Informar

Energia vegana é produzida com vento e luz solar

Companhia do Reino Unido certificada por associação internacional assegura que seus produtos são livres de qualquer insumo de origem animal

Por: Redação

A constatação pode ser um choque para os veganos, mas é real: muitas empresas de energia passam a converter subprodutos agrícolas e resíduos alimentares em eletricidade ou biogás, criando, assim, mais uma fonte de substituição necessária para quem não consome qualquer tipo de produto de origem animal. Mas, ufa, já há quem ofereça soluções para essa questão – caso de uma companhia do Reino Unido chamada Ecotricity, que fornece energia vegana.

Para chegar a esse nível de comprometimento, a Ecotricity se associou à The Vegan Society, organização global que defende a causa, para dar ainda mais credibilidade a seu processo de produção e ser a primeira companhia certificada de fornecimento de energia vegana do Reino Unido.

Trata-se de um passo além da chamada energia verde. Esta se caracteriza por ser gerada a partir de fontes renováveis e não fósseis, como a solar e a eólica. Essas origens, no entanto, não asseguram que suas empresas fornecedoras não façam uso de algum tipo de insumo de origem animal.

Clique aqui e conheça o projeto As Melhores Soluções Sustentáveis.

A energia vegana vai te dar uma luz livre de qualquer insumo de origem animal
Crédito: Reprodução/EcotricityA energia vegana vai te dar uma luz livre de qualquer insumo de origem animal

A Ecotricity, por sua vez, assegura que sua eletricidade é 100% verde, ou vegana. Para tanto, é totalmente produzida por turbinas de vento e fazendas de energia solar, conjuntos de painéis fotovoltaicos instalados em campos ou áreas rurais.

Metade da energia que a empresa fornece provém da produção própria. A outra metade é adquirida de companhias que obedecem aos mesmos princípios de geração de energia vegana.

Em seu site, a Ecotricity permite que os consumidores do Reino Unido simulem os gastos de substituição da energia de fontes tradicionais pela 100% verde certificada.

Leia também: Tênis é feito de fungos e garrafas PET recicladas

Curadoria: engenheiro Bernardo Gradin, presidente da GranBio e especialista em soluções sustentáveis.