Bolsonaro critica fechamento de shoppings e igrejas para conter coronavírus

Para o presidente, essas medidas para barrar o vírus são "providências absurdas"

Por: Redação

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a tratar a pandemia do novo coronavírus como histeria. Em entrevista ao SBT,  veiculada na sexta-feira, 20, ele mostrou-se contrário ao fechamento de igrejas e outros locais que concentram um grande número de pessoas.

“Para dar satisfação para eleitorado, governadores tomam providências absurdas, fechando shoppings, igrejas, o último refúgio das pessoas”, disse. “O pastor, o padre tem consciência das pessoas. Não pode o prefeito ou o governador dizer que não vai mais ter culto, missa.” A entrevista foi exibida no programa do Ratinho.

Bolsonaro
Bolsonaro critica fechamento de igrejas

Bolsonaro se referia a uma das ações de  João Doria, governador de São Paulo, que recomendou a suspensão de cultos e missas em igrejas e templos religiosos da região metropolitana pelos próximos 60 dias. A medida visa evitar aglomerações na tentativa de barrar a disseminação do novo vírus.



A recomendação de Doria, no entanto, não vai obrigar que esses locais fechem por completo. Segundo o tucano, as instituições podem permanecer com as portas abertas, “mas de forma limitada e ordenada”. O governador também disse confiar na responsabilidade dos líderes religiosos nesse momento.

“Gripezinha”

Ainda na sexta-feira, durante coletiva de imprensa em Brasília, ao lado de líderes do governo, inclusive o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, Bolsonaro demonstrou desdenho com a situação de risco a que todos os brasileiros estão expostos neste momento.

“Já levei facada, não é uma gripezinha que vai me derrubar”, disse o presidente, lembrando do ataque que sofreu durante sua campanha eleitoral.

Os últimos dados divulgados pelo Ministério da Saúde, contradizem a declaração de Bolsonaro e mostram que a covid-19, passa longe de ser uma ‘gripezinha’. Até ontem, o país registrava 11 mortes no Brasil provocada pelo novo coronavírus. Os casos de pessoas diagnosticadas com a covid-19 no país já são quase mil.

 Prevenção

Os cuidados para reduzir o risco de contrair o coronavírus são básicos e incluem lavar as mãos frequentemente com água e sabão, usar desinfetante à base de álcool e evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.

Veja outras dicas:

-Ao tossir ou espirrar é recomendado cobrir a boca e nariz

-Não tocar mucosas de olhos, nariz e boca de outra pessoa

-Usar lenço descartável para higiene nasal

-Não compartilhar objetos de uso pessoal

-Manter o ambiente ventilado