Luisa Mell agradece Bolsonaro por lei contra maus tratos e é criticada

Internautas questionaram a ativista pelo agradecimento enquanto o Pantanal arde em chamas

Por: Redação
Ouça este conteúdo

A ativista Luisa Mell utilizou suas redes sociais, nesta terça-feira, 29, para agradecer ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) por sancionar a lei que aumenta a punição a quem cometer maus-tratos contra cães e gatos no Brasil e foi criticada por internautas pelo agradecimento acontecer no mesmo momento que o Pantanal está pegando fogo, literalmente.

luisa mell bolsonaro
Crédito: Reprodução/InstagramLuiza Mel agradece Bolsonaro por lei contra maus tratos e é criticada

Em sua conta do Instagram, Luisa Melltambém além de agradecer Bolsonaro, também deu parabéns ao deputado federal Fred Costa (Patriota-MG), autor do projeto de lei.

“Hoje, terça- feira , dia 28/09/20, entra para a história da proteção de cães e gatos no Brasil. O presidente Jair Bolsonaro sancionou o PL do Deputado Fred Costa que aumenta a pena para crimes de maus-tratos a cães e gatos. Certamente ajudará diretamente nos resgates e denúncias do Instituto Luisa Mell. Parabéns deputado Fred Costa. Obrigada, presidente Jair Bolsonaro”, afirmou a ativista.

View this post on Instagram

Hj, terça- feira , dia 28/09/20 entra para a história da proteção de cães e gatos no Brasil. O presidente @jairmessiasbolsonaro sancionou o PL do Deputado @fredcostadep que aumenta a pena para crimes de maus tratos a cães e gatos. Certamente ajudará diretamente nos resgates e denúncias do @institutoluisamell Parabéns @fredcostadep Obrigada @jairmessiasbolsonaro ❤️repost @fredcostadep ・・・ AGORA É LEI !!!!!! Lugar de bandido covarde que maltrata animais é na cadeia. Quero agradecer todos simpatizantes, protetores independentes e ONGs na pessoa da guerreira ativista @luisamell Hoje é um marco , podemos comemorar. Finalmente, depois de décadas teremos justiça pelos animais!!!!

A post shared by Luisa mell (@luisamell) on

Na web, diversas pessoas questionaram o agradecimento porque a lei foi sancionada por Bolsonaro enquanto o Pantanal arde em chamas e diversos animais estão morrendo queimados, sem que aja um combate efetivo do governo federal para solucionar o problema.

Recentemente, a ativista foi até o Pantanal ajudar no combate a chamas. Por sua visibilidade com o trabalho que desenvolve em defesa dos animais, ela foi recebida pelo governador do Mato Grosso e levou as reivindicações de ongs e instituições que estão atuando, sem grande apoio do governo federal, no combate às chamas.

Luisa Mell critica Bolsonaro por queimadas no pantanal e é atacada

“Destruição, dor e morte por todos os lados. Ver a destruição do Pantanal, me destruiu tb. A natureza, tão rica, agora agoniza perante nossos olhos! A estupidez humana transformou berçários em cemitérios. Animais mortos, carbonizados são o mais triste retrato da tragédia que acontece por aqui. Os que conseguiram fugir, agora buscam desesperados por comida e água nas cinzas do que sobrou da rica floresta. A omissão do poder público em todos os níveis( Federal, Estadual e municipal)além de inaceitável, é incompreensível. Qd morre nossa fauna e flora, morre um pouco de nós tb. Irônico o país que tem nome de árvore, ainda não ter entendido a importância do meio ambiente. Destruímos ecossistemas inteiros, sem entender que fazemos parte deles. Certamente Se Pantanal fosse um banco, já teria sido salvo.” afirmou a ativista.

View this post on Instagram

Destruição, dor e morte por todos os lados. Ver a destruição do Pantanal, me destruiu tb. A natureza, tão rica, agora agoniza perante nossos olhos! A estupidez humana transformou berçários em cemitérios. Animais mortos, carbonizados são o mais triste retrato da tragédia que acontece por aqui. Os que conseguiram fugir, agora buscam desesperados por comida e água nas cinzas do que sobrou da rica floresta. A omissão do poder público em todos os níveis( Federal, Estadual e municipal)além de inaceitável, é incompreensível. Qd morre nossa fauna e flora, morre um pouco de nós tb. Irônico o país que tem nome de árvore, ainda não ter entendido a importância do meio ambiente. Destruímos ecossistemas inteiros, sem entender que fazemos parte deles. Certamente Se Pantanal fosse um banco, já teria sido salvo.” Luisa Mell, Pantanal, Setembro 2020 @izanpetterle

A post shared by Luisa mell (@luisamell) on

Luisa Mell tem adotado tom crítico ao presidente Jair Bolsonaro e ao ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.  Há poucos dias, Luisa Mell criticou o governo por revogar medidas de proteção ao meio ambiente. “Acabei de saber que esta loucura foi aprovada!!!!!!! MPF (Ministério Público Federal) socorro! Estou em um jejum religioso( dia do perdão no judaísmo) Mas Infelizmente o governo não tira folga na destruição do meio ambiente. Amigos, isto é muito, muito sério. Coloca em risco os manguezais que são berçários, coloca em risco a restinga e assim a reprodução de tartarugas! Pelo amor de Deus, eu imploro, me ajudem a impedir esta loucura. Escrevam para o @jairmessiasbolsonaro”, escreveu a ativista.

View this post on Instagram

Acabei de saber que esta loucura foi aprovada!!!!!!! MPF socorro!Estou em um jejum religioso( dia do perdão no judaísmo) Mas Infelizmente o governo não tira folga na destruição do meio ambiente. Amigos, isto é muito, muito sério. Coloca em risco os manguezais que são berçários, coloca em risco a restinga e assim a reprodução de tartarugas! Pelo amor de Deus, eu imploro, me ajudem a impedir esta loucura. Escrevam para o @jairmessiasbolsonaro repost @andre_trigueiro ・・・ Acorda Brasil! Salles convocou para esta segunda-feira, 28/9, às 10h, uma reunião do Conama para que seja votado, em caráter de urgência, a revogação de resoluções que: 1) protegem a vegetação de restinga, manguezais e a Mata Atlântica. 2) protegem as áreas em torno de reservatórios artificiais. Essas medidas favorecem empreendimentos imobiliários. Além disso, também nesta segunda-feira, Salles deseja suspender o licenciamento ambiental de projetos de irrigação e autorizar a incineração de resíduos de agrotóxicos em fornos de cimento. Tudo isso em regime de urgência, sem o devido debate e aprofundamento técnico. Há um ano, Salles reduziu por decreto a participação da sociedade civil no Conama. O número total de assentos passou de 96 para 23, e o governo federal passou a ter o controle absoluto das votações. A então Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, tentou anular o decreto de Salles. O assunto foi parar no STF e aguarda apreciação da ministra Rosa Weber. Enquanto isso, a BOIADA CONTINUA PASSANDO! Que absurdo tudo isso!

A post shared by Luisa mell (@luisamell) on

O agradecimento que Luisa Mell fez a Bolsonaro por ter sancionado a lei que aumenta pena para quem cometer maus tratos, foi interpretado como exagero da ativista.

“É Luisa Mell, tem que fazer post e mandar coraçãozinho pro Bolsonaro por ele ter apenas sancionado uma lei. O cara tá deixando queimarem o país de ponta a ponta, vai extinguir algumas espécies, mas como ele sancionou um projeto do congresso tem que fazer homenagem mesmo”, escreveu um internauta. Veja a repercussão:

Após as críticas, também houve aqueles que defenderam a ativista. Confira: