Sinais de hipertermia para ficar atento no calor

Instituto Nacional de Meteorologia emitiu alerta de “grande perigo”, com “risco de morte”, nos próximos dias por conta das altas temperaturas

Por: Redação
Ouça este conteúdo

Os próximos dias serão de calor intenso em quase todo o país, previsão que fez o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitir um alerta para o risco de hipertermia. A condição acontece quando a temperatura corporal sobe além dos 40ºC, o que pode comprometer a saúde, causar alterações no estado mental ou até mesmo levar à morte.

Pelo menos até sexta-feira, 9, é preciso atentar-se aos sinais, além – é claro – de aumentar a ingestão de água e evitar a exposição ao sol.

hipertermia
Crédito: Ugurhan/istockConheça os principais sinais de hipertermia

Os sintomas da hipertermia variam de acordo com o estágio e de quanto o corpo está superaquecido, mas, no geral, há a conhecida sensação de mal-estar, com indisposição, fadiga e tontura.

“Sem dúvida, a queda de pressão é sintoma inicial. Porque, em temperaturas maiores, o organismo tende a ter uma vasodilatação. Ou seja, o calibre das artérias aumenta para fazer a compensação e tentar se resfriar. Então, a pessoa começa a ter tontura da queda de pressão”, explica o cardiologista e clínico geral Marcelo Sampaio, da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo.

Ainda segundo o médico, a hipertermia afeta vários órgãos e subsistemas, um deles é o neurológico. “As pessoas começam a ter irritabilidade, alterações comportamentais, alterações confusionais, podem ter uma dor de cabeça muito marcante e muito forte e, se essas alterações neurológicas evoluírem, a pessoa pode chegar à sonolência, estupor (inconsciência profunda) e até mesmo coma”, diz.

O subsistema cardiológico também é outro que pode ser afetado. Isso acontece porque, em altas temperaturas, pode haver uma vasodilatação, queda da pressão arterial, engrossamento do sangue, e a possibilidade da formação de coágulos e obstrução das artérias coronárias do coração, o que pode gerar um infarto.

“Além do mais, a frequência cardíaca aumenta e as pessoas predispostas podem ter arritmias. E essas arritmias podem ser uma simples palpitação, como um ataque cardíaco importante e até mesmo uma parada cardíaca”, alerta o cardiologista.

Porém, o médico esclarece que a hipertermia não vai acontecer se a pessoa estiver em casa com o ar-condicionado ligado e for até a padaria, por exemplo. Segundo ele, um trajeto curto como esse não é capaz de provocar hipertermia. Por outro lado, a condição pode facilmente ocorrer se a pessoa sair entre as 10h e as 17h para fazer exercício físico por um tempo de exposição prolongado.

Listamos a seguir os principais  sinais da hipertermia para ficar atento:

Nível 1:

  • Suor excessivo
  • Exaustão
  • Pele ruborizada ou vermelha
  • Dor de cabeça
  • Tontura
  • Náusea

Nível 2: 

  • Pele fria, pálida e úmida
  • Suor extremo ou forte
  • Pulso rápido mas fraco
  • Náuseas, vômitos e diarreia
  • Dor de cabeça
  • Cãibras nas extremidades
  • Fraqueza
  • Sede intensa
  • Tontura
  • Urina escura (amarelo forte)
  • Dificuldade em prestar atenção ou concentração
  • Desmaio temporário ou perda de consciência

Se esses sinais aparecerem, a recomendação é ir para um local mais fresco, protegido do sol, borrifar água no corpo e aplicar compressas de gelo no pescoço, axilas e virilha.

Caso os sintomas persistirem por 15 minutos, é importante procurar atendimento médico. “Às vezes, você tem situações de tonturas leves, com palpitação, uma dor no peito, mas isso passa. Mas quando os sintomas persistirem, forem progressivos e a pessoa estiver ainda exposta ao calor, aí, ela deve procurar atendimento médico”, orienta o especialista da BP.

Dicas para evitar a hipertermia

Junto ao alerta para o risco de hipertermia, o Inmet orientou as seguintes medidas durante os dias quentes:

  • Beber bastante líquido;
  • Evitar atividades físicas de esforço;
  • Evitar exposição ao sol nas horas mais quentes do dia;
  • Usar hidratante para pele e umidificar o ambiente;
  • Evitar bebidas diuréticas (café e álcool);

Em caso de dúvidas, é possível esclarecê-las com a Defesa Civil (telefone 199) e o Corpo de Bombeiros (telefone 193).

De acordo com a previsão do Inmet, a umidade do ar irá aumentar gradualmente com aproximação de frente fria do sul do país e com a chuva prevista a partir de quinta-feira, sobretudo na sexta-feira, 9. É quando o padrão de bloqueio atmosférico deve ser rompido e a umidade conseguirá alcançar também o centro e Sudeste do país.

Compartilhe:

Tags:#Saúde