Últimas notícias:

Loading...

Bolsonaro cometeu ‘atentado à saúde pública’, diz Maia

Em meio ao aumento de casos de coronavírus no país, o presidente da Câmara criticou a participação de Bolsonaro nas manifestações deste domingo, 15

Por: Redação
Crédito: Marcelo Camargo/Agência BrasilO presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), criticou o presidente Jair Bolsonaro e classificou sua participação em um ato em Brasília contra o Congresso e o Supremo Tribunal Federal (STF) neste domingo, 15, como um “atentado à saúde pública”, que contraria as orientações do seu próprio governo sobre o coronavírus.

“O presidente da República ignora e desautoriza o seu ministro da Saúde e os técnicos do ministério, fazendo pouco caso da pandemia e encorajando as pessoas a sair às ruas. Isso é um atentado à saúde pública que contraria as orientações do seu próprio governo”, escreveu Maia em seu Twitter.

Na rede social, o presidente da Câmara disse que o país sofrerá as consequências da desaceleração da economia mundial. Segundo ele, em vez do presidente criar um gabinete de crise para dar respostas à população, ele “está mais preocupado em assistir as manifestações que atentam contra as instituições”.

“O presidente da República deveria estar no palácio coordenando um gabinete de crise para dar respostas e soluções para o país. Mas, pelo visto, ele está mais preocupado em assistir as manifestações que atentam contra as instituições e a saúde da população”, criticou.

“A situação é preocupante e exige de todos nós serenidade, racionalidade, união de esforços e respeito. Somos maduros o suficiente para agir com o bom senso que o momento pede”, finalizou.



Bolsonaro ignora isolamento

O presidente Jair Bolsonaro descumpriu a recomendação de monitoramento dada por médicos do governo em razão do novo coronavírus (Covid-19) e participou de uma manifestação a favor de seu governo neste domingo,15.

Bolsonaro deixou o Palácio da Alvorada no início da tarde e percorreu de carro a Esplanada dos Ministérios. Depois, se dirigiu ao Palácio do Planalto e foi até a grade cumprimentar diversos apoiadores.

Posted by Jair Messias Bolsonaro on Sunday, March 15, 2020

Levantamento feito pelo Estadão aponta que, em 58 minutos de interação com seus apoiadores, Bolsonaro cumprimentou 272 pessoas e manuseou ao menos 128 celulares.

Segundo a reportagem, parte dos cumprimentos, nos primeiros 50 minutos do vídeo, são com “soquinhos” nas mãos das pessoas ou mesmo apertos de mãos. Já nos cinco minutos finais de interação, o presidente alcança pelo menos 80 apoiadores correndo com a mão estendida e cumprimentando várias pessoas na sequência.

Bolsonaro deixou o isolamento que deveria fazer por ter se encontrado, semana passada, com ao menos 12 brasileiros diagnosticados com Covid-19, entre eles membros da sua comitiva que viajou aos Estados Unidos, como o chefe da Secom (Secretaria Especial de Comunicação Social), Fabio Wajngarten, o senador Nelsinho Trad (PSD-MS) e o diplomata Nestor Forster.

Compartilhe: