EM ALTA

Os sintomas que indicam excesso de gordura no fígado

Essa condição pode evoluir de maneira silenciosa e só apresentar sintomas em estágios mais avançados

Doença hepática gordurosa significa que você tem gordura extra no fígado. O termo médico para a condição é esteatose hepática. Na maioria das vezes, não causa sintomas, mas com o tempo, o acúmulo de gordura dificulta o funcionamento do fígado, o que leva ao aparecimento de sinais. 

De acordo com o Ministério da Saúde, é normal haver presença de gordura no fígado, no entanto quando este índice chega a 5% ou mais o quadro deve ser tratado o mais brevemente possível.

Se não tratada corretamente, a estatose hepática pode provocar, a médio e longo prazo, uma inflamação capaz de evoluir para quadros mais graves de hepatite gordurosa, cirrose hepática e até câncer no fígado.

O que é a esteatose hepática?

A esteatose hepática ocorre quando há um acúmulo excessivo de gordura nas células do fígado. Essa condição pode ser dividida em dois tipos principais:

  • Esteatose Hepática Não Alcoólica (EHNA): relacionada ao estilo de vida, dieta e fatores metabólicos, como obesidade e diabetes.
  • Esteatose Hepática Alcoólica: resultante do consumo excessivo de álcool.
Gordura no fígado pode se acumular sem apresentar sintomas inicialmente
Créditos: Heena/DepositPhotos
Gordura no fígado pode se acumular sem apresentar sintomas inicialmente

Principais sintomas da gordura no fígado

  • Dor no abdômen;
  • Barriga inchada;
  • Aumento do tamanho do fígado;
  • Dor de cabeça constante;
  • Cansaço;
  • Fraqueza;  
  • Perda do apetite.

Em casos mais graves, a pessoa com gordura no fígado pode apresentar icterícia, inchaço nas pernas e pés e hemorragias.

Diagnóstico

O diagnóstico de esteatose hepática pode incluir exames de sangue, ultrassonografia, tomografia computadorizada (TC) e biópsia hepática. Esses exames ajudam a avaliar a quantidade de gordura no fígado e a determinar a extensão do dano hepático.

Como é o tratamento para gordura no fígado?

O tratamento para gordura no fígado combina mudanças no estilo de vida, intervenções dietéticas e, em alguns casos, medicação.

Adotar uma dieta balanceada e saudável é e extrema importância. Isso significa consumir uma variedade de alimentos ricos em nutrientes, como frutas, vegetais, grãos integrais e proteínas magras, ao mesmo tempo em que se evita alimentos ricos em gorduras saturadas, açúcares refinados e carboidratos simples.

Além disso, é altamente recomendável reduzir a ingestão de álcool, uma vez que o álcool pode agravar a condição.

A prática regular de exercícios físicos também desempenha um papel importante no tratamento da gordura no fígado. Exercícios aeróbicos, como caminhada, corrida, ciclismo ou natação, ajudam a reduzir a gordura corporal geral, incluindo a gordura acumulada no fígado.

Outro fator essencial do tratamento é a perda de peso gradual e sustentável. Estudos demonstram que uma perda de 5% a 10% do peso corporal pode resultar em melhorias significativas na saúde hepática. 

Ademais, algumas pessoas podem se beneficiar do uso de medicamentos para tratar condições que contribuem para a esteatose hepática, como diabetes tipo 2, hipertensão e níveis elevados de colesterol.