Apps de comida: como ter equilíbrio diante de um cardápio infinito

O comer por disponibilidade é uma armadilha, que pode ser contornada

Por: Marcela Kotait

Com certeza em algum momento você deve ter terceirizado seu almoço ou jantar fazendo pedidos a um restaurante ou lanchonete. É quase impossível conhecer alguém hoje que não tenha instalado em seu celular algum aplicativo de delivery de comidas. E para muita gente esse gesto vem também cheio de culpa, já que, com a ponta dos dedos, conseguimos escolher o que bem desejamos: de comida árabe à comida japonesa; de pizza a hambúrguer. A oferta é tão grande que desperta em muitos o comer por disponibilidade, isto é, o comer automático e sem planejamento. Mas, como conseguir conviver com os aplicativos e manter uma alimentação verdadeiramente saudável?

app de comida
Crédito: Filadendron/istockConfira dicas para evitar o comer por disponibilidade

Percebemos que o hábito de cozinhar aumentou durante os meses de isolamento social, mas também explodiram os pedidos via aplicativo de delivery. E com um cardápio infinito vem junto a possibilidade de escolher algo que jamais faríamos em casa, ou que não compraríamos em uma situação corriqueira, tornando o momento da escolha complicado. Já ouvi de muitos pacientes que o tempo de navegação no aplicativo para escolher a refeição chega até a ser maior do que o tempo que se leva para comer o pedido. Há pacientes, por sua vez, que usam os aplicativos quase como um passatempo: ficar navegando pelas diversas opções parece ser hipnotizante, fazendo com que a experiencia gastronômica e o remorso comecem ainda durante o processo de escolha.

O pior, sem dúvida, é a culpa que vem junto com o motoboy. Como a maioria das opções tem alta densidade energética, muita gente acaba comendo e se arrependendo depois. O que era para ser uma ocasião especial acaba trazendo profundo sofrimento. Como podemos transformar essa experiência, fazendo com que esses momentos sejam realmente prazerosos? Algumas dicas podem te ajudar.

A primeira e mais importante é a de planejar a refeição; ou seja, escolher um dia e uma situação em que você consiga comer com calma, aproveitando o pedido. A segunda é a de escolher sua comida favorita, ou aquela que você tem bastante curiosidade em provar. Nada de comprar pelo preço: as famosas promoções de “dois por um” podem acabar te incentivando a comer qualquer coisa e em uma quantidade maior do que a desejada, desrespeitando o seu sinal físico da saciedade. A terceira dica é a mais simples de todas, mas não necessariamente a mais fácil: permita-se! Comer algo diferente de vez em quando não vai interferir no seu peso, ou te tornar uma pessoa menos saudável.

Como já disse várias vezes neste espaço, uma alimentação verdadeiramente saudável é aquela que é equilibrada, na qual todos os alimentos podem fazer parte, além de envolver uma escuta atenta aos sinais físicos de fome e saciedade. Dessa maneira, comer de vez em quando algo escolhido via aplicativo também pode compor uma maneira leve e prazerosa de se alimentar.

Texto escrito pela nutricionista Marcela Kotait.