CORONAVÍRUS
Loading...
Últimas notícias e tudo que você precisa saberAtualizando informações
Infectados-
Mortes-
Recuperados-

Jovem encontra forma simples para impedir ataques de pânico da namorada

Tática usada ajuda a desviar a atenção às sensações do corpo, diminuindo o pânico

Por: Redação

Uma usuária do Tumblr dividiu com os seu seguidores uma técnica simples que seu namorado utilizou para ajudá-la a lidar com os ataques de pânico que sofria. Ela contou que estava prestes a passar por mais uma crise quando ele sugeriu a ela que colocasse um cubo de gelo na boca. Apesar de estranhar inicialmente, ela seguiu a orientação e disse que a tática funcionou.

A explicação que o namorado deu a ela é que a sensação fria na boca tiraria sua atenção da situação ansiosa que ela estava vivenciando, a trazendo de volta ao mundo físico e à realidade.

cubo de gelo ajuda a impedir ataque de pânico
Crédito: Tomch/istcokCubos de gelo tiram o foco das sensações físicas desconfortáveis durante o ataque de pânico

Durante os ataques de pânico, a ansiedade fica muito elevada e a tendência é a pessoa prestar demasiada atenção aos sintomas físicos que vão aparecendo, como palpitações cardíacas, sudorese e falta de ar. Por isso, desviar o foco em situações assim podem funcionar, segundo a psicóloga clínica Gabriela Lumi, da Flows Psicologia.

“Essa técnica que essa pessoa criou pode gerar nela uma distração do foco das reações corporais que o ataque de pânico causa, diminuindo então essa sensação do pânico e normalizando os batimentos e as demais sensações” explica.

A tática, segundo a especialista, é parecida com uma usada em casos de pacientes que se mutilam. Só que nesse caso específico, a pessoa segura um cubo de gelo para que haja um foco de dor e liberação de neurotransmissores. “Na prática, ajuda a pessoa a regular a emoção intensa, pois o gelo causa dor, mas sem lesionar a pessoa. Portanto, ocorre uma mudança fisiológica nela.”

Ataque de pânico

O ataque de pânico é um transtorno de ansiedade que se caracteriza por episódios inesperados, em que a pessoa pode experimentar um sentimento intenso de medo. Esses episódios podem ser acompanhados por sintomas físicos, como palpitações cardíacas, sudorese e falta de ar, além de visões distorcidas da realidade.

Segundo estatísticas, esse transtorno é mais comum entre as mulheres e também entre os jovens, com idades entre 15 e 30 anos.

Acredita-se que que uma combinação de fatores pode estar associada aos ataques de pânico, entre eles, a predisposição genética, histórico de traumas, efeito colateral de medicamentos e acúmulo de tensões.

O ataque de pânico não é necessariamente a mesma coisa que síndrome de pânico. O primeiro é um evento único, que pode ocorrer esporadicamente. Já a síndrome do pânico é quando há ocorrência de ataques repetidos.

A psicoterapia e, em alguns casos, os medicamentos podem ajudar pacientes que enfrentam crise de ansiedade e de ataques de pânico. Além disso, existem outras maneiras simples e emergenciais que também podem ser úteis em algumas situações. Veja abaixo:

Outras dicas contra ataques de pânico

  • Respirar lenta e profundamente
  • Se refugiar em um local tranquilo, longe de multidão e muito barulho
  • Usar a técnica Grounding, que consiste em focar na respiração e identificar:5 coisas que você pode ver;
    4 coisas que pode tocar;
    3 coisas que você pode ouvir;
    duas coisas que você pode cheirar;
    1 coisa que você sentir gosto.

Compartilhe:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.