Últimas notícias:

Loading...

Covid-19 pode manifestar sinais na língua, alerta estudo

Manchas, feridas e inchaço foram observados em pacientes com a doença

Por: Redação
Ouça este conteúdo

A covid-19 tem sido associada a várias manifestações cutâneas, como manchas avermelhadas ou arroxeadas, principalmente nas extremidades do corpo. O que pouco tem sido falado é de alterações na língua, que também estariam ligadas ao novo coronavírus.

De acordo com um estudo espanhol publicado no British Journal of Dermatology, um em cada quatro pacientes diagnosticados com a doença apresenta sinais na língua. Além de manchas, também foram relatados inchaço e feridas. Alguns pacientes ainda reclamam de queimação na boca.

sinais de covid-19 na língua
Crédito: British Journal of DermatologySinais de covid-19 na língua

O estudo foi realizado com 666 pacientes em um hospital de Madri, na Espanha, entre os dias 10 e 25 de abril de 2020. Os participantes tinha idade média de 55 anos.

No geral, 304  nossos pacientes (45,7%) apresentaram uma ou mais manifestações mucocutâneas. As alterações na cavidade oral foram observados em 78 casos (25,7%).

A alteração lingual mais comum observada na pesquisa foi a papilite lingual transitória, uma inflamação temporária que causa inchaço da superfície da língua.

Mais de 6% dos pacientes tinham glossite, inflamação ou infecção que altera a coloração da língua e também pode causar inchaço.

Outros indicativos de covid-19

Os pesquisadores ainda observaram outras manifestações comuns entre os pacientes. Um em cada 10 doentes apresentou erupções cutâneas nas palmas das mãos ou na planta dos pés. Além disso, tinham sensação de queimação, vermelhidão e descamação.

Apesar desses achados, os cientistas reconhecem que o estudo tem algumas limitações. “Em primeiro lugar, incluímos apenas pacientes com pneumonia e covid-19 leve a moderada e não podemos fornecer dados sobre doenças de pele em pacientes assintomáticos ou com formas mais graves de covid-19. Em segundo lugar, todos os pacientes eram adultos e a prevalência de achados mucocutâneos pode ser diferente em crianças. Em terceiro lugar, como nosso trabalho foi realizado em um período de 2 semanas, podemos ter perdido manifestações cutâneas anteriores ou tardias de covid-19”, dizem os autores.

Estudos anteriores já tinham observado essas manifestações cutâneas e outra menos comuns. Confira no link abaixo:

Compartilhe: