Peça ‘Van Gogh’ estende temporada em SP com 50% de desconto

Baseado nas cartas escritas ao seu irmão, o solo é um mergulho íntimo na vida do artista holandês

Por: Redação Comunicar erro
Até
24
de novembro 2019
Sábado - Domingo
Sábados, às 21h | Domingo, às 19h

Por conta do sucesso de público, “Van Gogh – A Sombra do Invisível” estendeu sua temporada no porão do teatro Viga, em Pinheiros, até 24 de novembro.

A peça é baseada nas cartas de Vincent Van Gogh (1.853-1.890) escritas ao seu irmão Théo e leva o público a um mergulho íntimo na fase mais devastadora e criativa do artista holandês.

Van Gogh – A Sombra do Invisível
Van Gogh – A Sombra do Invisível @Van Gogh – A Sombra do Invisível
Van Gogh – A Sombra do Invisível
Van Gogh – A Sombra do Invisível @Van Gogh – A Sombra do Invisível
Van Gogh – A Sombra do Invisível
Van Gogh – A Sombra do Invisível @Van Gogh – A Sombra do Invisível
Van Gogh – A Sombra do Invisível
Van Gogh – A Sombra do Invisível @Van Gogh – A Sombra do Invisível
Van Gogh – A Sombra do Invisível
Van Gogh – A Sombra do Invisível @Van Gogh – A Sombra do Invisível
Van Gogh – A Sombra do Invisível
Van Gogh – A Sombra do Invisível @Van Gogh – A Sombra do Invisível

Para você viver essa experiência cênica e intensa, tem desconto de 50% para todas as apresentações, aos sábados, às 21h, e aos domingos, às 19h.

Para garantir seu ingresso pela metade do preço, é só clicar aqui, escolher a data e, no campo dos ingressos, aplicar código promocional CATRACAVANGOGH. Pronto, agora é só finalizar a compra.

Vale ressaltar que o espaço é pequeno, apenas 46 lugares, justamente pensado para proporcionar uma sensação de intimidade com o personagem. Por conta disso, os ingressos podem se esgotar rapidamente.

O solo interpretado pelo ator e diretor João Paulo Lorenzon expõe – sem reservas – sentimentos hostis e sombrios, vazios, medos e dores profundas do aclamado artista. Ao revelá-los, abre espaço para o sonho, para o desejo e para a vasta produção incompreendida que, anos depois, foi altamente consagrada.

“Van Gogh foi um incompreendido, mas levanta questões atemporais, como as que vivemos na sociedade dos dias de hoje”, afirma o ator.

O clima criado pela diretora Helena Fraga e por João Paulo é intensificado sob a luz sombria de Lúcia Chedieck e o cenário criado por Walter Manfio e Alice Rocha, que também assina a pesquisa e supervisão dramatúrgica.

Quer mais desconto? Pega aqui: