CORONAVÍRUS
Tudo o que você precisa saberÚltimas notícias e tudo que você precisa saber

Chegada do inverno exige cuidados especiais com a saúde

Por: Silvia Melo

É durante a época mais fria do ano que é registrado um aumento no número de casos de doenças respiratórias. Gripes, resfriados, sinusites, rinites e por aí vai. Alguns dos fatores que favorecem a transmissão dessas doenças é a aglomeração de pessoas em um mesmo ambiente fechado, além do tempo seco que facilita a entrada de vírus e bactérias vias aéreas.

Desidratação também é outro agravante. Nos dias frios, as pessoas naturalmente sentem menos sede e diminuem o consumo de água. Com o corpo desidratado, o indivíduo fica menos resistente, já que o sistema imunológico precisa do líquido nas suas reações de defesa.  Mas vale lembrar que a hidratação não é feita só com água. Frutas, verduras, legumes e sucos também são bem-vindos.

Para ajudar a enfrentar as baixas temperaturas sem incômodos, a médica pneumologista do Seconci-SP (Serviço Social da Construção), dra. Marice Ashidani, dá algumas dicas de prevenção. “Lavar as mãos frequentemente e manter distância de ambientes com muitas pessoas e pouca circulação de ar são as principais formas de evitar doenças”, orienta a médica.

Ela também destaca os cuidados neste período para trabalhadores da construção civil, que ficam expostos a ambientes frios e úmidos: “É muito importante manter o corpo em conforto térmico, em ambiente seco e temperatura estável”, alerta.

Outra dica importante é espalhar vasilhas com água pela casa para amenizar o clima seco, lavar roupas guardadas antes de vestir e trocar periodicamente cobertores por edredons.

Confira algumas características e sintomas de doenças do sistema respiratório que têm maior incidência durante o inverno:

Resfriado: é mais leve, dura menos tempo e não costuma causar febre, exceto em crianças. Os principais sintomas são coriza, tosse seca ou com secreção clara, obstrução nasal, espirros, dor na garganta e indisposição. Costuma durar de 5 a 7 dias, porém os sintomas podem perdurar por 2 semanas. Dificilmente evolui para um quadro mais grave.

Tratamento: analgésicos, descongestionantes nasais, umidificador de ar e interrupção do tabagismo, além de ingestão hídrica.

Gripe: causa febre, normalmente acima de 38ºC, principalmente nas crianças. A pessoa fica com dor de cabeça, dores pelo corpo, mal-estar e perde o apetite. Pode durar 2 semanas, mas o período de contágio, em geral, perdura por 1 a 2 dias após o final da febre. É causada pelo vírus Influenza e pode evoluir para pneumonia. Propaga-se em ambientes semifechados e no contato com pessoas infectadas.

Tratamento: repouso, ingestão hídrica, alimentação, analgésicos, antitérmicos e antivirais.

Sinusite: inflamação dos seios paranasais, causada por vírus, bactérias ou alérgenos (poeira, ácaros). Caracteriza-se por dor facial, sensação de pressão na face, congestão nasal, secreção nasal, febre, dor de cabeça.

Tratamento: suspensão do tabagismo, inalação de vapor d´água, descongestionantes, analgésicos, antibióticos e corticoides.

Rinite alérgica: caracteriza-se por espirros, coriza, tosse seca, lacrimejamento, prurido nasal e em faringe. É causada por exposição a poeira, odores fortes, fumaça e poluição.

Tratamento: retirada dos fatores causais, antialérgicos, descongestionantes e corticoides.

Laringites e faringites: inflamação da laringe e da faringe que obstrui a passagem do ar pela garganta. Pode ser causada por vírus, bactérias e alérgenos. Causa desconforto na garganta, dificuldade para respirar/engolir, febre e tosse seca.

Tratamento: anti-inflamatórios, analgésicos, antitérmicos e antibióticos.

Pneumonia: infecção bacteriana aguda do parênquima pulmonar (alvéolos). Causa febre, calafrios, dor torácica, falta de ar, tosse produtiva e mal-estar geral.

Tratamento: antibióticos e, em alguns casos, hospitalização.

Asma: obstrução ao fluxo de ar causada por contração dos brônquios provocada por inflamação reativa a substâncias alergênicas. Caracteriza-se por chiado, falta de ar, desconforto torácico e grande esforço para respirar.

Tratamento: broncodilatadores, corticoide.

Compartilhe:

1
Coronavírus: conheça novos sintomas que podem indicar que você está com covid-19
Se você acompanha o noticiário sobre o novo coronavírus com certeza já deve ter ouvido falar sobre os principais sintomas …
2
Depressão: tudo o que precisamos saber sobre a doença
Não se trata de frescura e nem de preguiça. Depressão é uma doença grave e incapacitante que atinge mais de …
3
Cloroquina vs coronavírus: o que a ciência diz sobre o uso do medicamento
Da noite pro dia a cloroquina que é usada principalmente no tratamento contra a malária e algumas doenças reumatológicas, se …
4
Barato: yoga online para você praticar em casa na quarentena
O que você tem feito para aliviar a pressão da quarentena? Você tem colocado o seu corpo em movimento?  Se …
5
4 dicas essenciais para você fazer home office na quarentena
Teve que transformar a sua casa em um ambiente de trabalho por conta da quarentena causada pelo coronavírus? Então, este …
6
Coronavírus: entenda o colapso do sistema de saúde e funerário do Equador
Quanto mais avança a contaminação pelo mundo, mais cenas trágicas e impactantes a pandemia de coronavírus acaba criando. Como é …
7
O que a ciência e o Ministério da Saúde pensam sobre o coronavírus
Este Giro Catraca Livre vai ser um pouquinho diferente. Ao invés da gente mergulhar num tema e tentar traduzir ele …
8
Estádios e centros de eventos viram hospitais temporários pelo país
Para aumentar a oferta de atendimento médico para os pacientes da covid-19, hospitais de campanha estão sendo construídos em estádios …