não sejam neutras diante dos casos de racismo que circulam no mundo todo nos últimos dias por divulgação da mídia.

Gizelly Bicalho foi criticada por cobrar manifestações contra racismo, após atacar Babu pelo menos motivo
Créditos: Reprodução/Globo
Gizelly Bicalho foi criticada por cobrar manifestações contra racismo, após atacar Babu pelo menos motivo

Isso porque a advogada teve comportamento racista dentro do reality show, que chegou ao fim no mês de abril.  Gizelly admitiu que, por ser branca, sabe que este não é o seu lugar de fala. Contudo, ela quis demonstrar o seu apoio à causa. A mensagem da famosa, contudo, não foi bem aceita por parte dos internautas.

“Eu jamais ficaria neutra diante do cenário mundia, das lutas antirracistas, de todos os protestos em que as pessoas só estão reivindicando o básico, respeito […] Não podemos mais aceitar, de jeito nenhum, qualquer forma de racismo”, disse.

Confira abaixo a mensagem completa de Gizelly:

Não demorou muito para que os seguidores se revoltassem contra ela e defendessem Babu, participante negro, que foi a principal vítima dos comentários da advogada dentro do programa. Para quem não se lembra, o ator foi acusado de ser vitimista ao comentar sobre as injustiças que sofre na vida por ser negro e ter menos oportunidades.

Veja algumas reações a seguir:

https://twitter.com/123a3_/status/1267448718451769344

https://twitter.com/geocaio/status/1267338104471457792

https://twitter.com/crfmyy/status/1267376853905522688

https://twitter.com/tallline/status/1267466874830426113

Racismo: saiba como denunciar

Racismo é crime previsto pela Lei 7.716/89 e deve sempre ser denunciado, mas muitas vezes não sabemos o que fazer diante de uma situação como essa, nem como denunciar, e o caso acaba passando batido.

Para começar, é preciso entender que a legislação define como crime a discriminação pela raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional, prevendo punição de 1 a 5 anos de prisão e multa aos infratores.

A denúncia pode ser feita tanto pela internet, quanto em delegacias comuns e nas que prestam serviços direcionados a crimes raciais, como as Delegacias de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi), que funcionam em São Paulo e no Rio de Janeiro.

No Brasil, há uma diferença quando o racismo é direcionado a uma pessoa e quando é contra um grupo. Saiba mais como denunciar e o que fazer em caso de racismo e preconceito neste link.