Filmes, séries e novelas te ajudam a identificar os tipos de violência contra mulher

A plataforma de streaming 180Play traz diversos títulos consagrados no Brasil e no mundo, com explicações didáticas para pormos um basta no machismo

Por: Redação
Ouça este conteúdo

Diariamente, milhares de pessoas presenciam atos de violência doméstica, mas nem sempre conseguem identificá-las. Não seria incrível se filmes, séries e novelas, que já fazem parte do nosso cotidiano, pudessem nos auxiliar no reconhecimento de cada um dos tipos de violência contra a mulher – que são previstos, no Brasil, pela lei Maria da Penha? Pois, agora, isso é possível e vamos te explicar como, bem aqui embaixo.

cena de violência contra a mulher
Crédito: Reprodução/TVGloboCena da novela Mulheres Apaixonadas

No Brasil, para coibir e punir atos violentos contra as mulheres, existe a lei Maria da Penha, mas 68% das mulheres dizem que a conhecem pouco e 11% delas afirmam não conhecer nada, segundo pesquisa realizada pelo Senado Federal em 2017.

Conhecer os tipos de violência contra a mulher é fundamental para não passar por elas e nem normalizar quando ver familiares ou amigas nesta situação. Pensando nisso, o Instituto Maria da Penha, uma organização não governamental sem fins lucrativos que atua na conscientização do combate à violência doméstica e familiar contra a mulher, lançou a plataforma de streaming180Play – um novo jeito de ver séries, filmes e novelas”, criada pela F.biz, uma das principais agências digitais independentes do Brasil.

O “180Play – um novo jeito de ver séries, filmes e novelas” aproveita o crescimento do consumo dos streamings e de forma gratuita utiliza cenas de inúmeras obras para exemplificar todas as formas de violência doméstica previstas na lei Maria da Penha.

Na plataforma, o usuário poderá assistir a cenas de séries com grande repercussão no Brasil e no mundo, assim como novelas e filmes. Depois de acessar as informações sobre cada tema, o usuário ou a usuária ainda pode realizar denúncias dentro do próprio ambiente do site: basta clicar no link e ligar para o número 180 que é a Central de Atendimento à Mulher.

Veja abaixo alguns dos títulos que fazem parte do 180Play e o que os criadores do projeto falam sobre ele.

Novelas

Mulheres Apaixonadas

cena de violência contra a mulher
Crédito: Divulgação/TVGloboCena da novela Mulheres Apaixonadas

A Dona do Pedaço

cena de violência contra a mulher
Crédito: Reprodução/TVGloboCena da novela A Dona do Pedaço

Totalmente Demais

cena de violência contra a mulher
Crédito: Reprodução/TVGloboCena da novela Totalmente Demais

Séries

Big Little Lies

Na série Big Little Lies contém cena de violência contra a mulher
Crédito: DivulgaçãoNa série Big Little Lies contém cena de violência contra a mulher

Grey’s Anatomy

Na série Grey's Anatomy contém cena de violência contra a mulher
Crédito: ReproduçãoNa série Grey’s Anatomy contém cena de violência contra a mulher

A Coisa Mais Linda

Na série A Coisa Mais Linda contém cena de violência contra a mulher
Crédito: Reprodução/NetflixNa série A Coisa Mais Linda contém cena de violência contra a mulher

Orange Is The New Black

Na série Orange Is The New Black contém cena de violência contra a mulher
Crédito: DivulgaçãoNa série Orange Is The New Black contém cena de violência contra a mulher

Filmes

Titanic

No filme Titanic contém cena de violência contra a mulher
Crédito: ReproduçãoNo filme Titanic contém cena de violência contra a mulher

O Lobo de Wall Street

No filme O Lobo de Wall Street contém cena de violência contra a mulher
Crédito: DivulgaçãoNo filme O Lobo de Wall Street contém cena de violência contra a mulher

O Poderoso Chefão

No filme O Poderoso Chefão contém cena de violência contra a mulher
Crédito: DivulgaçãoNo filme O Poderoso Chefão contém cena de violência contra a mulher

Além dos citados acima, o 180Play conta com diversos outros títulos em que as cenas, com as devidas explicações nos ajudam a identificar tipos de violência contra a mulher.

O co-CEO da F.biz., Fernand Alphen destaca como demonstrava Hannah Arendt, que a cultura popular pode incentivar involuntariamente comportamentos censuráveis e graves, porque banaliza situações mesmo quando tenta denunciá-las. “O objetivo desse trabalho foi o de apontar, com didatismo por meio de uma seleção de cenas de filmes, séries e novelas, diversos tipos de agressão contra a mulher e, assim, alertar a todos – principalmente às vítimas – sobre a importância da denúncia contra os agressores”, afirma Fernand Alphen,

Para Conceição de Maria, cofundadora e superintendente-geral do Instituto Maria da Penha, “a informação é uma grande aliada na prevenção e combate à violência doméstica, além de ajudar a desnaturalizar as formas de violência contra as mulheres. Por isso, é fundamental ampliar o acesso à Lei Maria da Penha, sobretudo nesse contexto de isolamento social, em que o número de casos aumentou de maneira significativa. Reconhecer que está em uma situação de violência é um passo importante para a mulher buscar ajuda e quebrar o ciclo da violência”.

A iniciativa ainda conta com o importante apoio institucional da ONU Mulheres, a organização das Nações Unidas dedicada a promover a igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres. “A violência contra as mulheres e meninas é uma grave violação dos direitos humanos e nos chama a inovar para exemplificar as suas distintas formas de manifestação e enfrentamento. As artes – e aqui, especificamente, o audiovisual – são uma importante ferramenta para promover a sensibilização e o engajamento de um público mais abrangente sobre o tema e ampliar o conhecimento sobre a Lei Maria da Penha e seus respectivos mecanismos para prevenir e coibir a violência doméstica e familiar”, diz Anastasia Divinskaya, representante da ONU Mulheres Brasil.

Para acessar a plataforma, clique aqui.