Rotas alternativas levam a Machu Picchu por caminhos incas

‘Grande Caminho Inca’ (Qhapaq Ñan, em língua quéchua) é uma extensa rede de antigas trilhas de mais de 500 anos, utilizadas pelos incas, em países como Argentina, Chile, Peru, Bolívia, Equador e Colômbia.

Conhecido também como El Camino Principal Andino, o trajeto é considerado a coluna vertebral do antigo império dos incas e, atualmente, 30 mil km de extensão, de um total de 60 mil, são Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

Rota de Lares, um dos caminhos alternativos até Machu Picchu, no Peru

E já que todo caminho leva a Machu Picchu, nós escolhemos esse:

Terra das três faces, como um dia fora chamado por conta da geografia variada que vai do deserto a florestas amazônicas, o Peru fez das altas montanhas a sua imagem mais famosa.

O Lares Adventure, do selo Mountain Lodges of Peru, é um roteiro lodge to lodge que dura até uma semana e tem hospedagem em hotéis isolados dos Andes, em caminhos alternativos que levam até Machu Picchu.

O ‘Grande Caminho Inca’ (Qhapaq Ñan, em língua quéchua) é uma extensa rede de antigas trilhas incas de mais de 500 anos

Nesse programa multiatividades, toda noite o hóspede se reúne no hotel com o guia para escolher o roteiro do dia seguinte, com opções que incluem visitas a sítios arqueológicos menos visitados, como o de Ankasmarka; produção de tecidos, em Chinchero, no Vale Sagrado; e trilhas mais pesadas, como a impressionante Cuncani – Huacahuasi.

Na programação do Mountain Lodges of Peru, caminhos originais dos incas levam os hóspedes a endereços menos turísticos, em rotas utilizadas por moradores locais.

Vista da trilha Cuncani-Huacahuasi, uma das rotas alternativas até Machu Picchu

Recentemente, a revista estadunidense Travel & Leisure elegeu o MLP como um dos cinco melhores operadores de turismo do mundo, devido a seus roteiros alternativos para Machu Picchu e pernoites em lodges de alto padrão, erguidos em povoados tradicionais dos Andes.

Conheça os programas

Rota de Lares e Vale Sagrado

Huacahuasi Lodge, uma das hospedagens por rotas alternativas até Machu Picchu

É uma viagem pelos vales Sagrado e de Lares, em viagens que combinam traslados em van, pedaladas e trilhas. Os pernoites são feitos em lodges, conhecidos pelas jacuzzis a céu aberto com vista para os Andes.

Antes de chegar a Machu Picchu, os hóspedes passam por locais como os sítios arqueológicos espalhados pelas trilhas incas, como os de Pisaq e Ollantaytambo.

Tarifas a partir de US$ 2.400 (roteiro de 5 dias e 4 noites)

Nesse roteiro é possível participar também de rituais ancestrais, como a Pachamanca, em que a comida é preparada entre pedras aquecidas na terra.

Trilha de Salkantay

É considerada a única opção com hospedagem em lodges para quem quer chegar em Machu Picchu.

Picos nevados, como a montanha Salkantay com cerca de 6.271 metros acima do nível do mar, florestas e trilhas exigentes são os destaques desse roteiro que também tem hospedagem em lodges isolados, antes de chegar à Cidade Sagrada dos Incas.

Vista do antigo setor urbano de Machu Picchu

Com duração de cinco dias e oito horas diárias de caminhadas, o MLP criou esse roteiro para os mais exigentes, com mais tempo para apreciar a região e a gastronomia local.

No total, são nove biozonas visitadas e quatro refúgios de montanha como hospedagem.

Tarifas a partir de US$3.240,00 (roteiro de 7 dias e 6 noites).

Grand Andean Experience

Essa é uma fusão dos dois programas anteriores e tem duração de 10 dias.

Mercado de rua de Pisac, no Vale Sagrado, no Peru

Os primeiros dias são dedicados a atividades culturais, em locais do Vale de Lares e do Vale Sagrado, como os sítios arqueológicos de Pisac e Ollantaytambo.

á os sete dias seguintes são dedicados à trilha de Salkantay, passando por picos nevados, lagos de origem glacial, floresta tropical e, claro, a cidadela de Machu Picchu.

Esse roteiro acontece apenas em três datas por ano. Valores e saídas sob consulta.

Passagens aéreas grátis

Até o dia 30 de abril, o Mountain Lodges of Peru está oferecendo passagem grátis, entre o Brasil e Cusco, para quem viajar pela Rota de Lares para Machu Picchu, em junho.

A promoção é válida para aquisição dos roteiros de 5 ou 7 dias na trilha inca, entre Cusco e Machu Picchu pelo Vale de Lares.

Centro têxtil de Chinchero, no Vale Sagrado, no Peru

Para aproveitar o desconto, que será abatido do valor total do programa, basta que o viajante apresente o comprovante de compra de um ticket que não ultrapasse o valor total de 800 dólares.

* Todos os programas incluem traslados, passeios guiados com atividades a la carte, entradas, gorjetas e pensão completa.

Saiba mais

Antes de ir – Com atividades que acontecem a mais de 4 mil metros de altitude, é fundamental a aclimatação de, pelo menos, dois dias em Cusco, antes de seguir a travessia Lares Adventure.

Quando ir – A alta temporada na região vai de junho a setembro, com pico durante as férias na Europa. Já as chuvas costumam cair de novembro a abril, com maior índice de precipitações, em fevereiro.

O que levar – As manhãs e noites nos Andes costumam ser geladas, intermediadas por dias quentes e de sol forte. Por isso, leve roupas leves para as caminhadas e abrigos para os períodos mais frios. Protetor solar e repelentes são itens que não podem faltar na mala.

Em parceria com Viagem em Pauta

O Viagem em Pauta é o projeto pessoal do jornalista Eduardo Vessoni, profissional que atua com turismo desde 2008 e já colocou os pés em todos os continentes.

Este conteúdo - assim como as respectivas imagens, vídeos e áudios - é de responsabilidade do usuário viagemempauta

A Catraca Livre disponibiliza espaço no site para que qualquer interessado possa contribuir com cidades mais acolhedoras, educadas e criativas, sempre respeitando a diversidade de opiniões.

As informações acima são de responsabilidade do autor e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.