‘Achei que fosse morrer’, diz mulher que acusa médium de abuso

14ª vítima diz que João de Deus passava a mão por todo o seu corpo, inclusive nos seios e na genitália

Por: Redação
médium joão de deus abuso sexual
Crédito: Reprodução/TV AnhangueraNovas denúncias aparecem contra o médium João de Deus

O médium João de Deus, conhecido internacionalmente, enfrenta acusações de abuso sexual durante os atendimentos espirituais na Casa Dom Inácio de Loyola, na cidade de Abadiânia, em Goiás (GO). Neste domingo, o jornal O Globo ouviu, com exclusividade, a 14ª vítima a denunciar o espírita.

A gaúcha de 36 anos contou ao jornal que o abuso aconteceu durante uma sessão de cura. “Ele me colocou deitada em um colchão no chão e foi me acariciando, toda hora eu abria os olhos. Então perguntei quem era a entidade que estava ali e ele me disse de maneira rude: é Joaquim. Depois, perguntei a outras pessoas quem era esse Joaquim e ninguém sabia, ele inventou esse nome. Ele passava a mão por todo meu corpo, inclusive nos meus seios e na minha genitália, passava muito a mão nas minhas pernas e dizia: “Você vai ver como vai melhorar. Eu preciso te curar, relembra”

Esse caso, aconteceu por volta de 2013 e, segundo ela, a sessão de limpeza espiritual durou cerca de meia hora. A mulher disse que não reagiu durante o abuso porque sentiu medo. “Eu pensava que era parte do tratamento, mas quando ele me colocou no corredor, eu achei que fosse morrer, porque ele se esfregava em mim. Foi muito sujo, muito traumático. (…) Quando eu estava de costas para ele, pressionada contra a parede, ele pegou minha mão, colocou nas partes íntimas dele e rebolava. Só de te falar isso me embrulha o estômago, eu fico com raiva”.

A onda de denúncias contra o médium João de Deus veio a tona depois que uma reportagem foi exibida no programa “Conversa com Bial”, da Globo, na madrugada deste sábado (8). Os relatos de abuso são parecidos com o citado acima.

“Existe um sistema. A primeira coisa é vire de costas, eu vou te curar. Existe um padrão (…) Você é manipulada a acreditar na cura”, declarou Zahira Leeneke Maus, coreógrafa holandesa, a única que aceitou se identificar para a matéria.

Em nota, a assessoria de imprensa de João de Deus afirmou que “rechaça veementemente qualquer prática imprópria em seus atendimentos”: “Há 44 anos, João de Deus atende milhares de pessoas em Abadiânia, praticando o bem por meio de tratamentos espirituais. Apesar de não ter sido informado dos detalhes da reportagem, ele rechaça veementemente qualquer prática imprópria em seus atendimentos”.

Leia mais sobre o caso:

Compartilhe: