Últimas notícias:

Loading...

Qual o cachê dos artistas que se apresentarão na Virada Cultural de SP?

O dinheiro público gasto em shows está entre os questionamentos atuais dos cidadãos após o superfaturamento de cachês pagos a sertanejos

Por: Redação

Foi revelado o cachê que será pago aos artistas que se apresentam na Virada Cultural de SP, que acontece nos próximos dias 28 e 29 de maio, sábado e domingo. O mega evento, criado em 2005, ocorre 24 horas sem parar com exposições de arte, musicais, peças de teatro, shows e outras atividades ligadas à cultura.

Quanto será pago aos artistas que se apresentarão na Virada Cultural de SP?
Crédito: Reprodução/InstagramQual o cachê dos artistas que se apresentarão na Virada Cultural de SP?

Começando por quem está mais no topo: Barões da Pisadinha tem um dos maiores cachês entre os artistas que se apresentarão e vão ganhar R$ 300 mil da Prefeitura de São Paulo.

Em seguida, vem a maior drag queen do momento, Gloria Groove deve embolsar R$ 250 mil pelo show no evento. Na sequência vem Ludmilla com R$ 222 mil e Luísa Sonza com R$ 200 mil. O grupo de rap Planet Hemp vem logo atrás com R$ 175 mil. Diogo Nogueira, Criolo e Kevin O Cris receberão o mesmo valor: R$ 120 mil.

Lista dos cachês

Barões da Pisadinha – R$ 300.000,00
Gloria Groove – R$ 250.000,00
Ludmilla – R$ 222.000,00
Luísa Sonza – R$ 200.000,00
Planet Hemp – R$ 175.000,00
Ferrugem – R$ 140.000,00
Margareth Menezes – R$ 128.000,00
Criolo – R$ 120.000,00
Djonga – R$ 120.000,00
Kevin o Chris – R$ 120.000,00
Diogo Nogueira – R$ 120.000,00
Thaeme & Thiago – R$ 120.000,00
Pitty – R$ 116.000,00
Jorge Aragão – R$ 116.000,00
Vitor Kley – R$ 80.000,00
Pocah – R$ 80.000,00
Sidney Magal – R$ 75.000,00
Orquestra Bachiana Filarmônica SESI – R$ 60.000,00
Zeca Baleiro – R$ 60.000,00
Rael – R$ 50.000,00
Maneva – R$ 50.000,00
Rincon Sapiência – R$ 50.000,00
Karol Conká – R$ 40.000,00
Vitão – R$ 30.000,00
Tássia Reis – R$ 27.500,00
Mariana Aydar – R$ 25.000,00
Ana Cañas – R$ 23.000,00

Discussão sobre cachês pagos com dinheiro público

Desde que Zé Neto, da dupla com Cristiano, decidiu atacar Anitta e a Lei Rouanet em show que foi pago com dinheiro público, uma grande discussão sobre como está sendo usado os recursos públicos para shows no Brasil começou a se formar pelas redes sociais.

Assim como a dupla, envolvida na polêmica, paga por prefeituras nos interiores do país, está sendo descoberto que outros cantores da mesma área musical estão cobrando valores exorbitantes em municípios minúsculos e que mal tem investimento para outros setores defasados como educação, saúde e segurança.

Um desses casos é de Gusttavo Lima, que está sendo investigado, junto com Prefeitura de São Luiz, pelo Ministério Público de Roraima. O cantor recebeu R$ 800 mil por realizar um show na cidade, que fica a 275 quilômetros de Boa Vista, capital do estado.

Um dos fatores que fez o Ministério Público instigar o começo de uma investigação foi o fato do sertanejo receber a bolada justamente do município com menor PIB do estado, com um pouco mais de 8 mil habitantes. É como se adultos e crianças da cidade precisassem pagar R$ 100 para suprir o cachê cobrado pelo artista.

Outra questão levantada pelo MP foi sobre o retorno financeiro dado ao evento que tinha Gusttavo Lima como principal cantor. No caso de São Paulo, de acordo com o Observatório de Turismo da Prefeitura, o impacto econômico gerado pela Virada Cultural em 2019, a última vez que aconteceu, foi de  R$ 235 milhões .

Compartilhe:

?>