MP solicita à Justiça que André Valadão responda pelo crime de homofobia

"Eles podem ir para um clube gay ou coisa assim, mas na igreja não dá", disse o cantor ao responder seguidor que questionava a presença de gays no templo

Por: Redação
Ouça este conteúdo

Nesta última quinta-feira, 15, veio a público que o Ministério Público Federal encaminhou à Justiça uma queixa-crime realizada por entidades civis contra o cantor e pastor evangélico, André Valadão, membro da família Valadão, que praticou homofobia. Em declaração nas redes sociais no começo deste ano, ele afirmou que as igrejas não são lugar para pessoas LGBTQIA+.

MP solicita à Justiça que André Valadão responda pelo crime de homofobia
Crédito: Reprodução/InstagramMP solicita à Justiça que André Valadão responda pelo crime de homofobia

Foi protocolado em 29 de setembro pela ABMLBT (Associação Brasileira de Mulheres Lésbicas, Bisexuais, Travestis e Transexuais) e pelo GADvS (Grupo de Advogados pela Diversidade Sexual e de Gênero) uma solicitação de abertura de uma ação penal contra Valadão, pelo crime de homofobia.

Foi colocado na denúncia pelas associações que ele “reafirmou um cenário de subjugação, inferiorização, desumanização e exclusão dessas pessoas [LGBTQIA+] dentro de ambientes religiosos, proferindo um discurso de intolerância”.

Ainda no documento é apontado que, Valadão, por ser uma grande líder religioso, pode influenciar pelo menos 90 mil membros da Igreja Batista da Lagoinha, em Belo Horizonte, e sendo assim um agravante ao crime de homofobia.

A decisão de abertura da ação agora está nas mãos da Justiça.

Relembre o caso

No começo de setembro deste ano, André Valadão, irmão da cantora evangélica, Ana Paula Valadão, foi questionado por um seguidor anônimo em sua conta do Instagram sobre o que ele achava de um casal gay frequentar a igreja. “Dois rapazes que são membro da igreja estão namorando, expulsa eles? Ou deixa [eles] na igreja?”, perguntou o internauta ao cristão.

O artista, membro da Igreja Batista, respondeu que a igreja tem um princípio bíblico e que a prática homossexual é considerada pecado. “Eles podem ir para um clube gay ou coisa assim, mas na igreja não dá. Esta prática não condiz com a vida da igreja. Tem muitos lugares que gays podem viver sem qualquer forma de constrangimento, mas na igreja é um lugar para quem quer viver princípios bíblicos”, escreveu Valadão.

André Valadão diz que gays não podem frequentar igreja evangélica
Crédito: Reprodução/InstagramAndré Valadão diz que gays não podem frequentar igreja evangélica

Finalizando a postagem homofóbica, ele ressaltou que não é sobre “expulsar homossexuais”, e sim deles terem que encontrar os seus devidos locais. “Não é sobre a igreja expulsar, é sobre entender o lugar de cada um”, disse.

Por que devemos lutar contra homofobia?

Desde junho de 2019, é previsto por lei que homofobia é considerado crime no Brasil. O ato criminoso é punido através da Lei de Racismo (7716/89), que hoje prevê crimes de discriminação ou preconceito por “raça, cor, etnia, religião e procedência nacional”. Infelizmente, atualmente ainda existem pessoas que tem preconceito contra à comunidade LGBTQIA+ e que renegam a existência da classe na sociedade.

Compartilhe: