Morte por aborto em A Dona do Pedaço abala público da Globo

Internautas exaltaram a importância de abordar um assunto tão grave em rede nacional

Por: Redação | Comunicar erro

Edilene, personagem de Cynthia Senek em “A Dona do Pedaço”, da Globo, morreu nesta semana por complicações de um aborto feito em uma clínica clandestina, a mando de Otávio (José de Abreu), dono da casa onde trabalhava como empregada doméstica.

A jovem tinha um caso com o patrão e acabou engravidando. Ele, por sua vez, a obrigou a interromper a gravidez. A cena repercutiu nas redes sociais, visto que o fato se repete com tantas mulheres no Brasil diariamente.

Crédito: Reprodução/TV GloboEdilene (Cynthia Senek) morreu em “A Dona do Pedaço”, por complicações de um aborto feito em uma clínica clandestina

Diversos internautas elogiaram a cena e a abordagem da emissora de levar ao horário nobre um assunto tão preocupante para a sociedade. A própria atriz se manifestou após a despedida da personagem.

“Obrigada, Walcyr Carrasco [autor] e Amora Mautner [diretora] por confiarem em mim para um papel tão delicado e especial, cheio de mensagens como essa, que eu como atriz e ser humano adoro experienciar. Mais uma personagem para meu currículo que me fez aprender e mudar de opinião sobre muita coisa. Edilene se foi, mas nos deixou com um ótimo tema para dialogar: o aborto. Independente de qual seja a sua escolha, o fato é que ele acontece todos os dias. Sendo mais precisa, a cada minuto é realizado um aborto no Brasil. O aborto ser proibido ou não, não faz com que ele não seja praticado. 500 mil mulheres por ano abortam no Brasil. Cada um de nós passa por diversas dificuldades em nossas vidas e cabe somente a nós escolhermos o que é melhor ou não”, afirmou no textão.

Cynthia também usou seus stories para responder perguntas de seus seguidores. Em uma das respostas, ela diz que mudou de opinião sobre as mulheres que decidem abortar.

“Graças a Deus não precisei passar por esse momento para entender o que essas mulheres passam. Estudando sobre isso cheguei a essa decisão. Quem se apoia na embriologia [parte da biologia que estuda a formação de órgãos], é um estágio muito inicial da gravidez. Não existe coração batendo nesse período. Em outros países, um aborto nesse período nem é considerado aborto”, declarou.

A atriz respondeu ainda a um seguidor que questionava se, ao se liberar o aborto no Brasil, as pessoas iriam diminuir os níveis de prevenção à gravidez: “Todas as pesquisas mundiais estão aí para provar que isso é um mito. Quando se descriminaliza algo, o índice diminui”.

Confira a repercussão no Twitter após a cena ir ao ar:

1 / 8
1
06:15
Marvel aposta em representatividade para seus próximos lançamentos
O painel da Marvel Studios no palco do Hall H, o maior auditório da San Diego Comic-Con, foi um dos …
2
03:58
Netflix: ‘Cuba e o cameraman’ registra a história nua e crua de Cuba
"Cuba e o Cameraman", de 2017, disponível na Netflix, é um registro de centenas de horas de gravações feitas por …
3
03:56
Netflix: ‘Capitão Fantástico’ é inspiração para a família toda
Chegou na Netflix o filme “Capitão Fantástico”, que faz sucesso entre adultos e crianças. Você vai se inspirar com a história …
4
05:57
15 memes imperdíveis sobre o governo Bolsonaro
Já ouviu falar em deep fake? A tecnologia usada para colocar o rosto de uma pessoa em outra em um …
5
05:57
Netflix: ‘Olhos que condenam’, quando a justiça não é cega
"Olhos que condenam" é uma minissérie com 4 episódios que conta a história real de um dos maiores e mais …
6
02:59
A origem dos filmes da Disney
No vídeo de hoje, a nossa correspondente Taty Leite, do Canal Vá Ler um Livro, conta sobre como os filmes …
7
01:17
Conheça as obras de Robert Mapplethorpe
O jornalista Gilberto Dimenstein foi ao museu Guggenheim, em Nova Iorque e comenta a carreira do fotógrafo Robert Mapplethorpe, que …
8
03:04
Netflix: comédia argentina fala sobre arte e amizade
O cinema argentino nos brinda com mais um grande filme, disponível agora na Netflix. “Minha obra-prima” é um filme para …