Saiba se você precisa tomar vacina contra sarampo

Confira as principais dúvidas sobre a vacinação, transmissão do vírus e sinais da doença

Por: Redação | Comunicar erro

É provável que você, em algum momento, tenha ficado em dúvida se precisa ou não tomar vacina contra o sarampo, já que, no Brasil, há regiões com surtos da doença. Nos últimos 90 dias, entre 12 de maio a 03 de agosto,foram confirmados 1.226 casos, em quatro estados: São Paulo (1.220), Rio de Janeiro (4), Bahia (1) e Paraná (1).

A doença é altamente contagiosa. Pode ser transmitida pela respiração, tosse ou espirro. Uma pessoa com sarampo pode passar o vírus para, em média, até 18 pessoas, de acordo com o infectologista Munir Ayub, consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia.

“É muito mais transmissível que a gripe, por exemplo. Para se ter uma ideia, pessoas que convivem com quem tem gripe tem em torno de 60% de chance de ficar gripada, já quando falamos de sarampo, essa chance aumenta para 90%”, afirma o médico.

Para prevenir o aparecimento de novos casos, o Ministério da Saúde está recomendando a vacinação de reforço para crianças de seis meses a menores de um ano, que moram ou vão viajar para locais onde há surto de sarampo. Essa vacinação deve ser feita pelo menos 15 dias antes da data prevista para a viagem.

É importante ressaltar que essa é uma dose extra da vacina, portanto, não deve interferir na rotina prevista no Calendário Nacional de Vacinação. Todas as crianças do país devem continuar seguindo a orientação de tomar a tríplice viral (D1) aos 12 meses de idade (1ª dose); e aos 15 meses (2ªdose), tomar a vacina tetra viral ou a tríplice viral + varicela.

Campanha de vacinação em São Paulo

Em São Paulo, para evitar que o vírus se espalhe ainda mais, a Secretaria de Estado da Saúde intensificou a campanha de vacinação que foca pessoas com idades entre 15 e 29 anos, de forma indiscriminada. A meta é imunizar 900 mil jovens.

uma mão segurando um vidro de vacina contra sarampo
Crédito: Marcelo Camargo/Agência BrasilBrasil tem mais de 1.200 casos de sarampo, de acordo com o Ministério da Saúde

De acordo com Helena Sato, diretora de imunização da Secretaria de Estado da Saúde, essa é uma estratégia de vacinação para que se possa reduzir o número de casos que vem ocorrendo na Grande São Paulo.

Abaixo, Helena Sato esclarece as principais dúvidas sobre quem deve se vacinar contra o sarampo no estado:

Todas as pessoas do público-alvo (15 a 29 anos) devem se vacinar?

Sim, a campanha é voltada para todas as pessoas de 15 a 29 anos, que residem no município de São Paulo e na região do ABC e próximo à região de Osasco, que é onde está tendo a circulação do vírus. A recomendação é para todos dessa faixa etária, independentemente da quantidade de doses anteriores.

E quem tem mais de 30 anos?

É fundamental que as pessoas de 30 a 59 anos de idade tenham pelo menos uma dose da vacina de sarampo na carteira. E, de modo geral, quem tem 60 anos ou mais não precisa porque, de acordo com a nossa avaliação, já tiveram a doença no passado.

mulher tomando vacina no braço
Crédito: Wilson Dias/ Agência BrasilSão Paulo concentra os casos de sarampo

Qual a recomendação para quem não tem a carteirinha de vacinação e não sabe se já tomou a vacina?

Se a pessoa perdeu a carteira de vacinação e não sabe se já tomou, a gente recomenda que procure um posto para atualização do esquema de vacinação. A vacina é gratuita.

Há algum problema em se vacinar novamente?

Não, não há problema em tomar a vacina novamente, ela é extremamente segura e, mesmo que a pessoa tome novamente, não aumenta o risco de ter efeito adverso. Em pessoas que já foram protegidas, a vacina não vai nem conseguir estimular adequadamente a resposta imunológica.

Há alguma contraindicação?

Há contraindicação para pessoas em tratamento de quimioterapia e radioterapia e mulheres grávidas.

Por quanto tempo a vacina é válida?

Vale para o resto da vida. Ela ativa adequadamente as nossa células de memória, que fazem parte do sistema imunológico.

De que maneira o vírus do sarampo é transmitido?

A transmissão acontece através das vias respiratórias. Tem pessoas que dizem que não vão pegar sarampo porque não chegarão perto de outras com manchas vermelhas no corpo, mas isso é uma falsa ideia e é importante esclarecer. Uma pessoa infectada com o sarampo começa a transmitir o vírus cerca de cinco dias antes de aparecer as manchas vermelhas. Então, a melhor forma de prevenção dessa doença é tomar a vacina.

Quais as complicações e gravidade do sarampo?

O sarampo não é uma simples virose, as complicações são graves e podem levar à morte. Sabemos que cerca de 10% das pessoas infectadas, principalmente as crianças, poderão desenvolver complicações, como otite e pneumonia, que pode ser uma infecção secundária ou uma pneumonia bacteriana ou pode evoluir para uma pneumonia pelo próprio vírus do sarampo, que é extremamente grave. Também pode haver complicações neurológicas, como encefalite.

Quais são os primeiros sinais de sarampo e quando é preciso procurar atendimento médico?

As manifestações clínicas iniciais do sarampo incluem febre, tosse e /ou coriza nasal e/ou conjuntivite, mas depois a pessoa começa a apresentar manchas avermelhadas pelo corpo. Então, pessoas com esse conjunto de sinais precisam procurar um médico para uma adequada avaliação.

criança com o corpo coberto de manchas vermelhas de sarampo
Crédito: reprodução/Ministério da SaúdeManchas vermelhas no corpo são um sinal típico do sarampo, mas nem sempre elas aparecem claramente

Conversamos também com o infectologista Munir Ayub, consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia, que esclareceu outras dúvidas sobre sarampo.

Quando a pessoa toma a primeira dose da vacina, precisa esperar um mês para tomar a segunda dose. Nesse período de espera, ela pode ser considerada imunizada?

Com uma dose só, a pessoa não está com o máximo de proteção. Para chegar a 95%, 97% de proteção, precisa da segunda dose.

Em quanto tempo a vacina começa a agir no organismo?

Depois de 10 a 12 dias, a pessoa vacinada já tem a proteção.

Quem já teve sarampo e teve contato com alguém infectado tem possibilidade de ser transportador do vírus?

Não, quem já teve sarampo não transporta o vírus mesmo que tenha tido contato com alguém com a doença.

Qual o período de transmissão do vírus?

Uma pessoa com sarampo começa a transmitir o vírus quatro dias antes do aparecimento das manchas no corpo e isso se estende até quatro dias depois. São cerca de 8 dias de transmissão.

O vírus é transmitido mesmo no período de incubação?

Não, só quando começam a aparecer os sintomas. Primeiro vem a febre e a coriza e dois dias depois aparecem as manchas.

O que se deve fazer se uma pessoa da sua casa estiver com sarampo?

Mesmo que já tenham sido vacinadas com duas dose antes, precisam tomar uma dose extra. Isso é necessário porque a gente sabe que a vacina não dá 100% de proteção. É o que chamamos de vacinação de bloqueio, que tenta evitar a transmissão do vírus para mais pessoas.

Mulheres que estão amamentando podem se vacinar?

Sim. Apenas mulheres grávidas e pessoas imunossuprimidas (portadoras de HIV, pacientes em tratamento contra o câncer) não podem tomar a vacina.

Mesmo que a pessoa não seja alvo da campanha, ela pode tomar vacina nos postos gratuitamente?

Os postos só estão vacinando as pessoas dentro da faixa etária alvo da campanha. A não ser que seja vacinação de bloqueio. Nesses casos, os agentes vão em determinados locais e vacinam todo mundo, independente da idade.

Por que os jovens de 15 a 29 anos são o foco das campanhas atuais?

Os casos de infecção estão acontecendo mais entre as pessoas dessa faixa etária, de 15 a 30 anos, porque elas só tomaram uma dose de vacina no passado. Antigamente, achavam que uma dose era suficiente para proteger para a vida toda, e de uns anos pra cá, viram que era necessária uma segunda dose. Então, pessoas que nasceram depois já tomaram a segunda dose na infância.

Ao ter contato com alguém diagnosticado com sarampo no trabalho, por exemplo, o que se deve fazer?

Uma pessoa infectada, quando tosse ou espirra, solta gotículas que vão contaminar os objetos, como caneta, por exemplo. Então, a recomendação para quem esteve nesse ambiente é se vacinar e também lavar as mãos várias vezes ao dia, principalmente se o local de trabalho é fechado com concentração de muitas pessoas ao mesmo tempo. Mas vale dizer que – uma vez que a pessoa não esteja mais no local – o vírus morre rapidamente, cerca de duas horas depois.

Compartilhe:

1 / 8
1
02:28
Quais são os sintomas que são gerados pelo estresse?
Com a correria do dia-a-dia somos facilmente pegos pelo estresse. E o nosso corpo indica sinais de que estamos fisicamente …
2
03:52
Surge o BolsoLula: os mesmos vícios da velha política brasileira
No vídeo, o jornalista Gilberto Dimenstein explica o conceito da expressão 'BolsoLula' e analisa as consequências da interferência política exercida …
3
04:15
Como os Beatles mudaram minha vida: parte 1
Como seria o mundo sem a inovação e energia que a música ganhou pós-Beatles. Imaginou? E se as pessoas também …
4
03:02
Jair Bolsonaro é louco, ignorante ou irresponsável?
O presidente Jair Bolsonaro fez um pronunciamento nesta quarta-feira, 21, apontando que ONGs poderiam estar por trás das queimadas na …
5
04:12
Netflix: ‘The Family- Democracia Ameaçada’ revela grupo secreto
A minissérie "The Family: Democracia Ameaçada", que pode ser vista na Netflix, mostra questões que te farão pensar em uma …
6
02:29
Operação Lava Jato ignora repasse suspeito de Paulo Guedes
Uma reportagem publicada pelo jornal Folha de S. Paulo mostra que a Operação Lava Jato poupou o ministro da Economia, …
7
02:40
Partículas de queimadas são encontradas em água de chuva em SP
O fenômeno que atingiu São Paulo na última segunda-feira, 19, e transformou o dia em noite em diversas regiões do …
8
03:36
Nem os eleitores de Bolsonaro concordam com a indicação de Eduardo
Em meio às polêmicas que dão o tom nos primeiros oito meses do governo Bolsonaro, uma pesquisa recente mostra que …