Carlinhos Mendigo burla Justiça e critica suspensão de seu Instagram

Humorista chamou a determinação de censura e destacou: "Não irão me calar"

Por: Redação

Carlinhos Mendigo burlou a Justiça que determinou a suspensão do seu Instagram e postou em seu perfil na rede social, na última segunda-feira, 3, criticando a decisão. O humorista conseguiu acessar a conta porque ela continua ativa no exterior . As informações foram obtidas pela jornalista Fábia Oliveira.

carlinhos mendigo
Crédito: ReproduçãoCarlinhos Mendigo burla Justiça e critica suspensão de seu Instagram

A justiça determinou a suspensão da rede social de Carlinhos Mendigo como punição por ele ter descumprido a medida protetiva que Aline Hauck, mãe de seu filho, conseguiu contra ele.

O humorista usou o Instagram para compartilhar uma opinião de Caio Coppolla, comentarista da CNN Brasil e fazer um desabafo. “Censura disfarçada de democracia não é de hoje. Não irão me calar, raça de filhos da p***. A guerra só está no começo, não podemos mais dar nossas opiniões, nos defender, falar aos nossos seguidores e público, expor pontos de vista, reflexões, propagar o evangelho, coisa que amo fazer, dentre outras coisas”, afirmou Carlinhos mendigo.

“Meu maior apego e amor vocês já me tiraram, que é o meu filho. Rede social, enfiem no rabo de vocês. Faço outras, seus pedaços de bosta, tolos, hipócritas, imundos, nojentos”, finalizou.

Crédito: Reprodução/InstagramCarlinhos Mendigo burla Justiça e critica suspensão de seu Instagram

A publicação do conteúdo só pode ser vista por contas fora do Brasil. No vídeo compartilhado por Carlinhos, Caio opina sobre as determinações dos Ministros do STF para suspender contas em redes sociais de diversas pessoas.

“Ao suspender contas pessoais em plataformas online, um juiz está literalmente dizendo que tudo que aquela pessoa fala ou vai falar é ilegal. Isso não é direito, isso é juiz antecipado, é julgamento de erro futuro, ou seja, é um absurdo lógico. O STF está censurando pessoas antes mesmo de saber o que elas têm para falar, quando o correto seria aguardar suas manifestações e aplicar os devidos remédios legais, seguindo os devidos processos legais. Isso se comprovadamente abusarem do direito de sua liberdade de expressão”, relatou Caio no Grande Debate, mas não citou o caso de Carlinhos.

Compartilhe: