Fumaça do Pantanal faz avião de Bolsonaro arremeter em MT

Em discurso a ruralista em Sinop, presidente voltou a minimizar as queimadas que devastam o Pantanal

Por: Redação
Ouça este conteúdo

A fumaça das queimadas do Pantanal fez o avião que levava o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) arremeter ao se aproximar do aeroporto de Sinop (MT). “pois a visibilidade “não estava muito boa“.

“Hoje quando o avião foi aterrissar, ele arremeteu. Foi a 2ª vez na minha vida que acontece isso, uma vez foi no Rio de Janeiro, e obviamente, algo anormal está acontecendo, no caso é que a visibilidade não estava muito boa”, disse Bolsonaro ao desembarcar.

Queimadas no Pantanal: entenda o tamanho da devastação do bioma

Bolsonaro Pantanal
Crédito: Alan Santos/PRBolsonaro cumprimenta apoiadores em Sinop (MT); fumaça do Pantanal fez avião do presidente arremeter

Segundo o aeroporto de Sinop, havia fumaça no momento do pouso e o piloto do avião da FAB (Força Aérea Brasileira) não tinha 100% de visibilidade da pista. O pouso ocorreu normalmente na segunda tentativa.

No avião estavam ainda o ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas, e o chefe da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos.

Em Sinop, Bolsonaro participou de uma homenagem a ele feita por ruralistas da região. No discurso, o presidente voltou a minimizar a tragédia no Pantanal afirmando que há “alguns focos de incêndio pelo Brasil” e que isso acontece ao longo dos anos.

“E temos sofrido uma crítica muito grande. Porque obviamente quanto mais nos atacarem, mais interessa aos nossos concorrentes, para o que temos de melhor, que é o nosso agronegócio”, disse o presidente.

Antes de embarcar para o MT, Bolsonaro divulgou vídeo no Twitter sendo homenageado por ruralistas da região ligados à família Bedin, uma das maiores produtoras de soja da região. “O campo não parou, continuou a alimentar mais de 1 bilhão de pessoas pelo mundo. Agro, a locomotiva da nossa Economia”, disse.

Pantanal em chamas

O Pantanal enfrenta uma onda recorde de incêndios e a fumaça das queimadas já chegou a outras regiões, como o Sul e Sudeste, provocando chuva de coloração escura no Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Crédito: Chico RibeiroO maior centro de reprodução da arara-azul no Pantanal teve 60% da área atingida pelo fogo

Nesta quinta-feira o Pantanal atingiu a marca de 15.756 focos de incêndio somente este ano, o maior número de queimadas desde 1998, quando os números começaram a ser registrados pelo INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).

Comparado com 2005, o pior ano da série histórica até então para o período, o número de focos acumulados em 2020 é 56% maior.

No acumulado de janeiro e 16 de setembro, os focos de incêndio aumentaram 208% ante igual período do ano passado, segundo o Inpe. O fogo já destruiu mais de 2 milhões de hectares do bioma.