Patrícia Poeta alfineta convidado no Encontro após fala polêmica

A declaração do convidado sobre bonecas negras desagradou, inclusive, os internautas

Por: Redação
patrícia poeta encontro
Crédito: Reprodução/TVGloboPatrícia Poeta alfinetou participante após declaração polêmica

O Encontro desta terça-feira, 20, abordou questões de racismo em comemoração ao dia da consciência negra e acabou polemizando após a apresentadora Patrícia Poeta se mostrar incomodada e até alfinetar um convidado da atração após resposta do mesmo sobre diversidade racial nos brinquedos.

Na ocasião, Poeta, que está temporariamente substituindo Fátima Bernardes no comando do matinal da TV Globo, deu início ao quadro “Repondo O Quê?” que abordou perguntas feitas por crianças referente à diversidade ou, mais necessariamente, à falta de diversidade.

Uma das perguntas dizia: “Por que só tem um colega negro na minha sala?”, no que o participante, identificado como William, respondeu: “As crianças são diferentes. Pode ter um negro, pode ter um japonês. Pode ser um mais claro, um polonês, não importa a quantidade que tem, importa que tem crianças diferentes dentro da escola com você”, declarou.

Outro questionamento trazia a seguinte ponderação: “Eu vi muitas bonecas na loja, mas por que todas são brancas?”.

Novamente, William respondeu: “Porque talvez você foi na loja errada. Porque tem muitas lojas que têm [bonecas negras]… Você viu aquela loja que a gente passou que tinha uma boneca que parecia uma japonesinha? Outra loja era especializada em bonecas europeias? Então depende da loja que você passou, mas existem bonecas de várias cores, várias nacionalidades”, opinou.

Aparentemente incomodada, Patrícia Poeta alfinetou o convidado e disse: “William foi na loja errada ou tem um desequilíbrio nas lojas?”.

O participante tentou se justificar, assumiu que existe um desequilíbrio, mas ressaltou que a pergunta foi desconcertante. Por fim, ele salientou que suas filham não se importam com a cor de suas bonecas.

Uma outra convidada do Encontro, identificada como Andressa, respondeu a William dizendo “achar ótimo quando você fala que a criança escolhe independente da cor. Eu que tenho uma vivência preta percebo que meus pares, e minhas crianças – quando digo minha, eu tenho uma filha só, mas crianças pretas são minhas – a gente não escolhe independente da cor e aí já começa a questão da cor”, argumentou.

Por fim, um terceiro convidado pediu a palavra e disse: “Vivemos o racismo eugênico, que ensinou que o Brasil precisava se branquear. As bonecas são o reflexo de como esse país viveu o processo de embranquecimento e se esqueceu que 55% da população é negra”, afirmou.

Fato é que as declarações de William acabaram repercutindo na web e desagradando os telespectadores que repercutem o programa nas redes sociais.

Confira:

Consciência Negra

Por que um jovem negro morre a cada 23 minutos? Por que são sempre os negros as vítimas dos tiros acidentais disparados nas periferias do Brasil? Afinal, o que leva um jovem negro a ter quase três vezes mais chance de ser assassinado do que um jovem branco?

O Dia da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro, propõe um diálogo sobre a situação da população afro-brasileira nos dias atuais. Em meio a um exercício que se faz necessário diariamente, a Catraca Livre traz à luz do debate dados e informações sobre a herança dos mais de 300 anos de escravidão, cuja maior consequência está refletida no racismo institucionalizado da rotina e o mito da democracia racial.

Veja a matéria completa no link abaixo:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.