Últimas notícias:

Loading...

Ouvir esta música reduz a ansiedade em até 65%, segundo a neurociência

Segundo cientista, a música produziu um estado de relaxamento maior do que qualquer outro som testado até hoje

Por: Redação
Ouça este conteúdo

A respiração é uma das mais poderosas armas contra a ansiedade, mas a neurociência constatou que a música também desempenha um papel fundamental. Nada tão novo porque, durante séculos, as culturas indígenas usaram a música para aumentar o bem-estar e melhorar as condições de saúde, porém, agora os cientistas descobriram uma melodia específica é capaz de reduzir a ansiedade.

Segundo uma pesquisa feita por cientistas do Mindlab International, os voluntários que foram expostos à música “Weightless”, do grupo Marconi Union, tiveram uma redução impressionante de 65% na ansiedade geral.

E há uma razão para a música ter surtido tanto efeito. É que ela foi criada justamente para isso, com a ajuda de terapeutas de som.

As harmonias e ritmos cuidadosamente organizados ajudam a desacelerar a freqüência cardíaca do ouvinte e a reduzir a pressão arterial e os níveis do hormônio do estresse cortisol.

música contra ansiedade
Crédito: Ilmar Idiyatullin/istockCiência descobre música capaz de reduzir 65% da ansiedade

O estudo foi conduzido em participantes que tentaram resolver quebra-cabeças difíceis o mais rápido possível enquanto estavam conectados a sensores. Os quebra-cabeças induziram um certo nível de estresse, e os participantes ouviram diferentes canções enquanto os pesquisadores mediam a atividade cerebral, bem como os estados fisiológicos que incluíam frequência cardíaca, pressão arterial e frequência respiratória.

De acordo com o Dr. David Lewis-Hodgson da Mindlab International , que conduziu a pesquisa, a música produziu um estado de relaxamento maior do que qualquer outra música testada até hoje.

Conheça a música no link abaixo:

Ansiedade

A ansiedade é uma reação normal. Ela é um mecanismo do nosso cérebro que serve para nos alertar em situações adversas e desconhecidas. Este mecanismo nos deixa alerta e também nos dá a chamada “descarga de adrenalina” para enfrentar situações adversas inesperadas.

Porém, ela torna-se patológica quando é exagerada, sendo caracterizada pela “preocupação excessiva ou expectativa apreensiva”, persistente e de difícil controle.

Nesses casos, o nível de ansiedade é desproporcional aos acontecimentos geradores do transtorno, causa muito sofrimento e interfere na qualidade de vida e no desempenho familiar, social e profissional dos pacientes. Leia mais aqui.

No link abaixo, também há dicas para manejar as crises de ansiedade.

Compartilhe: