CORONAVÍRUS
Loading...
Últimas notícias e tudo que você precisa saberAtualizando informações
Infectados-
Mortes-
Recuperados-

Enfermeira é agredida em ato para homenagear colegas da saúde

As agressões verbais e físicas foram feitas por apoiadores de Bolsonaro

Por: Redação
enfermeira agredida enquanto homenageava colegas mortos pela covid-19
Crédito: Arquivo PessoalA enfermeira foi agredida enquanto homenageava colegas mortos pela covid-19

Enfermeiros e enfermeiras foram agredidos durante um ato silencioso nesta sexta-feira, 1º, organizado para homenagear profissionais da saúde, em frente ao Palácio do Planalto, em Brasília (DF). O protesto foi feito em memória dos 55 colegas que já perderam a vida na linha de frente do combate ao novo coronavírus no Brasil.

Na manifestação a favor do isolamento social, o grupo segurava cruzes e usavam uma faixa preta no braço, em referência às mortes. No local, um homem vestido nas cores verde e amarelo, com uma camiseta que dizia “meu partido é o Brasil”, começou a filmar os profissionais.

Em seguida, ele dirigiu agressões verbais aos enfermeiros e ainda agrediu uma mulher fisicamente. Um vídeo feito por representantes do Sindicato de Enfermeiros (Sindenfermeiro-DF) mostra o momento da agressão. O homem a empurrou e bateu em sua cabeça.

Em entrevista ao G1, a enfermeira agredida disse que ficou triste e se sentiu desvalorizada diante do ocorrido. “Os profissionais de saúde no mundo estão sendo aplaudidos, e no Brasil a gente apanha”, declarou.

O Sindicato dos Enfermeiros do Distrito Federal divulgou uma nota de repúdio às agressões sofridas pela profissional, que, segundo a entidade, foram causadas por “apoiadores do Presidente da República”.

“As atitudes tomadas pelos apoiadores do governo vão ao encontro de ideologias fascistas e antidemocráticas. Infelizmente, são embasadas pelas atitudes do Presidente da República que diversas vezes debocha das consequências da pandemia, desconsidera todas as recomendações e diretrizes sobre a importância do isolamento social ao combate do novo coronavírus”, diz um trecho do comunicado.



Leia a íntegra da nota de repúdio:

“O Sindicato dos Enfermeiros do Distrito Federal vem por meio dessa nota repudiar agressões físicas e verbais que apoiadores do Presidente da República cometeram contra enfermeiras na manhã desta sexta-feira, dia 1º de maio, que participavam de um ato na Praça dos Três Poderes.

O ato tinha como objetivo chamar a atenção para a enfermagem nacional. O protesto tinha três objetivos centrais: defender o isolamento social com base científica, homenagear os trabalhadores da enfermagem de todo o Brasil que morreram lutando contra a Covid-19 e mostrar a importância da categoria.

O Ato foi uma iniciativa da categoria, apoiada pelo Sindenfermeiro, uma vez que os diretores da entidade são enfermeiros e também estão na linha de frente. A organização se seu a partir dos próprios trabalhadores da enfermagem que estão na linha de frente contra o novo coronavírus.

As atitudes tomadas pelos apoiadores do governo vão ao encontro de ideologias fascistas e antidemocráticas. Infelizmente, são embasadas pelas atitudes do Presidente da República que diversas vezes debocha das consequências da pandemia, desconsidera todas as recomendações e diretrizes sobre a importância do isolamento social ao combate do novo coronavírus.

Hoje, no Brasil, são mais de 2,3 milhões de profissionais de Enfermagem, que estão na luta contra a Covid-19. Por isso, em respeito à vida da maioria da população e pensando na segurança dos milhares trabalhadores da saúde que superam o medo para salvar vidas, o SindEnfermeiro repudia, veementemente, as atitudes fascistas e antidemocráticas do grupo pró-governo, e ressalta a importância de a população seguir as recomendações da comunidade científica mundial de isolamento social.

O sindicato se orgulha das enfermeiras que resistiram às provocações do grupo bolsonarista. A enfermagem é feita de luta. O SindEnfermeiro reitera seu compromisso pela defesa das enfermeiras e enfermeiros, do Sistema Único de Saúde público e universal e da democracia acima de tudo e de todos.

E por fim, relembra #LuteComoUmaEnfermeira!”

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.