Coronavírus: Saiba o que fazer se você tem viagem marcada

Confira as recomendações das companhias aéreas, marítimas, agências de viagem e sites de hospedagens

Por: Redação

A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) afetou o mercado global de viagens, levando a restrição de circulação de pessoas em alguns países –caso da Itália—e ao cancelamento de voos em todo o mundo.

Mas o que fazer se você tem viagem marcada para alguns dos mais de 100 países que registraram mortes ou casos confirmados da doença?.

Crédito: XiFotos/iStockTudo sobre o coronavírus e as recomendações para quem tem viagem marcada

Diante deste cenário, muitas companhias aéreas, de cruzeiros marítimos e operadoras de turismo estão oferecendo alternativas ao consumidor que deseje cancelar ou adiar a viagem.

A Catraca Livre lista abaixo algumas orientações de como proceder em caso de cancelamentos de passagens aéreas, pacotes de viagem ou cruzeiros marítimos. A orientação do Procon-SP em todos os casos é primeiro tentar negociar com a empresa.

Passagens aéreas

Se você tiver viagem marcada para algum destino com número elevado de casos do coronavírus (China, Coreia do Sul, Itália ou Irã, por exemplo), não se preocupe. As principais companhias aéreas estão remarcando e até mesmo cancelando os bilhetes. E o melhor, de forma gratuita (confira no final do texto o posicionamento de algumas empresas).

Crédito: DivulgaçãoAs principais companhias aéreas estão remarcando e até mesmo cancelando os bilhetes

É importante esclarecer que a alteração ou o cancelamento de passagens aéreas por iniciativa do passageiro estão sujeitos às regras contratuais da tarifa adquirida, ou seja, é possível que seja cobrada diferença de tarifa e aplicadas eventuais multas.

De todo modo, o passageiro com viagem para destinos afetados pelo coronavírus pode consultar sua empresa aérea sobre a existência de eventuais políticas flexíveis de remarcação ou de reembolso das passagens aéreas.

Cruzeiros marítimos

Para quem tem viagem de navio marcada pelo Brasil ou no exterior é bom ficar atento. As principais empresas do setor estão mudando os itinerários dos cruzeiros e revendo as políticas de cancelamento de viagens por conta do coronavírus.

Algumas empresas estão devolvendo o dinheiro ou oferecendo créditos para os clientes que pretendem remarcar as viagens.

Crédito: DivulgaçãoAs principais empresas do setor estão mudando os itinerários dos cruzeiros e revendo as políticas de cancelamento de viagens

A Costa Cruzeiros está oferecendo o cancelamento gratuito e sem penalidade para as reservas novas e individuais feitas no período de 9 de março a 30 de abril. O cancelamento é válido para os cruzeiros internacionais com embarques a partir de 1.º de maio e para todos os roteiros previstos na temporada 2021 no mundo, incluindo as viagens pela América do Sul e as travessias Brasil-Itália pelos navios Costa Fascinosa, Costa Luminosa e Costa Pacifica.

Royal Caribbean permite, desde o dia 6 de março, que os hóspedes cancelem qualquer cruzeiro com partida até 31 de julho, até 48 horas úteis antes do embarque. O cliente recebe uma carta de crédito no valor da multa prevista no contrato, que pode ser utilizada em qualquer cruzeiro com partida em 2020 ou 2021. A medida vale até 31 de dezembro de 2021 para todos os portos em que se dê o embarque.

MSC Cruzeiros tornou mais rigorosa a triagem pré-embarque desde o último dia 9, incluindo a proibição de acesso aos navios a quem viajou por qualquer parte da Itália nos últimos 14 dias. A regra abrange até quem passou por aeroportos dessas regiões. Os clientes com reservas nos cruzeiros cancelados na Itália receberão um voucher no valor do seu cruzeiro atual, que poderá ser resgatado em qualquer cruzeiro futuro durante 2020 e 2021.

A Uniworld River Cruises e o U River anunciam mudanças nas regras de cancelamento de viagens. Os clientes com viagem marcada a partir de 1º de maio terão a opção, até 30 dias antes da partida, de cancelar o cruzeiro.  As empresas informaram que irão reter apenas US$ 200 por pessoa, quantia que poderá ser utilizada em uma próxima viagem em um prazo de até cinco anos.

Além disso, quem esteve na China, Coreia do Sul, Irã e Itpalia por um período de 14 dias antes do início do cruzeiro não poderá embarcar, assim como aqueles que mantiveram contato próximo ou ajudou a cuidar, pelo mesmo período de tempo, alguém com suspeita ou diagnosticado com Covid-19.

A Norwegian Cruise Line está oferecendo 100% de crédito para quem cancelar o cruzeiro (até 30 de setembro) com apenas 48 horas de antecedência. Isto é: se você desistir de viajar porque ainda está com medo do Covid-19, poderá usar o crédito em qualquer outro cruzeiro da companhia até 31 de dezembro de 2022.

Pacotes de viagem

A recomendação do Procon-SP é que o consumidor que tem viagem marcada para algum país com surto de coronavírus, procure os fornecedores de sua viagem. Nestes casos, o órgão orineta que essas empresas efetuem a alteração sem custo adicional para o consumidor.

O Procon-SP sugere ainda que o consumidor entre primeiro em contato direto com o fornecedor e tente negociar. Caso não haja acordo, ele deverá fazer uma reclamação online no site do órgão.

A Abav (Associação Brasileira de Agências de Viagens) informou que está discutindo diretamente com os fornecedores de passagens e hospedagens para que eles facilitem “remarcações ou reembolso, sem custo, aos passageiros que não se sentirem confortáveis em viajar neste momento”.

Hospedagem

Consumidores com hospedagens marcadas pela Airbnb para Itália, China continental e Coreia do Sul podem solicitar o cancelamento ou reembolso do serviço sem cobrança, respeitando as datas de reservas determinada pela empresa para cada localidade.

Em nota, o Airbnb informou que está atualizando a medida regularmente conforme as recomendações da OMS (Organização Mundial da Saúde). Nesta quarta-feira, 11, anunciou o programa “Reservas Mais Flexíveis”, um conjunto de ferramentas desenvolvidas para facilitar o cancelamento de hospedagens.

A Booking.com informou que está oferecendo cancelamento gratuito ou modificação da reserva para pessoas viajando para as áreas mais afetadas.

Posicionamento das companhias aéreas

Air Canada

A Air Canada oferece opções aos passageiros com voos para China ou Itália (ou que passem por esses países). Viajantes com voos pelos aeroportos de Milão, Bolonha, além de Torino, Verona ou Veneza podem remarcar seus bilhetes para voar até 31 de março. No caso dos voos que passam pela China, a companhia oferece reembolso integral ou remarcação para até junho. Clique aqui e veja mais informações.

Air China

A Air China é certamente a companhia mais afetada. E por isso está com uma política de alteração ou reembolso bem flexível. Boa parte dos seus voos internacionais foram cancelados. Segundo o último comunicado, podem pedir reembolso, sem custo adicional, todos os bilhetes começando com o número 999. Desde que tenham sido comprados antes de 28 de janeiro para voos pela Air China ou voos em parceria com código CA com uma data de viagem posterior a 1 de janeiro de 2020 (inclusive). Confira todas as regras aqui.

Air Europa

Passageiros com destino ou origem a Itália com bilhetes que comecem por 996, emitidos até 28 de fevereiro para viajar até 31 de março poderão mudar a data do voo, conforme a validade do bilhete. Outra opção é mudar o destino e viajar até 15 de junho para outros lugar na Europa ou África. Confira o comunicado da Air Europa.

Air France

A companhia suspendeu temporariamente seus voos para a China e Israel até 29 de março (data prevista, porém depende de uma série de fatores). As operações para a Itália serão suspensas a partir de 14 de março até 3 de abril. A empresa informou ainda que manterá um voo diário para cada um dos destinos italianos para permitir aos passageiros que desejam antecipar sua viagem. Mais informações aqui.

Alitalia

Até o momento, a Alitalia se pronunciou dizendo que tem restringido embarque de passageiros provenientes da China, Hong Kong, além de Macau e Taiwan que não tenham se submetido a um “período de quarentena” de 14 dias fora do país de risco. Porém não há nada em seu site sobre cancelamento, remarcação ou reembolso. Veja mais aqui.

American Airlines

A American Airlines está com diferentes condições para passageiros que tenham voos com partida, chegada ou conexão na Coreia do Sul, Hong Kong, China e Itália. Para cada país, uma regra. Acesse o site e entenda.

Azul

A brasileira Azul está disponibilizando reembolso para quem tem conexão em Lisboa ou Porto desde que o destino final ou origem sejam Itália.

British Airways

A British cancelou seus voos para Pequim ou Xangai até 17 de abril, oferecendo reembolso ou opções para remarcação das passagens. Para quem comprou voos para Hong Kong com embarque até 31 de maio também pode pedir remarcação para o mesmo destino, porém em outra data.

Para Itália a companhia segue operando normalmente. No entanto, oferece remarcação para quem tem viagem marcada até 15 de março para cidades do norte italiano (como Milão, Turim, Bolonha, Veneza, Bergamo e Verona). Confira o comunicado da British.

Cabo Verde Airlines

A Cabo Verde Airlines suspendeu seus voos entre o país africano e Itália até 20 de março. Os passageiros com reservas para o período que ainda não iniciaram suas viagens poderão remarcar os voos para datas posteriores, sem quaisquer penalizações, ou receber o reembolso integral do bilhete. Veja mais informações aqui.

Delta

A Delta está com políticas especiais de remarcação ou cancelamento de voo para passageiros com destino a Xangai e Pequim, na China, além de Seul, na Coreia do Sul, e Itália (todos os destinos operados no país europeu) até 30 de abril. Os bilhetes poderão ser remarcados gratuitamente para outras datas até final de maio. Veja aqui as regras.

Emirates

A Emirates cancelou todos os voos para Irã e China. Os clientes podem pedir reembolso ou mudar a data da viagem com isenção de taxa e diferença de tarifa. Já os passageiros com reservas para Singapura até 31 de março também poderão entrar em contato com a companhia para remarcar ou redirecionar seu itinerário com isenção de taxa e diferença de tarifa. Confira aqui mais informações.

Gol

A Gol, apesar de não adotar políticas específicas para a situação, reforça seguir as normas estabelecidas pelos reguladores e que  ue segue acompanhando de perto a evolução do coronavírus no Brasil, e pontua que “toda a sua equipe de atendimento está a postos para sanar quaisquer dúvidas” na sua Central de Relacionamento (0300 115 2121). Mais informações aqui.

Iberia

Devido ao impacto do coronavírus no Norte da Itália, a Iberia informa que passageiros com voos marcados para Milão, Turim, Roma ou Veneza podem remarcar gratuitamente suas passagens para até 31 de março. A remarcação sem custo vale somente para passagens compradas até final de fevereiro. Mais informações aqui.

Latam

A Latam informa que suspendeu até 16 de abril suas operações entre São Paulo e Milão. Os clientes com passagens emitidas de/para Milão poderão optar por uma das seguintes alternativas sem cobrança de taxas, dentro da validade do bilhete: Remarcação da data do voo (sem multa ou diferença tarifária); Reembolso completo (sem multa); Remarcação de origem/destino (sem multa e sujeito a diferença tarifária). Com relação aos passageiros que estão em Milão com passagem de retorno ao Brasil, a companhia se compromete a garantir o seu regresso ao país por meio de voos da Latam ou de companhias aéreas parceiras que operam esta rota.

Lufthansa

O Grupo Lufthansa, que engloba a companhia aérea alemã, Swiss e Austrian, cancelou seus voos para China até 24 de abril. Para Hong Kong os voos estão sendo reduzidos. Se você tem viagem marcada por pedir alteração da data da viagem ou reembolso gratuitamente. Confira aqui.

KLM

A KLM está com seus voos para Chengdu, Hangzhou e Xiamen, na China, suspensos até pelo menos de 3 de maio. Já para Pequim e Xangai estão suspensos até 28 de março. Os voos para Hong Kong não serão realizados diariamente, mas sim a cada dois dias, até 3 de maio.

Os voos da KLM  para Milão, Veneza e Nápoles estão suspensos até 3 de abril. A empresa voará para Bolonha, Turim, Florença, Gênova e Catânia até 25 de março, uma vez por dia. De 26 de março a 3 de abril, esses voos estão suspensos. Para Roma, a frequência será de até 2 vezes por dia (também até 3 de abril). Veja aqui as informações.

Qatar Airways

A Qatar cancelou seus voos para China! Aeroportos de Pequim, Shanghai e Guangzhou tem voos cancelados até 30 de março. Já Hangzhou , Chongqing, além de Chengdu as operações seguem suspensas até 30 de abril. Passageiros com voos para essas cidades podem solicitar a remarcação ou reembolso sem custo. Confira aqui.

United Airlines

A United cancelou seus voos para a China e Hong Kong. Para quem tem voo marcado para Wuhan o reembolso está sendo feito de forma gratuita, desde que o bilhete tenha sido comprado até 21 de janeiro deste ano. Para outros destinos na China há opção de remarcar o bilhete para uma data posterior. Também há políticas de remarcação para Coréia e norte da Itália. Veja mais informações aqui.

Prevenção

Os cuidados para reduzir o risco de contrair o coronavírus são básicos e incluem lavar as mãos frequentemente com água e sabão, usar desinfetante à base de álcool e evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.

Veja outras dicas:

-Ao tossir ou espirrar é recomendado cobrir a boca e nariz;

-Não tocar mucosas de olhos, nariz e boca de outra pessoa;

-Usar lenço descartável para higiene nasal;

-Não compartilhar objetos de uso pessoal;

-Manter o ambiente ventilado;

-Ao viajar para locais com circulação do vírus tomar cuidado para não entrar em contato com pessoas doentes e animais vivos ou mortos.

ilustração ensinando o jeito de lavar as mãos
Crédito: Catraca LivreLavar as mãos é a principal recomendação para prevenir o novo coronavírus