CORONAVÍRUS
Loading...
Últimas notícias e tudo que você precisa saberAtualizando informações
Infectados-
Mortes-
Recuperados-

Maisa Silva relata racismo contra o pai em tempos de coronavírus

Apresentadora disse que Celso Andrade teve que ouvir que negros vão morrer

Por: Redação

Maisa Silva usou seu perfil no Twitter, no último domingo, 19, para relatar um caso de racismo sofrido pelo seu pai, Celso Andrade.

maisa e celso
Crédito: Reprodução/InstagramMaisa posou com o pai, Celso, durante viagem

“E meu pai que escutou de uma mulher hoje que tudo bem sair de casa, que as pessoas estão se apavorando à toa, porque só morre ‘negro e latino’, porque eles não têm convênio médico. Meu pai é preto”, escreveu. O post foi apagado horas depois.

A atriz mirim ainda continuou com o desabafo: “Então vocês já sabem porque não estão dando importância para o isolamento. Porque pouco importam essas vidas para eles”.

Ao ser questionada sobre como se sente quando seu pai passa por alguma situação do tipo, a artista foi enfática: “Me sinto mal, péssima, horrível, triste. Conversamos, principalmente, porque eu cresci em uma família que é muito misturada. Mas isso me deu uma ‘noção’ maior, eu acho, tanto do meu privilégio quanto em tentar fazer minha parte para que essas ações não se repitam”.

Esta não é a primeira vez que Maisa desabafa sobre racismo sofrido pelo pai. Em 2019, a atriz disse que percebia a diferença de tratamento entre ela e sua mãe, que têm a pele mais clara. “Ele é sempre o segurança, o motorista, etc”, lamentou.

Como denunciar racismo

Racismo é crime previsto pela Lei 7.716/89 e deve sempre ser denunciado, mas muitas vezes não sabemos o que fazer diante de uma situação como essa, nem como denunciar, e o caso acaba passando batido.

Para começar, é preciso entender que a legislação define como crime a discriminação pela raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional, prevendo punição de 1 a 5 anos de prisão e multa aos infratores.

A denúncia pode ser feita tanto pela internet, quanto em delegacias comuns e nas que prestam serviços direcionados a crimes raciais, como as Delegacias de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi), que funcionam em São Paulo e no Rio de Janeiro.

No Brasil, há uma diferença quando o racismo é direcionado a uma pessoa e quando é contra um grupo. Confira aqui a diferença e saiba quando se deve denunciar uma atitude racista.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.