Como rever a sua relação com a comida em 2020

Essa mudança pode ser o que falta para sua lista de objetivos dos próximos anos ser finalmente repleta de desejos atingíveis e prazerosos

Por: Marcela Kotait

Em todo início de ano, o desejo de emagrecer se faz presente no pensamento da maioria das pessoas. Já foi o tempo em que a dieta da sopa estava na moda; depois, veio a dieta da USP (que não era da USP!), ou a dieta do abacaxi. Há ainda quem tenha feito a dieta da ração humana, ou a do suco detox.

Mas a ideia desse texto não é relembrar que dietas restritivas e malucas não funcionam – isso eu já fiz aqui para a Catraca Livre ao longo de 2019. O objetivo é gerar uma reflexão sobre sua lista de prioridades para 2020.

comida na mesa
Crédito: Enviromantic/istockEscute o seu corpo e os sinais que ele dá, em vez de tentar emagrecer a qualquer custo

É quase unanimidade que nessas listas de ano novo estejam objetivos como o de emagrecer ou tornar-se “fitness”. Sabendo que 95% das pessoas que desejarem isso – e que tentarem por meio de dietas restritivas – falharão, essa lista provavelmente perdurará por muitos e muitos anos, no conhecidíssimo “ciclo de dietas”. Em outras palavras, o incômodo gerado pelo peso corporal gera a busca por dietas restritivas, que, por sua vez, resultam em emagrecimento de maneira inadequada, muitas vezes com adoção de comportamentos transtornados, levando-se depois à recuperação do peso perdido.

Então, para o ano que começa, sugiro que você coloque energia não em uma nova tentativa de emagrecimento a qualquer custo, mas sim, em escutar seu corpo e os sinais que ele te dá.

Que tal refazer sua lista de ano novo com algumas dicas? Tente entender os sinais do seu corpo quando você sente fome. Da mesma forma, escute-o quando sentir-se saciado, ao invés de pular refeições e excluir grupos alimentares. Escolha um exercício físico prazeroso, no lugar de ir à academia pensando em queimar calorias.

Resgate o prazer em comer, sem sentir culpa e o medo de alguns alimentos.

Obviamente, a criação de uma nova rotina alimentar requer dedicação, seriedade, persistência e comprometimento. Mas a mudança da relação com a comida pode ser o que falta para sua lista de objetivos dos próximos anos ser finalmente repleta de desejos atingíveis e prazerosos.

Texto escrito pela nutricionista Marcela Kotait.

Compartilhe:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.