Câmeras do metrô não registram estupro de estudante em SP

A investigação continua para apurar se a jovem foi vítima de violência sexual e em qual local isso teria ocorrido

Por: Redação | Comunicar erro
Crédito: Reprodução / FlickrO caso foi denunciado na semana passada pela estudante

O estupro de uma estudante de 18 anos dentro da estação Sacomã, na Linha 2 – Verde do Metrô de São Paulo, na última quarta-feira, 22, não foi confirmado pelas imagens de câmeras de segurança da companhia. A informação foi divulgada nesta terça-feira, 28, pela assessoria de imprensa da Secretaria da Segurança Pública (SSP).

A investigação continua para apurar se a universitária foi vítima de violência sexual e em qual local isso teria ocorrido. A jovem foi ouvida novamente nesta segunda-feira, 27, na 2ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), e “não confirmou o crime”, de acordo com a nota.

Ao G1, a assessoria da SSP informou que a estudante deu “versões controversas”. Além disso, as 24 imagens de câmeras do metrô entregues à investigação policial não gravaram o estupro e nem o suposto agressor que a teria atacado.

No segundo depoimento à polícia, a jovem teria mudado a maior parte das informações dadas inicialmente. Ela manteve a versão de que foi estuprada, mas não deu certeza e afirmou que não consegue informar onde e nem como isso possa ter ocorrido.

Ainda no depoimento, a universitária alegou que sofre de síndrome do pânico, fez tratamento psiquiátrico e está há cinco meses sem tomar medicamento.

Crédito: LeoMSantos / WikipediaAs imagens não confirmaram o estupro

Primeiro relato

Na semana passado, a estudante contou ao G1 que estava indo para a faculdade, por volta das 17h, quando foi abordada por um homem que pediu informações na bilheteria da estação Sacomã. Depois, já na plataforma de embarque, enquanto a vítima estudava perto da escada, onde há um vão, ele a atacou.

“Quando dei por mim, senti um puxão no braço e só lembro de estar no chão, ele passar a mão em mim, rasgar toda a minha legging e foi aí que tudo aconteceu”, disse a jovem. “Eu não tive condições de fazer nada, eu paralisei, não sabia o que fazer.”

Ainda segundo a vítima, o agressor estava armado e, após o estupro, a acompanhou até uma região próxima à universidade. Totalmente apavorada, ela apenas conseguiu pedir para alguns amigos a encontrarem na porta da faculdade.

A estudante procurou atendimento médico no Hospital de São Bernardo do Campo, onde fez exames e recebeu os medicamentos anti-retrovirais e a pílula do dia seguinte. Na quinta-feira, 23, ela registrou a denúncia na 2ª Delegacia da Mulher, na zona sul.

Se ficar comprovado que ela mentiu, poderá ser indiciada por falsa comunicação de crime.

1 / 8
1
02:23
Paulo Guedes diz que renunciará se Previdência virar ‘reforminha’
O ministro Paulo Guedes (Economia) voltou a afirmar que se houver uma mudança muito radical na proposta original da reforma …
2
03:08
XP: Avaliação negativa do governo supera a positiva pela 1ª vez
De acordo com pesquisa da XP/Ipespe divulgada nesta sexta-feira, dia 24, a avaliação negativa do governo do presidente Jair Bolsonaro …
3
01:35
Governo libera o uso de mais 31 agrotóxicos no campo
O Ministério da Agricultura liberou o uso de mais 31 agrotóxicos nas lavouras do país. Entre eles, há produtos que …
4
02:33
Foto de manifestantes nus contra Bolsonaro é falsa
A foto de uma suposta manifestação de pessoas peladas na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)  que viralizou nas redes …
5
01:37
Lobão rompe com Bolsonaro: “Esse cara não me representa”
Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, o cantor e compositor Lobão falou sobre sua decepção com Jair Bolsonaro e …
6
01:33
Milícias digitais perseguem MBL após críticas a Bolsonaro
O MBL (Movimento Brasil Livre) deixou de ser aliado para se tornar o novo alvo das milícias digitais pró-Bolsonaro. O …
7
03:41
Manifestação releva descompasso entre o Bolsonaro e a direita
A manifestação marcada para o próximo domingo, dia 26, aparentemente, gerou um desequilíbrio entre os grupos de direita apoiadores do …
8
01:29
Barragem da Vale em Barão de Cocais pode romper a qualquer hora
A barragem da mina do Gongo Soco, localizada em Barão de Cocais, em Minas Gerais pode romper a qualquer momento. …